terça-feira, novembro 27, 2007

Tradição do Dia Académico regressa em força a Lamego

Antigos alunos do liceu promovem sessão solene de homenagem aos seus professores no
1º de Dezembro

A comemoração do Dia Académico dos antigos alunos do Liceu de Lamego, a decorrer no próximo dia 1º de Dezembro no anfiteatro da Escola Secundária Latino Coelho e a prolongar-se com um almoço nas remodeladas instalações das Caves da Raposeira, iniciar-se-á com uma sessão solene de homenagem aos seus professores e o subsequente descerramento de uma lápide evocativa no átrio principal daquela escola. Para assinalar a vertente cultural que estes encontros anuais vão adoptar no futuro, será apresentado um livro da autoria de um antigo aluno daquele liceu pelo general Lemos Pires, que também frequentou aquele estabelecimento escolar na década de quarenta.
“Esta cerimónia marca o arranque de uma nova fase na organização destes encontros anuais em Lamego para celebrar o Dia Académico, e onde pela primeira vez surge a vertente cultural, que pretendemos valorizar no futuro”, afirmou ao Notícias do Douro José Pinheiro Mota, o responsável do informal núcleo de antigos alunos do Liceu de Lamego, sedeado na cidade do Porto, ao mesmo tempo que realçava “a importância simbólica” de se iniciar o novo figurino destes encontros anuais com uma homenagem aos antigos professores, alguns deles a marcarem o evento com a sua presença, incluindo o seu decano, Énio Ramalho, actualmente com 92 anos, e que foi professor de Inglês e de Alemão no Liceu de Lamego nas décadas de 40 e 50 do século passado.
Também o lançamento de um livro da autoria de um antigo aluno mereceu a referência de Pinheiro Mora, o organizador destes encontros: “Trata-se de uma crónica romanceada sobre dois acontecimentos que ficaram célebres na cidade de Lamego no início da década de 60 do século passado – o assalto à capoeira do reitor do liceu, de onde foi roubado um peru, e que teve desenvolvimentos posteriores caricatos e burlescos, assim como a referência aos assaltos nocturnos ao liceu por um grupo de alunos, a fim de roubarem os enunciados dos testes escritos”.
Outra novidade que irá surpreender a cidade, pelo seu carácter inédito, é o desfile informal dos antigos alunos desde a Escola Secundária Latino Coelho até à avenida Alfredo Sousa, passando pela praça do Comércio, rua de Almacave, rua Cândido dos Reis e avenida cinco de Outubro, acompanhados pela banda musical de Gouviães.
De autocarro, os participantes nesta jornada académica seguirão depois para as instalações das Caves da Raposeira, onde será servido um almoço, oferta do professor Orlando Costa Lourenço, também ele um antigo aluno, e que assim reedita os eventos gastronómicos dos encontros de confraternização realizados nos três anos anteriores e que tiveram por cenário as Caves da Murganheira.
Uma sessão de fados, organizada pelo médico José António Carrapatoso, encerrará a celebração do Dia Académico.
Tudo nasceu no Porto
Foi na cidade do Porto que um pequeno grupo de antigos alunos do Liceu de Lamego resolveu promover mensalmente um almoço de confraternização. Com a colaboração do antigo aluno, Horácio Malheiro, coronel de Infantaria, que diligenciou a cedência das instalações de uma antiga messe do Exército para a realização dos encontros, e do professor Orlando Lourenço, que tem prestado o respectivo apoio logístico. Pinheiro Mota ficou com o encargo de promover a realização do então incipiente projecto que, mês após mês foi ganhando novas e significativas adesões. “Nos primeiros almoços apenas apareceu uma dezena de antigos alunos, mas, com o intercâmbio entre todos nós, fomos conseguindo desencantar, através de diversos meios, outros colegas a residir e a trabalhar nas mais diversas localidades do país”, afirmou Pinheiro Mota, que não esconde o seu orgulho de ver progressivamente aumentado o número de adesões, “de uma forma gradual e sustentada”, a tal ponto que, no último encontro, realizado este mês, o número de antigos alunos que marcaram a sua presença atingiu a cifra record de mais de seis dezenas.
“É indescritível a emoção que rodeia a chegada de mais um novo antigo aluno e o curioso movimento dos mútuos reconhecimentos fisionómicos, através da imagem guardada desde a juventude e que perdurou durante algumas dezenas de anos”, acrescentou Pinheiro Mota.
Para este dirigente do núcleo organizador, “os almoços do Porto constituíram a matriz de todo este impressionante movimento de recuperação da memória dos tempos vividos no liceu e que já atravessam várias gerações”. Tendo-se iniciado com antigos alunos que frequentaram aquele liceu na década de cinquenta, o grupo começou, posteriormente, a aglutinar os antigos alunos da década seguinte e da década anterior.
Enraizar o evento na cidade
Se os anteriores encontros, realizados nas Caves da Murganheira, não tiveram repercussão na cidade de Lamego, o mesmo não irá acontecer a partir do encontro anual deste ano. “Queremos enraizar este encontro de antigos alunos no espírito da cidade, para que cada lamecense o assuma com um orgulhoso sentimento de pertença”, afirmou Pinheiro Mota, que assim deu o mote para justificar a convocação da imprensa para cobrir os eventos deste Dia Académico. E Pinheiro Mota conta o sentimento de tristeza e frustração que o invadiu quando, no ano passado, um jornal regional publicou um artigo, lamentando o facto de o Dia Académico do 1º de Dezembro ter sido votado ao esquecimento na cidade de Lamego, quer pelos antigos alunos, quer pelos actuais. “É evidente que este e os outros jornais não podiam noticiar aquilo que desconheciam, pois não foram informados para o efeito”, acrescentou Pinheiro Mota.
E este desiderato, o de estabelecer uma ligação afectiva dos antigos alunos com os lamecenses poderá ser alcançado, segundo este dirigente, alargando à população da cidade a possibilidade de vir a usufruir das manifestações culturais que esta geração de antigos alunos se propõe realizar nos próximos anos, e que passam por uma ou mais exposições de pintura e de outras artes plásticas, por uma exposição de fotografias sobre a vida académica dos anos anteriores, recuperadas do espólio particular de cada antigo aluno, e, também, pela publicação de outros livros, de ficção, de poesia ou de memórias. “As duas únicas condições a presidir à selecção das diversas manifestações culturais obedecerão apenas aos critérios da qualidade das obras a apresentar e, obrigatoriamente, à existência do vínculo dos respectivos autores ao estatuto de antigos alunos do Liceu de Lamego”, concluiu Pinheiro Mota.

Por Alexandre Lopes de Castro, Jornalista

Noticia gentilmente cedida pelo Semanário "Noticias do Douro"

sábado, novembro 17, 2007

Comunicado da Associação de Futebol de Viseu

A Direcção da Associação de Futebol de Viseu, vem tornar público o seguinte:
1- Lamentar o sucedido, uma vez que tem sido apanágio dos órgãos desta Associação pugnar pela verdade desportiva e pela transparência em todos os seus actos;
2- A detenção verificada ontem, dia 15, dos árbitros Fernando Dias e José Cunha bem como dos dirigentes supostamente do Sporting Clube de Lamego, é o corolário da acção continua e efectiva do Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol de Viseu, no sentido da credibilização da arbitragem Distrital e Nacional;
3- Perante factos que nos últimos dias chegavam ao conhecimento do Conselho de Arbitragem e que indiciavam uma gravidade extrema, os órgãos da Associação de Futebol de Viseu, conjuntamente com os elementos de Polícia, concluiu-se um processo onde dois elementos colocavam em causa toda a honestidade dos restantes 250 elementos (árbitros, observadores e cronometristas) em quem se deposita toda e completa confiança.
Este o teor do comunicado emitido ontem pela Associação de Futebol de Viseu na sequência da detenção efectuada ontem pela PSP de Viseu de dois árbitros e dois dirigentes desportivos

Reacções de dirigentes da Associação de Futebol de Viseu

Dirigentes da Associação de Futebol de Viseu (AFV) garantiram, ontem, ter feito tudo o que estava ao seu alcance para que os seus dois árbitros suspeitos de corrupção fossem apanhados pelas autoridades policiais.

A PSP de Viseu anunciou,ontem, ter detido quinta-feira dois árbitros de futebol e dois dirigentes que foram surpreendidos em flagrante delito a transaccionar dinheiro, nos concelhos de Tondela e de Castro Daire, após uma denúncia anónima feita por telefone.

"A surpresa é relativa, porque já no passado sábado, depois de termos algumas provas que poderiam indiciar esta situação, eu próprio vim aqui (à AFV) assinar um documento que foi enviado à Polícia Judiciária no sentido de eles se porem em campo para averiguar", afirmou o presidente da AFV, José Alberto Ferreira, em conferência de imprensa.

José Alberto Ferreira contou que, "ao longo dos últimos anos", a direcção ouviu "muitas queixas, muitos factos que terão provavelmente acontecido, mas nunca ninguém os conseguiu provar".

A partir do momento em que a AFV considerou ter provas suficientes em sua posse, decidiu actuar, por considerar que os dois árbitros - Fernando Dias e José Cunha - estavam a "colocar em causa a honestidade" dos restantes 250 elementos do quadro da associação, entre árbitros, observadores e cronometristas.

"Queremos, deste cesto de fruta que é a arbitragem distrital, retirar todas as maçãs podres para não contaminar todas as outras", frisou.

O vice-presidente da AFV, Rui Faria, justificou o facto de ter sido a PSP de Viseu a deter os suspeitos em flagrante delito com a necessidade de actuar de imediato.

"As situações precipitaram-se e tivemos de actuar de imediato. Falámos com o Corpo de Intervenção (da PSP), demos os dados e eles actuaram", explicou.

José Cunha e Fernando Dias têm ambos 37 anos. O primeiro, natural de Parada de Gonta e residente em S. Miguel de Outeiro (Tondela), pertencia ao quadro de honra.

O segundo, natural de Silgueiros (Viseu) e residente em Parada de Gonta, fazia parte do quadro de primeira e já tinha estado suspenso da actividade durante dois anos.

O presidente do conselho regional de arbitragem, João Caiado, disse aos jornalistas que, "em termos da associação, o conselho de disciplina é que irá julgar" os dois árbitros, mas garantiu, desde já, que nunca mais os nomeará para uma partida.

"Não podíamos fazer sentir aos árbitros que sabíamos, senão éramos nós a espantar a caça", disse João Caiado, explicando o porquê de, no último domingo, José Cunha ter arbitrado o Campia-Santacombadense e Fernando Dias o Riodades-Caparrosa, apesar de os dirigentes da associação já suspeitarem da sua conduta.

As nomeações para o próximo domingo saíram na quarta-feira, tendo Fernando Dias sido nomeado para o Sampedrense-Vouzelense e José Cunha para o Cabanas de Viriato-Moimenta do Dão.

Os dirigentes da AFV escusaram-se a revelar pormenores dos factos que consideram provar a culpa dos árbitros, bem como os montantes envolvidos nas transacções.

"Em futebol fala-se em suspensões e que o árbitro recebe e o clube paga e ninguém prova nada. Quando eu tive provas de que efectivamente podia actuar, não hesitei", afirmou João Caiado.

Disse ainda que o conselho de arbitragem contou "com a colaboração de pessoas que sabiam o que se ia passar", mas não confirmou se estavam ligadas a outros clubes.

O presidente do conselho regional de arbitragem mostrou-se convencido que não há mais árbitros da AFV envolvidos em situações idênticas.

José Alberto Ferreira disse esperar que esta situação sirva de aviso de que a AFV não pactuará "com situações dúbias", que "ponham em causa a credibilização do fenómeno desportivo".

sexta-feira, novembro 16, 2007

Suspeitos são ouvidos sábado em Tondela

Três dos suspeitos do alegado caso de corrupção que envolve árbitros da Associação de Futebol de Viseu e dirigentes do Sporting Clube de Lamego serão ouvidos este sábado em Tondela, depois de terem passado a tarde de ontem no Tribunal de Viseu.

O árbitro Fernando Dias e os dois dirigentes chegaram ontem cerca das 16:00 ao Tribunal Judicial de Viseu para serem submetidos a primeiro interrogatório judicial, mas saíram às 19:00 sem serem ouvidos.

Fonte judicial disse aos jornalistas que a tarde foi passada a tratar de expediente, sendo os três suspeitos ouvidos sábado de manhã, no tribunal de turno, em Tondela.

Os suspeitos saíram pelas traseiras do Tribunal de Viseu, em carros da Polícia Judiciária de Coimbra, onde vão passar a noite

Um dos dois árbitros da Associação de Futebol de Viseu (AFV) detidos, quinta-feira, por alegada corrupção saiu, hoje, do Tribunal de Tondela em liberdade, obrigado a Termo de Identidade e Residência. José Cunha tinha começado a ser ouvido cerca das 16:00 e saiu quatro horas depois, a correr pela entrada principal do tribunal em direcção ao carro, arrancando a alta velocidade.
O funcionário judicial Paulo Machado disse aos jornalistas que José Cunha está indiciado pelo crime de corrupção passiva, previsto na Lei 50/2007, de 31 de Agosto. O arguido, que tinha sido detido pela PSP de Viseu, foi restituído à liberdade, ficando sujeito a Termo de Identidade e Residência, disse.

Foram também aplicadas as medidas de suspensão das funções de arbitragem (o que será comunicado à AFV) e de "proibição de contactar com qualquer agente desportivo e de frequentar espaços ligados ao futebol, à arbitragem, federações desportivas e outros conexos", acrescentou.

Bruno Silva Lopes, advogado de José Cunha, escusou-se a divulgar factos do processo, prometendo apenas demonstrar a "plena inocência em tudo isto" do seu cliente.

Assinado em Vila Real protocolo para promover a escolarização dos recursos humanos do Douro

Foi assinado hoje em Vila Real um protocolo de colaboração entre sete entidades, com o objectivo de promover a escolarização dos recursos humanos do Douro.
Sete entidades promoveram em Vila Real a escolarização e qualificação dos recursos humanos no Douro, território que apresenta indicadores de qualificação e insucesso escolar inferiores à média nacional. A cerimónia de assinatura deste protocolo, que se insere no âmbito do programa “Novas Oportunidades”, foi presidida pelo ministro do Trabalho e da Solidariedade Social, Vieira da Silva, e contou ainda com a presença do secretário de Estado do Emprego, Fernando Medina.
Foram outorgantes do protocolo a Estrutura de Missão, a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), a Agência Nacional para a Qualificação, as direcções Regionais de Educação, Agricultura e Cultura do Norte, o Instituto de Emprego e Formação Profissional e o Turismo de Portugal.
As entidades comprometeram-se a promover o aumento dos níveis de qualificação da população da Região Demarcada do Douro e, por essa via, a valorização da sua base económica, designadamente nos sectores vitivinícola e do turismo.
A aposta incide no ensino profissionalizante de nível secundário e para a formação de base de activos como objectivos de criação de qualificações para o desenvolvimento regional.

Presidente de Associação de Viseu lamenta detenções de árbitros e dirigentes

O presidente da Associação de Futebol de Viseu (AFV), José Alberto Ferreira, lamentou hoje a detenção de dois dirigentes desportivos e dois árbitros quando alegadamente se preparavam para transaccionar dinheiro, garantindo que tomará medidas para "credibilizar o futebol".

"A justiça fará a sua parte. Mas nós também iremos tomar as medidas que estiverem ao nosso alcance para credibilizar o futebol", disse José Alberto Ferreira à Agência Lusa.

O presidente da AFV lamentou esta situação, que, segundo o que a Lusa apurou junto de fonte ligada ao processo, envolve os árbitros Fernando Dias e José Cunha (ambos residentes no concelho de Tondela) e dirigentes do Sporting Clube de Lamego, primeiro classificado da Divisão de Honra daquela associação.

"Espero que isto possa ter efeitos pedagógicos em relação ao futuro", frisou José Alberto Ferreira, que chegou a meio da manhã de hoje à sede da AFV para se inteirar da situação.

Segundo este responsável, a AFV "tenta passar para todos os dirigentes desportivos, directores e árbitros a mensagem de que se devem resguardar deste tipo de situações".

"Tem sido essa a nossa pregação, nomeadamente nas acções de formação. Todos fazem sistematicamente um apelo a que isto não aconteça, exemplificando com casos nacionais", contou.

Ao início da manhã de hoje o comandante da PSP, Almeida Campos, avançou à Lusa que o comando recebeu quinta-feira a denúncia de que "iria haver transacção de dinheiro entre dirigentes desportivos e árbitros", tendo de imediato montado uma operação, sem ter tido tempo de dar conhecimento à Polícia Judiciária.

Os agentes policiais encontraram-nos "na altura em que os dirigentes desportivos passavam o dinheiro para os árbitros", fora dos carros, próximo de Tondela e de Castro Daire, contou.

A denúncia do alegado caso de corrupção que levou à detenção quinta-feira dos dirigentes e dos árbitros partiu de responsáveis pela arbitragem de Viseu, disse à Lusa uma outra fonte.

O primeiro interrogatório judicial dos suspeitos está marcado para hoje de manhã, nas comarcas de Tondela e Viseu

Detidos os árbitros Fernando Dias e José Cunha e dirigentes do Sporting de Lamego

Fernando Dias e José Cunha, da Associação de Futebol de Viseu, são os árbitros detidos quinta-feira à noite por alegada corrupção desportiva, disse à Agência Lusa fonte conhecedora do processo.

A mesma fonte disse à Lusa que dois dirigentes detidos na mesma operação representam o Sport Clube de Lamego, primeiro classificado do campeonato da 1ª Divisão de Honra da AF Viseu, a principal competição de futebol no distrito.

Fernando Dias, natural de Silgueiros, Viseu, reside em Parada de Gonta, Tondela, localidade de onde é natural José Cunha, residente em São Miguel de Outeiro, no mesmo concelho.

Os dois dirigentes desportivos e os dois árbitros foram detidos pela PSP quinta-feira à noite em flagrante delito quando se preparavam para transaccionar dinheiro, em Tondela e Castro Daire.

A denúncia do alegado caso de corrupção que levou à detenção quinta-feira dos dirigentes e dos árbitros partiu de responsáveis pela arbitragem de Viseu, disse hoje à Lusa fonte ligada ao processo.

"Para nós isto não é uma surpresa. Por isso, ao sabermos do que iria passar-se entre dirigentes de um clube de Lamego que participa nos distritais e dois árbitros, também dos distritais, avançámos com a denúncia às autoridades", disse a mesma fonte.

Segundo o comandante Almeida Campos, o comando de Viseu da PSP recebeu a denúncia de que "iria haver transacção de dinheiro entre dirigentes desportivos e árbitros", tendo de imediato montado uma operação.

Os agentes policiais encontraram-nos "na altura em que os dirigentes desportivos passavam o dinheiro para os árbitros", fora dos carros, próximo de Tondela e de Castro Daire, contou.

Almeida Campos disse à Lusa que o árbitro detido em Tondela "tinha a esposa dentro do carro, que foi com ele receber o dinheiro e só não foi detida por se encontrar grávida".

O primeiro interrogatório judicial dos suspeitos está marcado para hoje de manhã, nas comarcas de Tondela e Viseu.

Almeida Campos explicou que, "como a denúncia foi feita pouco tempo antes da transacção, não houve tempo de dar conhecimento à Polícia Judiciária".

quarta-feira, outubro 24, 2007

Morreu o escritor António Cabral


O escritor e investigador transmontano António Cabral, que escreveu várias obras sobre o Douro e a cultura popular, faleceu ontem, com 76 anos, em Vila Real.
António Joaquim Magalhães Cabral nasceu em Castedo do Douro, concelho de Alijó, e tornou-se num dos mais importantes escritores de Trás-os-Montes e Alto Douro.
O também escritor e director do Grémio Literário de Vila Real, António Pires Cabral, disse à Agência Lusa que António Cabral conseguiu «transcender» as fronteiras da região transmontana e conseguiu «impor-se na literatura nacional».
Foi autor de mais de duas dezenas de títulos nas áreas da poesia, dramaturgia, do romance e do conto, tendo ainda desenvolvido trabalhos de investigação na área dos jogos populares e pedagogia do jogo.
António Cabral escreveu, entre outros, «A Mulher e a Cobra», «O Mar e as Águias», «Falo-vos da Montanha», «A Flor e as Palavras», «Poemas Durienses», «O Orfeu Rebelde», «Aqui. Douro», «Os Jogos Populares e o Ensino», «Novos Poemas Durienses», «Ouve-se um rumor» ou «Entre quem é».
A sua última obra, «O rio que perdeu as margens», foi apresentada em Junho como sendo uma obra híbrida de ficção, crónica e poesia.
«Foi um grande poeta do Douro e um homem de grande qualidade literária», afirmou Pires Cabral.
António Cabral, licenciado em Filosofia pela Universidade do Porto, foi professor, fundou o Centro Cultural Regional de Vila Real (1979), de que foi presidente da direcção até 1991, e foi ainda delegado do INATEL no distrito de Vila Real.
No domínio das letras e das artes, fundou em Vila Real a revista Setentrião (1962) e Tellus, de que foi o primeiro Director (1978), e o jornal Nordeste Cultural (1980).

quarta-feira, outubro 10, 2007

“Amor Razão Maior” junta 26 autores em homenagem a Fausto Guedes Teixeira

O Salão Nobre da Câmara Municipal de Lamego vai ser palco da sessão pública de apresentação do livro “Amor Razão Maior”, da autoria de 26 personalidades, na sua maioria naturais do concelho de Lamego. Esta obra visa homenagear o “poeta do amor” Fausto Guedes Teixeira (1871-1940), constituindo uma compilação de diversos poemas nos quais o amor é o mote principal.
O leitor também pode redescobrir em “Amor Razão Maior” poemas de Fernando Quintela, Gentil Guedes Gomes e Viriato Lemos, já falecidos, que neste livro assumem o duplo papel de homenageantes e homenageados, uma vez que em vida a sua produção literária sempre evocou o “mestre” Fausto Guedes Teixeira.
A sessão pública de apresentação de “Amor Razão Maior” decorre no Salão Nobre dos Paços do Concelho, do próximo sábado, 13 de Outubro, pelas 15h 30.

Origem da noticia: Gabinete de Imprensa da Câmara Municipal de Lamego
Imagem: Rádio Douro Sul

Teatro Montemuro - Estreia

O Teatro do Montemuro
estreia espectáculo para público infantil na aldeia de Campo Benfeito

Municipio reguense levou jovens ao Rivoli


Não é por acaso que à pergunta “qual o seu livro preferido?” muitas pessoas respondem: “O Principezinho”.
Esta é uma história cheia de lições de vida, de uma personagem com tudo o que de melhor têm as crianças. Com a inocência dos mais novos, mas também com a sabedoria que muitos adultos gostariam de ter, este Principezinho tem encantado gerações atrás de gerações.
Com estas certezas e com o objectivo maior de premiar o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido pelos alunos da Escola E.B. 2,3 do Peso da Régua, dado a conhecer através de produções como “Douro Sentido” e “Ser poeta é… Luís de Camões”, o Município do Peso da Régua proporcionou, no dia 5 de Outubro, a oitenta jovens, acompanhados por dez professores, a ida ao Teatro Rivoli com o propósito de assistirem ao musical infanto-juvenil “O Principezinho”. A participação na iniciativa foi inteiramente gratuita.
A partir do livro de Antoine Saint-Exupery, e numa adaptação ao teatro de La Féria, “O Principezinho” trouxe de volta a magia da viagem do único habitante de um pequeno planeta com apenas três vulcões e uma flor, aliando a representação a novas tecnologias de vídeo, luz e som. Considerado uma das obras-primas da literatura, este pequeno livro faz parte do imaginário de muitos de nós, marcando quem já o leu. A peça agora em cena no Rivoli pretende reavivar esse imaginário e “ensinar a ver com os olhos do coração”.
Ligando-se às comemorações dos sessenta anos da publicação de “O Principezinho” e respeitando o maravilhoso conto de Saint-Exupéry, o encenador transformou as páginas do livro em magia do palco onde as personagens e os episódios de “O Principezinho” se materializam num espectáculo que deslumbrou os oitenta jovens reguenses.
Num tempo em que o sonho se afasta cada vez mais do quotidiano, é importante a aposta na formação de públicos de uma faixa etária mais jovem, para que o público jovem de hoje possa, em anos vindouros, ensinar os seus filhos os mesmos ideais e valores a fim de que as gerações futuras vivam num planeta mais solidário, mais sensível e mais feliz.
A Câmara de Peso da Régua, com este objectivo, pretende ver cumprido junto das camadas mais jovens da população reguense, mantendo, no entanto, uma política cultural abrangente, direccionada para os diferentes públicos.

Raid Ranger em Lamego desperta gosto

Lamego vai acolher a primeira edição do RAID AVENTURA RANGER, a 21 de Outubro próximo, uma corrida de aventura, integrada nas Comemorações do Dia do Exército, organizada em parceria pelo Centro de Tropas de Operações Especiais (CTOE) e Câmara Municipal de Lamego (C.M.Lamego). Esta iniciativa é uma competição desportiva destinada ao grande público, fácil, desafiante, motivadora e muito interactiva, que será disputada por equipas constituídas por três elementos em dois escalões: masculino e misto (integra pelo menos um elemento feminino).
A prova será realizada utilizando, como meios de progressão, a caminhada/ corrida e bicicleta todo-o-terreno. A orientação é a disciplina desportiva base do evento, sendo utilizados diversos mapas de fácil leitura e interpretação. A par da orientação, serão desenvolvidas diversas actividades como tiro com arco, jogos tradicionais e transposição de obstáculos (rappel, slide, entre outros). Algumas das actividades são de carácter facultativo e permitirão às equipas obter bonificações.
O RAID AVENTURA RANGER será executado por equipas de 3 elementos (inseparáveis) em sistema de auto-suficiência (obrigatório o transporte de uma mochila com água, barras ou gel energético, bússola e kit de primeiros socorros). Cada equipa terá que dispor, obrigatoriamente, de duas bicicletas todo-o-terreno, para realizar a 3ª Etapa.
1º Etapa: Orientação pedestre, na cidade de Lamego, utilizando mapas simples


2º Etapa: Orientação pedestre, no centro da cidade de Lamego, com actividades facultativas (tiro com arco, jogos tradicionais e cordas)
3ª Etapa: Orientação em BTT e caminhada / corrida (Run ‘n bike) – 2 elementos em BTT e 1 a pé, ligando Lamego a Penude
4ª (última) Etapa: Transposição e Obstáculos (escalada, rappel e slide) e actividades lúdicas, no Quartel de Penude

As inscrições, para pessoas com idade igual ou superior a 16 anos, devem ser feitas, até ao dia 20 de Outubro, através do email ctoe@mail.exercito.pt ou entregando o Boletim de Inscrição no Centro de Tropas de Operações Especiais, Santa Cruz, 5100-135 Lamego - Tel 254 655 144 – 963306255 .


• Programa - 21 de Outubro de 2007
8h – Abertura do Secretariado no Quartel de Santa Cruz
9h – Briefing a todos os participantes
9h30 – Início da 1ª Etapa do RAID AVENTURA RANGER
15h – Final da Prova
16h –Lanche “almoçarado” e Entrega de Prémios (Quartel de Penude)

Termas de S. Pedro do Sul recorde absoluto em número de aquistas

É o recorde absoluto em número de aquistas das Termas de S. Pedro do Sul, após as obras de requalificação e ampliação do balneário D. Afonso Henriques, concluídas há três meses 8500 utilizadores em Agosto e Setembro, mais mil que em idêntico período de 2006.
O presidente da Câmara, António Carlos Figueiredo, considera justificadas todas as obras no edifício termal, pagas quase na totalidade com fundos próprios do município. Foram cerca de 10 milhões de euros gastos em construção civil e equipamentos.
O edil está confiante que dentro de três ou quatro anos, a capacidade de 50 mil aquistas anual vai ser atingida
A criação de um segundo pólo termal na estância, já está na forja. Nasce para acompanhar o ritmo de crescimento de um novo e emergente termalismo o de bem-estar, que já representa 20% do volume de negócios do sector.

Associação Nacional dos Municípios Portugueses preocupada com pessoal do Ministério da Educação

A Associação Nacional dos Municípios Portugueses (ANMP) está preocupada com o ritmo a que estão a decorrer as negociações para a transferência do pessoal da tutela (ME) para a sua responsabilidade. E duvida que ela ocorra no próximo ano escolar.

A constatação surge após o presidente da República, no discurso do 5 de Outubro, ter defendido a transferência de competências, afirmando ser necessário um "novo olhar" sobre a escola, envolvendo maior participação da comunidade.

A ANMP quer que, primeiro, seja estabelecido o rácio de pessoal por tipologia de escola e número de alunos e definidos os custos totais, atendendo às funções desempenhadas. Um trabalho que a associação alega não estar ainda concluído. No fundo, o que os autarcas temem é que, como recordam ter acontecido no passado, esta nova transferência de competências não seja acompanhada do conveniente pacote financeiro.

segunda-feira, setembro 24, 2007

Tarouca - reviveu o passado

Tarouca regressou ontem ao passado com o II Cortejo Histórico.
Milhares de pessoas assistiram ontem na cidade de Tarouca ao II Grande Cortejo Histórico, uma organização da Câmara Municipal.
Mais de duas centenas de figurantes das Juntas de Freguesia e das Associações do concelho vestiram o fino guarda roupa das épocas e desfilaram pelas ruas da cidade juntamente com mais doze carros alegóricos, devidamente legendados, que fizeram regressar ao passado e à história da monumentalidade do lendário "Vale Encantado".
Quadros como a Romanização, a Carta de Couto cedida por D.Afonso Henriques aos frades de S.João de Tarouca, a Casa do Paço de Dalvares, a sagração do Mosteiro de S. João de Tarouca, a cedência de direitos reais ao concelho em 1272 por D.Afonso III, a autorização para a realização da Feira em Salzedas por D.João I, o Novo Foral outorgado por D.Manuel I, a importância do abade de Tarouca, Frei João Claro, a confirmação de Duarte de Menezes, senhor de Tarouca , mais tarde Vice Rei da Índia, em 1577, por D.Sebastião, a aclamação de D.Maria II, a nomeação de João Gomes Silva, conde de Tarouca, como embaixador de D.João V e a celebração dos 150 anos do nascimento de José Leite de Vasconcelos, marcaram a tarde de ontem em Tarouca.
De referir que a coordenação do cortejo histórico foi da responsabilidade do Pelouro da Cultura da Câmara Municipal. O guião e pesquisa histórica pertenceu a Adelino Tito de Morais. O guarda Roupa foi cedido por Maria Adelina Branco Nunes de Viana do Castelo. Os carros alegóricos e as legendas estiveram a cargo da Desfilarte de Felgueiras.

quarta-feira, setembro 05, 2007

Lamego: ATL da Santa Casa da Misericórdia de Lamego deu show na Avenida

"ATL" da Santa Casa da Misericórdia de Lamego deu show ontem à tarde no estúdio móvel da Rádio Douro Sul, na Av. Dr. Alfredo de Sousa, Lamego, durante a emissão em directo no programa "Diário das Festas", transmitido a partir daquele recinto, entre as 16h e as 18h00. Durante a emissão esteve presente o Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lamego, Prof. Doutor José Lopes, tendo aproveitado para falar sobre a Instituição que dirige. Foi ainda revelado por aquele dirigente que vai decorrer em Lamego uma iniciativa da equipa de psicólogos dos Centro de Acolhimento Temporário e Lar das Crianças Nossa Senhora dos Remédios da Santa Casa da Misericórdia de Lamego para a organização das I Jornadas subordinadas à temática da criança em risco e institucionalizada, a decorrer na sala de congressos do Hotel Lamego, no dia 28 de Setembro de 2007.




terça-feira, setembro 04, 2007

Escola de Concertinas Sé-Lamego-Douro Sul tocou temas populares durante a tarde na Av.Dr.Alfredo de Sousa, no âmbito da animação que a Rádio Douro Sul leva a efeito todas tardes.


quinta-feira, agosto 30, 2007

São João da Pesqueira: 7 a 9 Setembro Vindouro

A Vindouro oferece uma viagem ao passado histórico do Douro e do vinho entre 7 e 9 de Setembro, em São João da Pesqueira, com recriações da época pombalina, leilões de vinhos e provas, anunciou hoje a organização.

Promovida pela Câmara de São João da Pesqueira e pela empresa Essência do Vinho, a Vindouro é uma iniciativa turística e vitivinícola que pretende dar a conhecer e descobrir o vinho e o Douro. “Quando começa a cheirar a mosto no Douro acontece a Vindouro”, afirmou ontem o presidente da Câmara de São João da Pesqueira, António Lima Costa, na apresentação do evento no Peso da Régua.
O concelho duriense recua quase três séculos no tempo até à época em que o marquês de Pombal criou a mais antiga região demarcada do mundo – o Douro – para ser palco de reproduções de mercados e cortejos do século XVIII.
Além de provas de vinhos e visitas guiadas pelas quintas, a Vindouro promove conversas sobre vinhos com a presença de «wine experts» e faz leilões de vinhos antigos e raros.
Um dos pontos altos da iniciativa é, segundo o autarca, o “jantar pombalino” no Palácio do Cidrô, que permitirá degustar um banquete preparado pelo chefe Luís Américo e, ao mesmo tempo, o convívio com os cortesão, enquanto serão declamados poemas com acompanhamento musical e coreografias de dança barroca e pantomina.
Na gastronomia barroca usavam-se grandes quantidades de especiarias e de ácidos, recorrendo a ingredientes como marmelo, limão, laranja ácida, vinagre e sumo de uvas verdes.
A organização espera a visita de milhares de pessoas durante os três dias. “No ano passado contamos com a presença de dez mil visitantes, número que esperamos poder duplicar este ano”, frisou António Lima Costa. O autarca salientou que a Vindouro ambiciona atingir “protagonismo a nível internacional”.

Clique para ver o video do ano anterior


quarta-feira, agosto 29, 2007

30 de Agosto 2007
22h00
Palco da Av. Dr. Alfredo de Sousa
FESTA DA RÁDIO DOURO SUL
Apresenta



Cool Slideshows!

terça-feira, agosto 28, 2007

Montalegre:Congresso de Medicina Popular

Exorcismo, demónios, dietas e medicina popular são alguns dos temas do Congresso de Medicina Popular, entre 30 de Agosto e 3 de Setembro, em Vilar de Perdizes, Montalegre. O padre António Fontes continua a ser o grande dinamizador do evento.

O fundador dos congressos de medicina popular de Vilar de Perdizes, padre António Fontes, disse à Lusa que são esperadas milhares de pessoas no encontro, que vai abordar perto de uma dezena de temas.

Logo no primeiro dia, Telma Teixeira vai falar sobre as “Doenças Curadas pela Natureza”, e Simara explicará a “Terapia pelos Cristais”. No dia 31 o tema em debate é o exorcismo, com a apresentação do livro de Mestre Alves, estando ainda em destaque a “Nutrição e a Saúde” e “A Carne e a Saúde”.

No dia seguinte será a vez do francês Alan Leconte falar sobre “A Energia e o Amor”, seguindo-se uma palestra sobre “Os Demónios Todos Juntos”. “Dieta e Medicina Popular”, “As Plantas Medicinais da Serra Dos Paços” e “Novos dados sobre exorcismos” são os temas para sábado, 1 de Setembro.

Espalhados por cerca de 40 stands vão estar videntes, médiuns, massagistas, videntes, astrólogos, ervanárias, bruxos ou tarólogos. Quem quiser poderá ainda comprar livros, chás, fazer uma sessão de hipnose regressiva ou tirar uma foto da aura. O congresso de Vilar de Perdizes transformou-se em ponto de encontro de culturas, credos, medicinas, religiões, saberes, uma feira original, popular e erudita, um espaço para questionar métodos e crenças, novidades e antiguidades e uma ocasião para conhecer o país profundo, oculto e esquecido”, defendeu o padre Fontes.

António Fontes considera ainda a iniciativa como “uma forma de promover a região e a sua gastronomia, tradições e a sua paisagem”.

O padre António Fontes impulsiona há 25 anos o Congresso de Medicina Popular de Vilar de Perdizes, Montalegre, onde em Setembro se junta o sagrado ao profano e se reúnem curandeiros, bruxos, adivinhos ou ervanários. “A junção do sagrado e do profano protagonizado por um padre deu mais valia e chamariz ao congresso.

Foi como que a arte de sacralizar o profano e profanar o sagrado”, afirmou o sacerdote. António Fontes nasceu em Cambezes do Rio, uma aldeia do Barroso, próxima do Rio Cávado, em 22 de Fevereiro de 1940, tendo ingressado no Seminário de Vila Real em 1950, de onde saiu em 1960. Foi ordenado sacerdote em 1963.
António Fontes é um dos principais defensores da cultura popular da região do Barroso, onde a localidade se insere.

O sacerdote recordou que o congresso de Vilar de Perdizes nasceu numa altura em que as tradições e a medicina popular antiga estavam a cair em desuso devido à concorrência ou oposição da “medicina química ou moderna”.
“O primeiro congresso de medicina popular nasceu da necessidade de registar e dar a conhecer o uso da medicina caseira, tradicional, ainda muito válida, apesar da chegada em 1975 do Serviço Nacional de Saúde ao país e às minhas paróquias”, salientou. Em 1983 “revelaram-se Vilar de Perdizes e os seus congressos como ponto de encontro de culturas, credos, medicinas, religiões, saberes, uma feira original popular e erudita, um espaço para questionar métodos e crenças, novidades e antiguidades e uma ocasião para conhecer o país real, profundo, oculto, esquecido, marginalizado”.

Desde então, no primeiro fim de semana de Setembro repete-se o evento que, segundo o sacerdote, pretendeu “avivar a cultura morta - a medicina popular - e pôr no devido lugar a que surgia, dita científica, que não queria a sobrevivência da mãe a medicina Natural”.
Vinte e cinco anos depois, o objectivo da iniciativa mantém-se actual porque, segundo António Fontes, o congresso pretende dar a conhecer às pessoas “o valor da medicina popular e o poder das plantas para combater doenças”.

Durante quatro dias vão ser vendidos muitos quilos de chás para todos os males. A natureza oferece no Barroso e em alguns microclimas da região, como em Vilar de Perdizes, uma “variedade enorme” de ervas medicinais, aromáticas ou condimentares. É durante o congresso que Isabel Pita, 44 anos, vende a maior parte dos seus chás, licores ou compotas.

Há sete anos que esta habitante de Vilar de Perdizes colhe ervas para vender, depois, transformadas em chás através de conhecimentos “ancestrais” que diz ter aprendido com os seus avós. “Não tínhamos médicos nem farmácias e, por isso, havia que aprender a usar as ervas para nos curarmos”, recordou. Isabel Pita faz cerca de “70 a 80” chás diferentes e, além de possuir algumas ervas na horta junto a sua casa, também sobe às serras, pela hora do calor, para colher as “melhores plantas”.

Além dos chás, os milhares de pessoas que se deslocam ao congresso podem ainda encontrar pomadas ditas milagrosas ou mezinhas que tudo curam, receber massagens ou ouvir palestras por um misto de médicos, especialistas de medicinas alternativas ou doenças da mente e do espírito. Em Perdizes misturam-se ainda naturistas, bruxos e adivinhos e especialistas em curas espirituais, endireitas, cartomantes, ervanários.
Mas durante o resto do ano são também muitos os turistas que se deslocam a Montalegre para conhecer o “padre das ervas medicinais”.

Para acolher os muitos visitantes, António Fontes abriu um espaço de turismo rural em Mourilhe, no concelho de Montalegre. O hotel estende-se por uma casa antiga recuperada, oferecendo dezasseis quartos, biblioteca regionalista, uma capela e jardim espaçoso onde o sacerdote planta as suas ervas e podem ser ouvidas
muitas histórias, costumes e lendas.

É o próprio António Fontes que guia os visitantes pelos licores e chás caseiros ou que aconselha os roteiros e locais para visitar em Montalegre. “Aqui encontra o turista um reino maravilhoso de altitude, onde impera a água, a verdura variada das quatro estações do ano, o silêncio da natureza e das aldeias de dia e de noite, a paisagem e ar e céu limpo, leve, carregado de belas estrelas celestes e terrenas”, sublinha o padre.

Noticia: www.diariodetrasosmontes,com
(Díário Trás Os Montes)

Mau tempo: Estado não apoia culturas afectadas

Técnicos da Direcção Regional de Agricultura do Norte estão a fazer o levantamento dos prejuízos causados pelo mau tempo que assolou o Norte do país, e a região de Trás-os-Montes em particular, no fim de semana passado, mas não há perspectivas de que os lesados venham a beneficiar de apoios estatais, avançou, ao JN, o director regional Carlos Guerra. "Aquilo que se tem verificado é que há situações pontuais de grandes prejuízos em alguns concelhos", disse.
No distrito de Bragança, os maiores estragos ocorreram no concelho de Vila Flor, de Mirandela e de Miranda do Douro; Carrazedo de Montenegro e Valpaços, no distrito de Vila Real, também apresentaram estragos consideráveis, assim como a zona de Penafiel. Os danos do mau tempo terão incidido mais na produção de castanha, vinha, fruta, olival e também o milho.
Carlos Guerra relembrou que, para este tipo de intempérie, há seguros de colheitas. "Grande parte dos agricultores atingidos não tem seguro agrícola, uma situação que é muito preocupante", sublinhou.
O responsável apontou como positivo, porém, a situação verificada na zona de Penafiel, onde os agricultores tinham um seguro colectivo de colheita e, neste caso, vão ver as suas colheitas cobertas e os danos minimizados. O director Regional de Agricultura do Norte relembrou que o seguro de colheita é subsidiado em cerca de 75% pelo Estado, sendo esta uma forma de garantir as colheitas.

De recordar que as eventuais medidas de excepção só são accionadas se as intempéries destruíssem a estrutura produtiva, como é caso de caminhos vicinais, muros ou destruição de terras agrícolas. O director regional avançou ainda que os técnicos estão no terreno desde o passado domingo, estando prevista a conclusão dos levantamentos dos prejuízos ao longo do dia de hoje.

Para já, ainda não há uma estimativa concreta dos danos causados pelo mau tempo, "mas não é tão grande com se chegou a temer". Aquele responsável garantiu, todavia, que "não há uma grande área com muitos prejuízos, há pequenas manchas localizadas com prejuízos avultados", afirmou.

Agora, o principal problema é que os agricultores que não têm seguros de colheita terão de ser eles próprios a suportar os prejuízos.

Noticia JN

Trás Os Montes: Mau tempo fez estragos


As freguesias de São João da Corveira e Carrazedo de Montenegro, Valpaços, solicitaram hoje ajuda à Direcção Regional de Agricultura do Norte para colmatar os prejuízos causados pelo mau tempo em «dezenas» de hectares de castanheiros.

O presidente da junta de freguesia de São João da Corveira, José Taveira, disse à Agência Lusa que uma espécie de «tufão», com chuva e ventos muito intensos, atingiu a zona da serra da Padrela cerca das 17:30 de sábado.

«Durante cerca de meia hora o mau tempo destruiu grande parte da área de souto das aldeias de Sobrado e Rio Bom e, devido à força do vento e da chuva, alguns castanheiros ficaram partidos ao meio e a produção de castanha seriamente afectada », salientou.

O mau tempo atingiu também a freguesia de Carrazedo de Montenegro tendo, segundo o presidente da junta local, Alípio Barreira, afectado uma «vasta área de souto», a principal fonte de rendimento da maioria das famílias destas localidades.

Alípio Barreira referiu que «só hoje os agricultores se aperceberam dos estragos» e foi solicitada ajuda à Direcção de Agricultura do Norte e ao Governo Civil de Vila Real.

«Pedimos aos técnicos para se deslocarem o mais rapidamente possível ao terreno para avaliarem os estragos e nos ajudarem a recuperar as árvores afectadas», referiu.

O autarca diz que «grande parte» da produção de castanha da Serra da Padrela esperada para este ano foi «afectada» e acrescentou que os estragos provocados nas árvores podem ainda «afectar as produções para os próximos anos».

A zona de Padrela é uma das três denominações existentes em Trás-os-Montes e Alto Douro e, conjuntamente com Soutos da Lapa e Terra Fria, corresponde a 85 por cento da produção de castanha nacional.

A produção de castanha ocupa 17% da exportação de frutos e representa um volume de negócios de cerca de 10 milhões de euros, em Portugal.

Os autarcas dizem que a passagem do mau tempo provocou ainda alguns estragos em habitações, levantando telhas e gerando pequenas inundações.

quarta-feira, agosto 22, 2007

Museu do Douro promove as tradicionais rogas


Retratadas na obra de Miguel Torga, as tradicionais rogas vão voltar a ser promovidas pelo Museu do Douro, a partir da segunda semana do próximo mês de Setembro. Para os que desconhecem, as rogas eram os ranchos de homens e mulheres que animavam o labor das vindimas com os seus cantares, ao som de bombos, ferrinhos, braguesas e concertinas - para lá de, evidentemente, também pisarem as uvas nos lagares.



Agora, em vez daqueles que ao longo do tempo foram realizando a vinícola tarefa, são crianças e jovens que vão participar activamente nas vindimas.

A acompanhá-los terão os textos do escritor duriense, tema central da manifestação, uma vez que se comemora o centenário do seu nascimento até ao final deste ano. Segundo a responsável pelo serviço educativo do Museu do Douro, Marisa Adegas, três escolas da zona do Porto já se inscreveram na iniciativa que tem lugar na Quinta Senhora da Graça, em Santa Marta de Penaguião. Para quem participar nas rogas, o dia inicia-se às 9.30 horas com uma recepção de boas-vindas aos alunos. Segue-se, à boa maneira de antigamente, um tradicional pequeno-almoço de batatas e bacalhau, forma encontrada de preparar o corpo para as tarefas que se avizinham, entre elas o cortar e posterior carregar dos cachos de uvas. No decorrer das actividades, os estudantes vão sendo surpreendidos por trechos da obra de Miguel Torga alusivos às vindimas no Douro.

Adolfo Correia da Rocha, nome de registo do escritor, nasceu a 12 de Agosto de 1907 em São Martinho de Anta, no concelho de Sabrosa. Sob o pseudónimo de Miguel Torga, é considerado um dos maiores vultos da literatura portuguesa do século XX. O autor sempre dedicou especial atenção ao ambiente em que viveu, que soube descrever com minúcia realista e efabulatória. Ao caracterizar as vindimas nos socalcos durienses, Torga refere o trabalho "árduo nesses degraus do Olimpo".

O Museu do Douro promove as rogas desde 2004. No ano passado, o evento contou com a presença de 50 crianças e jovens

Alijó: Câmara tenta reabertura da Estação do Pinhão


A Câmara Municipal de Alijó vai recorrer à Secretaria de Estado dos Transportes para tentar a reabertura da estação ferroviária do Pinhão, aos fins-de-semana e feriados, segundo noticia o JN na sua edição de hoje.
Alega que a Refer ficou de lhe apresentar, até final de Julho passado, a proposta de parceria para viabilizar tal pretensão, mas ultrapassado o prazo, e como não lhe adivinha a hora da chegada, tratará do assunto com a Tutela.

O braço-de-ferro entre Câmara e Refer começou em Abril deste ano, quando a Junta de Freguesia do Pinhão deu conta ao Município de que a empresa ferroviária tencionava encerrar o imóvel sob pretexto de a baixa procura não justificar o seu funcionamento naqueles dias específicos.
No dia 16 de Julho, os autarcas de Alijó e do Pinhão encontraram-se com responsáveis da Refer para lhes mostrar o seu descontentamento pela forma como o processo foi tratado e para lhes fazer ver a importância de manter a estação a funcionar todos os dias.

Segundo Artur Cascarejo, "a Refer comprometeu-se a arranjar um protocolo para viabilizar a abertura da estação". Só que a proposta "ainda não apareceu", não obstante ter sido definido o final do mês de Julho como o prazo razoável para o fazer, tendo em conta que Agosto é o mês de maior procura turística no Pinhão
Também ao JN a Refer, através do seu Gabinete de Comunicação, adiantou que não vê razões para a polémica levantada pela Autarquia de Alijó, porque na reunião de Julho "ficou acordado que disponibilizaria à Câmara uma chave da estação para poder aceder ao espaço". Ficou ainda estabelecido que "a chave poderia ficar à guarda do funcionário do posto de turismo" da Junta do Pinhão, que funciona no mesmo local, e que teria a seu cargo abrir o imóvel aos turistas.

Viseu: Castro Daire e Tondela com praias classificadas

O concelho de Castro Daire e o concelho de Tondela são os únicos no distrito com praias classificadas. O reconhecimento, feito por parte dos ministérios da Defesa Nacional e do Ambiente, do Ordenamento e do Desenvolvimento Regional, ocorreu no dia 9 de Agosto, com a publicação da portaria que define a lista oficial das 350 praias marítimas e 41 fluviais que respeitam os critérios de qualidade da água e segurança das pessoas.

Vila Real: Hospital da Trofa comprou esqueleto do Hotel do Parque

O Hospital da Trofa anunciou hoje a aquisição do Hotel do Parque, em Vila Real, que se encontra inacabado há mais de 27 anos, para nele instalar um hospital privado.
A notícia foi ontem avançada pela Rádio Universidade de Vila Real e confirmada à Agência Lusa pelo departamento de marketing do Hospital da Trofa, afirmando que o destino principal do inacabado hotel será a instalação de uma «moderna e excelente unidade hospitalar privada».
A fonte adiantou apenas que a unidade hospitalar a instalar em Vila Real será dotada de urgência, internamento e ambulatório.
O Hospital da Trofa, unidade hospitalar privada, abriu as portas a 08 de Março de 1999.
As iniciativas da autarquia de Vila Real para resolver o problema do Hotel do Parque já se desenvolviam há bastante tempo, tendo a sociedade Polis servido de intermediário entre os proprietários (residentes no Brasil) e os possíveis investidores.
Em Julho, alguns órgãos de comunicação social avançaram a possibilidade de o hotel ser adquirido por um grupo francês para a instalação de uma unidade hoteleira.
O Hotel do Parque, cuja estrutura inacabada começou a ser construída há mais de 27 anos, está instalado junto ao Parque Florestal da cidade e foi integrado no Plano de Pormenor do Bairro dos Ferreiros, do Programa Polis de Vila Real.
A solução apontada no plano de pormenor de Ferreiros passava pela manutenção do edifício como hotel, retirando-lhe dois pisos na parte virada para a Avenida 1º de Maio e outros dois na área voltada para o bairro de Ferreiros.
Os pisos superiores ficariam destinados a alojamento, dois dos andares inferiores destinados a estacionamento privativo do hotel e os outros três a estacionamento público, servindo os habitantes do bairro de Ferreiros.
Como o plano de pormenor previa a concretização de uma unidade hoteleira naquele espaço, a autarquia terá agora de aprovar uma alteração a este documento para a instalação de um hospital.
A construção do hotel iniciou-se em 1980, mas a obra nunca foi concluída, existindo actualmente apenas o esqueleto desta infra-estrutura.
O edifício foi deixado ao abandono e, apesar da vedação ali colocada pelos proprietários há já algum tempo, a estrutura tem sido ocupada por toxicodependentes.
Este local está também referenciado pelas autoridades de Saúde do distrito como pólo difusor de doenças, devido à presença frequente de seringas e outros artefactos usados pelos toxicodependentes

Lamego: 5 de Outubro reaberta ao trânsito para as Festas




Foto gentilmente cedida por Dr. Ricardo Pereira


A Av. 5 de Outubro, principal arruamento urbano da cidade de Lamego, já se encontra provisoriamente reaberta ao trânsito automóvel até ao encerramento das Festas em Honra de Nossa Senhora dos Remédios, de modo a garantir um melhor escoamento do tráfego automóvel numa altura em que são esperados milhares de visitantes vindos de todo o país.
A Av. 5 de Outubro vai tornar-se em breve uma via mais atractiva, moderna e funcional, após a conclusão das obras de requalificação que se iniciaram no dia 21 de Maio. A intervenção contempla a renovação integral das infra-estruturas de águas e saneamento, a instalação de rede de gás natural e a remodelação da iluminação pública e do mobiliário urbano. Com o objectivo de completar esta profunda renovação, também está a ser beneficiado o espaço público à superfície “em termos de atractividade e actualidade para os residentes da zona e utilizadores do comércio tradicional”.
A Av. 5 de Outubro está assim a receber a mais importante intervenção da sua história com o propósito de operar uma profunda transformação nesta zona urbana densamente povoada. “Não é aceitável que a principal rua urbana de Lamego possua infra-estruturas degredadas com mais de 20 anos. Por esta razão, o conjunto de requalificações que a Câmara Municipal de Lamego vai realizar ao nível da rede viária do concelho constituem uma prioridade da nossa gestão”, sublinha Francisco Lopes, Presidente da autarquia.

Fonte da noticia: Gabinete de Imprensa da C.M.Lamego

terça-feira, agosto 21, 2007

Lamego- A Romaria de Portugal

Lamego prepara-se para viver a Romaria de Portugal, em Honra de Nossa Senhora dos Remédios, a partir de quinta feira, dia 23. As Festas prolongar-se-ão até 9 de Setembro. As novenas no santuário dos Remédios terão inicio a 30 de Agosto. No dia 6 de Setembro, às 8h00, realiza-se a Procissão da Imagem de Nossa Senhora dos Remédios, do Santuário para a Igreja das Chagas. No dia 8 de Setembro as Festas atingem o auge com a realização da Missa Festiva às 10h00 no Santuário e à tarde, às 16h00, a Majestosa Procissão do Triunfo, da Igreja das Chagas para a Igreja de Santa Cruz.
Para este ano a comissão executiva das Festas preparou um completo programa de animação, a fim de levar a animação a toda a cidade. Assim, estão agendados espectáculos para os palcos da av. Dr. Alfredo de Sousa, Parque Isidoro Guedes, Jardim da Republica e Largo do Espírito Santo com: FILARMÓNICA GIL, MELANIE, EMANUEL, USKAD KASA, Iran Costa, Carla Maria, Carlos Manue, THE GIFT, AVÔ CANTIGAS, DAVID FONSECA, PADDY-B.& CELTIC EXPRESS, RUI VELOSO,e MICAELA. Para além dos concertos estão agendados cortejos como a Marcha Luminosa, Batalha de Flores, Cortejo Etnográfico e de Folclore, Concentração de Motards, Torneios e Encontros de diversas Associações Lamecenses, Eventos Culturais e Desportivos, sessões de Fogo de Artifício e Fogo Preso.
Na quinta - feira, a partir das 10 horas, um Arauto fará o convite à população lamecense para participar na Festa.

A Rádio Douro Sul, rádio Oficial das Festas vai também associar-se à Festa e vai ter em antena, a partir do dia 23, programação exclusiva dedicada à Romaria de Portugal.

Noticia Rádio Douro Sul
Direitos Resevados

domingo, agosto 19, 2007

Concertos das Festas de Lamego

Programação dos concertos nas Festas da cidade de Lamego




Cool Slideshows!

Artista lamecense expõe no Dolce Vita em Vila Real



O pintor lamecense José António Gomes Ferreira expõe no Dolce Vita, em Vila Real.
Na galeria, junto à Zara, podem ser apreciadas algumas das pinturas que recentemente estiveram no Museu de Lamego.



Nascido em Lamego a 15 de Fevereiro de 1960, José António Gomes Ferreira define-se como um autodidacta. A inspiração assalta-o e sempre que o seu tempo o permite dedica-se à pintura.
Obstinado pela pintura, tem por objectivo aprofundar os seus conhecimentos e aproximar-se de correntes de expressão plástica contemporâneas.
José António Gomes Ferreira, depois de 32 anos de paixão pela pintura encara-a como um meio de expressão privilegiado para “moldar sentimentos” e “procurar a perfeição” de modo a que se transforme na sua principal actividade.

Noticia Rádio Douro Sul
Direitos Reservados

Caretos de Lazarim divulgam tradição no Festival de Verin


Foto gentilmente cedida por Dr. Ricardo Pereira

Os caretos de Lazarim marcaram presença, no primeiro Domingo de Agosto, no Festival Internacional da Palavra em Verin com o objectivo de divulgar, junto do público galego, a essência de um dos Carnavais mais típicos do país.
Acompanhados por um grupo de bombos e pelas concertinas do Douro Sul, os caretos de Lazarim interagiram com a população local na zona velha da cidade, num palco montado perante algumas centenas de pessoas, no qual foi encenada a leitura do testamento com alguns versos feitos propositadamente para a ocasião. Seguiu-se uma actuação do grupo de concertinas do Douro Sul que também obteve uma entusiástica receptividade por parte do público presente. Os caretos de Lazarim encerraram o Festival Internacional da Palavra de Verin com “chave de ouro”.
A presença dos Caretos de Lazarim neste certame internacional surgiu na sequência de um convite que a Progestur recebeu da Embaixada de Portugal em Espanha e do Consulado Português em Verin, e do apoio disponibilizado pela Câmara Municipal de Lamego, pelo Concello de Verin e pela Região de Turismo Douro Sul.
Fonte: Gabinete de Imprensa da Câmara de Lamego

Férias divertidas para crianças e jovens do concelho de Lamego

As crianças e jovens do concelho de Lamego, com idades compreendidas entre os 6 e os 14 anos, ocuparam as suas férias de Verão de uma forma saudável e bastante divertida, participando nas actividades do programa “Verão Desportivo”, que decorreu ao longo do mês de Julho, no Pavilhão Álvaro Magalhães. Esta iniciativa alcançou um grande sucesso contando com a adesão de cerca de 500 participantes.
Com o apoio da Escola Secundária/3 de Latino Coelho, o leque de actividades do programa “Verão Desportivo” foi bastante abrangente, proporcionando às crianças e jovens experiências únicas, através da criação de laços de amizade e camaradagem entre os participantes e do ensinamento de valores de convivência e respeito pelos outros. A alegria e o empenho também foram uma constante durante a prática de um vasto leque de actividades desportivas (futebol, andebol, hóquei em campo, jogos tradicionais, teatro, expressão plástica, rugby, entre muitas outras).
A Câmara Municipal e a empresa municipal “Lamego ConVida”, devido à importância da prática desportiva no processo de formação cívica dos mais novos, prometem continuar a apresentar no futuro mais programas aliciantes de ocupação de tempos livres que visem a promoção de acções de elevado valor educativo, moral e de riqueza de acção motora.

Fonte: Gabinete de Imprensa da Câmara de Lamego

terça-feira, agosto 07, 2007

Festas da cidade de Lamego 2007


Lamego celebra as Festas em honra de Nossa Senhora dos Remédios de 23 de Agosto a 9 de Setembro. As festividades religiosas têm inicio a 30 de Agosto, às 6h30 com a celebração do Ângelus e Oração da manhã, exposição do Santíssimo Sacramento, com citação do terço e bênção no Santuário e às 7h00 a celebração da Eucaristia. No dia 6 de Setembro às 8h00 realiza-se a Procissão da Imagem de Nossa Senhora dos Remédios, do Santuário para a Igreja das Chagas. As festividades religiosas antingem o seu ponto alto no dia 8 de Setembro com a realização da Missa Festiva às 10h00 no Santuário e à tarde, às 16h00, a Procissão do Triunfo da Igreja das Chagas para a Igreja de Santa Cruz. No final da Procissão será prestada uma Guarda de Honra a Nossa Senhora dos Remédios por uma Força Militar do Centro de Tropas de Operações Especiais na Parada daquela Instituição Militar.
A comissão executiva das Festas da cidade preparou um vasto programa de animação, visando levar a animação a toda a cidade, como vem acontecendo nos últimos anos, com a realização de alguns espectáculos por diversos palcos da cidade.
FILARMÓNICA GIL, MELANIE, CORO SOLEMNIS, EMANUEL, FESTIVAIS DE FOLCLORE, FADOS DE COIMBRA, USKAD KASA,THE GIFT, AVÔ CANTIGAS, ORQUESTRA LIGEIRA DA CÂMARA MUNICIPAL DE TAROUCA, DAVID FONSECA, PADDY-B.& CELTIC EXPRESS, THE SZABOLCS MAJORET & BRÁS BAND, RUI VELOSO, MEDCAVE, X PROBLEMAS, GRUPO NOVA COR e MICAELA fazem parte dos espectáculos oferecidos pela organização aos lamecenses e a quem visita Lamego nesta altura do ano. Outros eventos estão agendados como a Marcha Luminosa, Batalha de Flores, Cortejo Etnográfico e de Folclore, Concentração de Motards, Torneios e Encontros de diversas Associações Lamecenses, Eventos Culturais e Desportivos, sessões de Fogo de Artifício e Fogo Preso.
Bons motivos para visitar Lamego de 23 de Agosto a 9 de Setembro.
A Rádio Douro Sul, como Rádio Oficial das Festas da cidade de Lamego 2007, dará a conhecer dentro de dias a programação pormenorizada.

Noticia Rádio Douro Sul
Direitos Reservados
Imagem gentilmente cedida pela
Comissão Executiva das Festas de Lamego 2007

sábado, agosto 04, 2007

Aldeias Vinhateiras do Douro com Zona Especial de Protecção


As seis Aldeias Vinhateiras do Douro vão possuir uma Zona Especial de Protecção (ZEP) para salvaguardar o seu valor paisagístico, patrimonial e evitar a sua descaracterização, anunciou hoje fonte da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional Norte (CCDR-N).
De acordo com a fonte da CCDR-N encontra-se em curso o processo de estabelecimento de uma ZEP em cada uma das Aldeias Vinhateiras do Douro, designadamente Provesende (Sabrosa), Favaios (Alijó), Barcos (Tabuaço), Trevões (São João da Pesqueira), Ucanha e Salzedas (Tarouca).

Esta medida tem como principal objectivo implementar um perímetro de protecção para cada uma destas aldeias durienses, de forma a salvaguardar o seu valor paisagístico e patrimonial, evitando a sua descaracterização.
As zonas de protecção vão permitir, segundo a fonte da CCDR-N, uma «gestão coerente e articulada das envolventes» das seis Aldeias Vinhateiras, cujos projectos de requalificação se encontram em curso.
A fonte referiu que Provesende e Trevões aguardam a homologação do Ministério da Cultura, enquanto que as ZEP's de Barcos, Favaios, Salzedas e Ucanha, encontram-se em fase de estudo pelo Instituto de Gestão do Património Arquitectónico e Arqueológico (IGESPAR).
Dentro das ZEP's não poderão ser concedidas, pelo município nem por outra entidade, licenças para obras de construção e para quaisquer trabalhos que alterem a topografia, os alinhamentos e as cérceas e em geral a distribuição de volumes e coberturas ou o revestimento exterior dos edifícios sem prévio parecer favorável do IPPAR.
Todos os projectos de arquitectura referentes a obras nestes locais passam a ser da responsabilidades de arquitecto, enquanto que os imóveis passam a usufruir de uma zona de protecção de 50 metros, contados a partir dos seus limites exteriores.
Os comproprietários, o Estado (através do IPPAR) e o município gozam, pela ordem indicada, do direito de preferência em caso de venda ou dação em pagamento.
A rede de Aldeias Vinhateiras foi apresentada em Fevereiro de 2001, com o objectivo de fixar as populações, promover a dinamização sócio-económica dos aglomerados e divulgar o potencial turístico da região do Douro.
No entanto, na maior parte das localidades, as obras começaram apenas em 2005.
As obras em execução dizem respeito à requalificação de espaços públicos, com pavimentação, dotação e remodelação de infra-estruturas básicas, colocação de mobiliário urbano e a reabilitação dos edifícios-sede das juntas de freguesia e melhoria de acessibilidades.
Estão ainda a ser recuperadas fachadas e coberturas de edifícios particulares confinantes com a zona pública, num total de cerca de 470 imóveis beneficiados

Lamego:PSP promete mais policiamento na 5 de Outubro


Na sequência da reunião solicitada pela AEL ASSOCIAÇÃO EMPRESARIAL de LAMEGO e que teve lugar no passado dia 24 de Julho de 2007 com o Comando da Secção da PSP de Lamego e os dirigentes da AEL, Jorge Custódio, António Garcia e João Fernandes, teve o melhor encaminhamento pelas Chefias do Comando da PSP.
Em virtude das obras de requalificação da Av. 5 de Outubro, que em muito irão beneficiar a principal via da cidade de Lamego, desde que as obras começaram os comerciantes têm sentido alguma insegurança acabando por se verificar dois assaltos na Av. 5 de Outubro, o que motivou a Direcção da AEL solicitar a colaboração do Comando da Secção de Lamego da PSP no sentido de escalonar o policiamento nas zonas das referidas obras.
Assim a Direcção da ASSOCIAÇÃO EMPRESARIAL DE LAMEGO foi já notificada do empenho da Polícia de Segurança Pública em satisfazer as preocupações dos comerciantes daquela zona da cidade..
Segundo a direcção da AEL o reforçar do policiamento será um forte contributo para a segurança de pessoas e bens, mantendo a tradição de que Lamego é e será uma cidade acolhedora e tranquila.
Diz a AEL em comunicado enviado à nossa redacção que o Comércio Tradicional de Lamego sente-se mais motivado para fazer face aos mais diversos condicionalismos, não se sentindo abandonado como acontece em muitas e nas mais diversas situações tão desencorajantes para serem, eles mesmos uma alavanca para o desenvolvimento económico da Cidade e do Concelho de Lamego.

Noticia Rádio Douro Sul
Direitos reservados

quarta-feira, agosto 01, 2007

Lisboa: Vinhos e Espumantes do Douro enchem o Rossio


Mais de 4.000 pessoas visitaram no passado fim-de-semana, 28 e 29 de Julho, a Exposição “Máscara Ibérica” na Estação do Rossio em Lisboa. A enorme afluência registada desde que inaugurou este evento deveu-se em grande parte à promoção dedicada aos Vinhos e Espumantes do Douro que teve lugar no espaço “Douro Turismo”.

Durante os dois dias – sábado e domingo – participaram nas provas inúmeros visitantes, principalmente turistas estrangeiros que saborearam os espumantes das Caves da Raposeira e das Caves da Murganheira e os Vinhos do Porto da Ramos Pinto e Vinhos de Mesa da Quinta Nova do Carmo.

Realizou-se ainda um sorteio, tendo sido entregue, entre outros prémios, um voucher a um casal oriundo da Grécia, contemplado com um fim-de-semana no Hotel Rural Quinta Nova do Carmo, em pleno Vale do Douro.

A Mostra, para além da promoção turística da Região do Douro Sul em geral e da cidade de Lamego, em particular, trouxe à Baixa Lisboeta uma dinâmica cultural reconhecida pelos muitos visitantes da exposição e pela própria comunicação social que tem realçado tal facto.

Resende:Parque Eólico poderá render 3,1 milhões de euros ao Municipio


A Câmara de Resende anunciou ontem a abertura de um concurso público para alienar a sua participação no futuro parque eólico do concelho, numa operação que representará um encaixe financeiro imediato de 3,1 milhões de euros
O município de Resende deliberou em reunião de Câmara abrir um concurso público para alienar o direito sobre as acções respeitantes à participação de 15 por cento na «Empreendimentos Eólicos do Douro, S. A.», referente à construção do Parque Eólico da Lagoa de D. João e Feirão.
O concurso está já a decorrer e a entrega de propostas termina no dia 28 de Agosto. Com esta operação o município beneficiará de um encaixe financeiro imediato de mais de três milhões de euros, usufruindo ainda, durante 20 anos, de 2,5 por cento da facturação bruta anual do parque eólico (que se estima em cerca de 250 mil euros por ano) e da realização de obras de beneficiação das estradas concelhias, no valor de 700 mil euros.
Assim, nos próximos 20 anos (período de consecução deste projecto) o município de Resende beneficiará de cerca de 10 milhões de euros de receita, garantindo a sustentabilidade financeira da autarquia e permitindo a realização de novos investimentos para o concelho.
Para o presidente da Câmara de Resende, António Borges, “o objectivo é garantir sempre os princípios de eficiência e eficácia na gestão de todos os activos disponíveis, procurando a máxima rentabilidade e a sua aplicação em prol do desenvolvimento sustentado do concelho. Será também uma forma de resolver problemas dos resendenses e de realizar novos investimentos estruturantes”.
Recorde-se que o Parque Eólico da Lagoa de D. João e Feirão é o maior investimento alguma vez realizado no concelho de Resende, envolvendo cerca de 45 milhões de euros. O parque ficará situado na Serra de Montemuro, sendo constituído por 17 aerogeradores, esperando-se uma produção média anual de energia eléctrica cinco vezes maior que a média de consumo do concelho de Resende, o que revela a importância deste projecto para a própria economia nacional.
O novo parque eólico deverá estar concluído em meados de 2008, altura em que deverão ser realizados os primeiros ensaios com aerogeradores. Com a construção deste parque eólico, Resende não só passa a ser contribuinte das políticas nacionais na área das energias, como a sua população será beneficiária directa do projecto, dadas as contrapartidas resultantes das rendas pagas aos proprietários dos terrenos e às próprias juntas de freguesia onde se localizará o parque, num valor estimado em cerca de 400 mil euros anuais

terça-feira, julho 31, 2007

Barragem do Vilar: Um adulto e uma criança desapareceram ao inicio da tarde de hoje


Um adulto e uma criança desapareceram ao início da tarde de hoje nas águas da Barragem de Vilar, onde estavam a nadar com mais três crianças, que já foram resgatadas.

Segundo o comandante dos Bombeiros de Moimenta da Beira, José Requeijo, "um adulto e quatro crianças encontravam-se a nadar à beira da barragem, um bocado distantes dos vigilantes, quando as coisas começaram a complicar-se".

Foram resgatadas três crianças, conduzidas para o Centro de Saúde de Moimenta da Beira.

Continuam desaparecidos "um adulto com cerca de 40 anos e uma criança que terá entre quatro a sete anos", informou José Requeijo.

As buscas estão a ser realizadas por 19 homens e cinco viaturas dos bombeiros voluntários de Moimenta da Beira e de Sernancelhe.

Fonte do Centro Distrital de Operações de Socorro avançou ainda que "para o local foram também mobilizadas as equipas de mergulho de Viseu e Lamego".


23:30
Ao fim da noite, pelas 23.15 horas, foram encontrados os corpos do adulto, com cerca de 40 anos, e da criança, que terá entre quatro a sete anos.

Ricardo Magalhães defende intregação dos concelhos da área do Douro Internacional na Missão Douro


Os concelhos mais a norte que integram a área do Douro Internacional terão de fazer parte integrante da Missão Douro. Esta foi a vontade expressa por Ricardo Magalhães, chefe de projecto da Unidade Missão Douro (UMD), aos responsáveis autárquicos dos Municípios de Mogadouro e Miranda do Douro, durante uma reunião de trabalho que decorreu em Mogadouro e que juntou associações de municípios e autarcas da região do Douro.

De recordar que UMD foi criada por resolução do Conselho de Ministros, no passado dia 31 de Agosto de 2006 com a finalidade de preencher o vazio deixado pela extinção do Gabinete Técnico Intermunicipal do Douro Vinhateiro. Inicialmente a UMD só englobava os 13 concelhos que fazem parte do Alto Douro vinhateiro.

Ricardo Magalhães disse ao JN que “Faz todo o Sentido ligar o chamado Douro Vinhateiro com os concelhos que integram o Douro Internacional, já que há um elemento primordial de ligação que é o próprio rio. Agregando a paisagem natural do Douro Internacional com a paisagem mais humanizada e produtiva como é a da Região Demarcada do Douro, permitirá haver uma maior diversidade no contexto da promoção turística do Douro. Pelo que “ Não faz sentido esquecer o troço do Douro Internacional," referiu ainda Ricardo Magalhães ao JN.
A ideia de integração dos concelhos de Mogadouro e Miranda do Douro na UMD foi bem recebida pelos autarcas de ambos os concelhos ribeirinhos

A Região Demarcada do Douro vai transformar em Vinho do Porto 125.000 pipas em 2007


A Região Demarcada do Douro vai transformar em Vinho do Porto 125.000 pipas em 2007, mais 1.500 pipas em relação à última colheita, anunciou ontem o Instituto de Vinhos do Porto e Douro (IVDP). Mesmo assim está assegurada a manutenção dos preços
Em comunicado, enviado à nossa redacção o IVDP referiu que o valor definido para o benefício deste ano [quantidade de mosto que cada viticultor pode destinar à produção de Vinho do Porto] garante o total “escoamento” do vinho produzido e a sustentação dos preços a pagar à produção. A quantidade de vinho a beneficiar na próxima colheita, que se inicia em Setembro, foi decidida pelo IVDP depois de terem sido ouvidos os representantes do comércio, das adegas cooperativas e dos produtores-engarrafadores. Isto porque, refere o comunicado, embora a competência para a aprovação do comunicado de vindima seja do conselho interprofissional do IVDP - organismo composto por 12 conselheiros, seis representantes do comercio e igual número da produção - este ano “tal não foi possível porque a Casa do Douro inviabilizou a constituição daquele conselho, ao recusar-se, ao longo de quatro meses, a indicar os representantes da produção”. Reforça o comunicado que “Todavia, tal não impediu o IVDP de ouvir as profissões, através das organizações que quiseram transmitir as suas preocupações e expectativas para a presente vindima”, acrescentou o instituto.

De acordo com o IVDP, para o efeito, foram convidadas para uma primeira reunião as entidades que directa ou indirectamente teriam assento no conselho interprofissional, e que não tiveram qualquer responsabilidade na recusa da Casa do Douro em indicar os representantes da produção. Seguiu-se uma segunda reunião, para a qual foram convidados todos os membros do conselho, incluindo aqueles que entretanto, mas tardiamente, foram indicados pela Casa do Douro. “Embora todos tivessem sido convidados, só alguns quiseram comparecer e discutir o comunicado de vindima”, revelou o IVDP. Segundo o instituto, a preocupação “dominante” foi a de encontrar um número que, não só garantisse um coeficiente por hectare igual ou superior ao de 2006, mas que permitisse, simultaneamente, contrariar a descida de preços que se verificou entre as campanhas de 2002 a 2004, prosseguindo a política que vinha sendo adoptada pelo conselho interprofissional desde a vindima de 2004
O aumento de 1.500 pipas do volume total a produzir, comparativamente a 2006, traduz-se num ligeiro aumento dos coeficientes por hectare de cada letra, ainda que ligeiro, fruto do aumento de 147 hectares na área apta para a produção de vinho generoso comunicado pela Casa do Douro desde a fixação de benefício de 2006.
Estes valores correspondem a um aumento de 462 hectares nas letras A, B e C, e a uma diminuição de 315 hectares nas letras D, E e F, refere ainda o comunicado do IVDP.

segunda-feira, julho 30, 2007

Terminou ontem a Feira de Artesanato, Gastronomia e Vinho Verde de Cinfães


Terminou ontem, em Cinfães, a Feira de Artesanato, Gastronomia e Vinho Verde que decorreu durante o fim de semana naquele concelho. Mais de meia centena de stands deliciaram os visitantes com mostra de artesanato, doçaria, gastronomia, provas de vinho verde e muita animação, bailes populares e animação de rua para crianças.
No dia de ontem o destaque foi para os bovinos de raça arouquesa. Uma dezena de restaurantes e tasquinhas deram-lhe a primazia à mesa e as refeições naquele recinto versaram precisamente a carne daquele bovino.
Realce ainda para o certame com artesãos ao vivo e onde abundavam as mais variadas ofertas.
O ponto alto ocorreu na noite de Sábado com a actuação de Rita Guerra. Já na sexta feira o conjunto típico de António Mafra (agora renovado) tinha deliciado quantos acorreram ao recinto da Feira de Artesanato para ouvirem interpretar “arrebita, arrebita”, “o vinho da clarinha”, “o carteiro” e tantos outros temas, que tornaram aquele conjunto típico conhecido na década de 60.
A Feira de Artesanato, Gastronomia e Vinho Verde de Cinfães fez parte da programação de animação de Verão que o Município de Cinfães tem a decorrer na sede do concelho até 15 de Setembro.

Noticia Rádio Douro Sul
Direitos reservados

Clique para ver o video da Feira

quarta-feira, julho 25, 2007

Saneamento básico chega a pequenas povoações de Vila Nova de Souto d’El Rei



Foto
gentilmente cedida por Dr. Ricardo Pereira

As habitações dos Lugares de Barrigoso, Lanhosa e Juvandes, situados na freguesia de Vila Nova de Souto d’El Rei, vão ser servidas, pela primeira vez, por redes de saneamento básico, infra-estruturas que vão melhorar a qualidade de vida dos seus habitantes e tratar convenientemente os efluentes domésticos que serão conduzidos para o colector geral e em seguida encaminhados para as Estações de Tratamento de Águas Residuais (ETAR’s).
O alargamento da rede de saneamento básico a estas povoações, cujas obras no terreno devem começar em breve, inclui trabalhos de escavação, pavimentação dos arruamentos abrangidos pela intervenção, instalação de redes de abastecimento de água e de águas residuais e a construção de um reservatório de água com capacidade de armazenamento de 90 m3.
Esta empreitada será promovida pela Câmara Municipal de Lamego, a qual prevê ainda a construção de duas estações elevatórias de bombagem de águas residuais, a construção de duas ETAR’S compactas com capacidade total de tratamento para 340 habitantes, e de uma mini-ETAR com capacidade de tratamento para 15 habitantes.
Com a execução desta intervenção, a Câmara de Lamego visa mais uma vez dotar as zonas menos povoadas do concelho com infra-estruturas básicas adequadas. O preço base para a adjudicação pública desta obra é de 491.349,33 euros.

Peso da Régua assistiu ao Campeonato de Voleibol ao Ar Livre 2007

A Fase Final Nacional de Voleibol ao Ar Livre 2007, organizada pela Federação Portuguesa de Voleibol, em colaboração com a Câmara Municipal do Peso da Régua, disputou-se na Alameda dos Capitães, nos dias 14 e 15 de Julho.
Perto de duas centenas de atletas, repartidos por 16 campos, lutaram pelo título de campeões nacionais das respectivas categorias, sempre com alegria, entusiasmo e, sobretudo, fair-play.
Estiveram representadas as associações de Voleibol de Braga, Coimbra, Ilha de Santa Maria, Madeira, Porto, Viana do Castelo, Vila Real e Viseu.

Um honroso 4.º lugar no escalão Juniores para o Clube de Caça e Pesca do Alto Douro

A Câmara de Peso da Régua tornou publico um agradecimento especial a Federação Portuguesa de Voleibol e a todos os que tornaram possível a realização da Fase Final Nacional do Campeonato do Ar Livre 2007 naquela cidade duriense.
A Câmara Municipal do Peso da Régua viu consolidada a pretensão de continuar a receber provas do calendário nacional, reconhcendo, no entanto ser necessário, investir no desenvolvimento contínuo de condições para uma evolução maior, permitindo a afirmação de Peso da Régua como cidade anfitriã do desporto em Portugal


Fotos gentilmente cedidas por Emelinda Gonçalves

Câmara de Peso da Régua ocupa jovens com férias

O primeiro turno das Férias 100% decorreu de 2 a 13 de Julho e juntou cerca de 170 jovens, com idades compreendidas entre os 6 e os 16 anos. Esta é uma iniciativa da Câmara Municipal do Peso da Régua destinada a todos que quiseram ocupar os seus tempos livres da melhor forma.
O Campo de Férias está licenciado pelo Instituto Português da Juventude, a quem foi atribuído o Alvará n.º 401 para a organização de actividades desta natureza.
As 170 crianças que participaram no primeiro turno das Férias 100% promovidas pela Câmara Municipal do Peso da Régua não esquecerão tão cedo as divertidas experiências vividas durante este período de descanso escolar.
Foram quinze dias repletos de animação, brincadeira e muitas surpresas, sugeridas pela prática de múltiplas actividades, como orientação, piscina, ateliês, caminhadas, praia, internet, BTT, jogos, canoagem, música, expressões e visitas culturais, todas acompanhadas por monitores e técnicos municipais de Educação Física que supervisionaram de perto todas as brincadeiras e apoiaram os mais novos na aprendizagem de novos desportos, proporcionando um maior enriquecimento desportivo. A acompanhar as actividades está ainda uma profissional de saúde que assegura a prestação de cuidados de saúde e assegura, desta forma, uma resposta rápida e eficaz.
O primeiro turno terminou com uma festa preparada por todos os participantes e teve como convidados especiais os pais que, dessa forma, puderam avaliar de perto o resultado de quinze dias de actividade.

16 de Julho marcou o arranque do segundo turno das Férias 100%, desta vez, com a participação de cerca de 300 jovens.
Com o principal objectivo de incentivar ao convívio e alertar para os benefícios de uma prática desportiva regular, este projecto desenvolve-se em espaços como a Escola do 1.º CEB Peso da Régua N.º 3, Pavilhão Desportivo, Espaço Internet, Biblioteca Municipal, piscinas do Clube de Caça e Pesca do Alto Douro, praia de Espinho, ruas do Concelho e rio Douro. A participação é totalmente gratuita.
Visando o desenvolvimento integral dos jovens participantes, o programa das Férias 100% faculta aos pais o enquadramento dos seus filhos num projecto credível, seguro e com qualidade, possibilitando a sua valorização.
A ocupação saudável dos tempos livres constitui um contributo inequívoco para a formação e desenvolvimento dos jovens, constituindo ainda uma das medidas mais eficazes na prevenção de comportamentos de risco.

Com a iniciativa Férias 100%, a Câmara Municipal do Peso da Régua pretende proporcionar às crianças umas férias mais divertidas e saudáveis, permitindo o desenvolvimento do sentimento de grupo e das relações interpessoais e o incentivo à criatividade, bem como um maior enriquecimento cultural, factores determinantes para a sua formação integral.
A Câmara Municipal do Peso da Régua espera corresponder à confiança que os pais e encarregados de educação depositaram na organização das Férias 100%, na certeza de que tudo é feito para que esta iniciativa seja do agrado das crianças e jovens participantes.




Fotos gentilmente cedidas pelo
Gabinete de Imprensa
da Câmara Municipal de Peso da Régua

terça-feira, julho 24, 2007

“Máscara Ibérica” mostra-se ao mundo na Estação do Rossio


No coração da cidade de Lisboa, na emblemática Estação do Rossio, está patente ao público a exposição “Máscara Ibérica”, mostra dos ambientes e imagens dos rituais da Máscara que ainda hoje existem em Portugal e nas regiões espanholas da Galiza e Castilla & León. Os Caretos de Lazarim, símbolo de um dos Carnavais mais típicos do país que anualmente atrai milhares de curiosos àquela vila do concelho de Lamego, ocupam um lugar de destaque neste certame.
A cerimónia de inauguração da exposição “Máscara Ibérica”, realizada a 21 de Julho último, contou com a presença do secretário de Estado da Cultura, Mário Vieira de Carvalho, entre muitas outras personalidades, nomeadamente o Presidente da Câmara de Lamego, Francisco Lopes, e o Presidente da Região de Turismo Douro Sul (RTDS), Melchior Moreira.

Dezenas de máscaras originais, fatos e adereços usados nos rituais constituem a principal atracção do valioso espólio que os visitantes podem agora conhecer nesta exposição. Inserida nesta iniciativa, também está presente a maior mostra alguma vez apresentada ao público de “Máscaras de Lazarim”, algumas com mais de 50 anos. “Máscara Ibérica” divulga ao mundo e aos portugueses, alguns dos traços culturais ibéricos mais bem guardados, com rituais ancestrais que tanto têm de religioso e mitológico como de profano, qual tesouro esquecido. Para além da realização de um conjunto de iniciativas paralelas, que passam pela actuação de grupos tradicionais da Galiza, Zamora, Nordeste Transmontano e Lamego, este evento conta ainda com a participação de artesãos de diversos pontos da Península Ibérica que vão esculpindo ao vivo a madeira dando deste modo vida às máscaras.
O projecto “Máscara Ibérica” é uma iniciativa da Progestur, em parceria com a EGEAC e a Agência Baixa Chiado, com o apoio do Turismo de Portugal, Ministério da Cultura, Junta da Galiza, Junta de Castilla & Léon, Câmara Municipal de Lamego, RTDS, Junta de Freguesia de Lazarim, entre outros.

Fotos gentilmente cedidas por Dr.Ricardo Pereira