quarta-feira, dezembro 31, 2008



Gentileza em www.clickloco.com.br

Viseu: Fernando Ruas candidato a novo mandato à Câmara

O presidente da Câmara de Viseu, Fernando Ruas, envolveu-se numa acalorada discussão autárquica durante a última reunião de 2008 do órgão deliberativo, e deixou escapar o anúncio da sua recandidatura.



A determinado passo da discussão com a oposição, que criticava a política fiscal do executivo a que preside vai para 19 anos, sempre com maiorias, Fernando Ruas cansou-se e desabafou: "[...] Vamos ver, nas próximas eleições, se o povo gosta ou não do presidente da Câmara". E pronto. Estava anulado o eventual tabu de uma disputa eleitoral ainda não revelada mas há muito prevista.
O anúncio espontâneo confirmou, ainda que de forma informal, que Fernando Ruas está disponível para cumprir, caso seja essa a escolha dos viseenses nas Autárquicas de 2009, o sexto mandato na presidência da Câmara Municipal de Viseu (CMV) pelo Partido Social Democrata (PSD).
A discussão que fez Ruas revelar aquilo que provavelmente estaria a reservar para momento mais adequado e solene, versou matérias litigadas de forma recorrente entre a oposição e a maioria social-democrata. A força política que domina o executivo e a assembleia municipal. Na reunião de anteontem, foi aprovado por maioria, com os votos favoráveis do PSD e de dois presidentes de junta socialistas, o orçamento para 2009. O maior de sempre, no montante de 91 milhões de euros, 12% mais elevado que o de 2008.
Noticia JN de 30-12-08

Lamego:Cinco séculos do Bispado de Lamego em exposição até 30 de Janeiro

Dado o êxito da exposição “De 1500 à actualidade, Cinco Séculos da História do Bispado de Lamego”, a mesma reabrirá no próximo dia 6 e prolongar-se-á até 30 de Janeiro.

imagem em:www.cultura.sapo.pt


Patente no Museu Diocesano/Casa do Poço, a mostra resulta da colaboração entre Diocese e Museu de Lamego e pretende reflectir sobre o papel e o legado dos sucessivos prelados à frente dos destinos da Diocese de Lamego.
O Bispo D. João Camelo de Madureira, o mecenas que encomendou a Vasco Fernandes o fabuloso retábulo para a sua Sé, inaugura o percurso pelos últimos cinco séculos de Bispado em Lamego, uma história mais vasta que começou no séc. VI com D. Sardinário, o primeiro Bispo documentado para a sede lamecense.
A entrada é gratuita, de Terça-feira a Domingo, das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h00

Chaves:Sede da Fundação Nadir Afonso será construida até 2011

A sede da Fundação Nadir Afonso, um investimento de nove milhões de euros com projecto do arquitecto Siza Vieira, vai ser construída em Chaves até 2011 para homenagear o pintor e arquitecto flaviense, disse à Lusa fonte autárquica.





O projecto de arquitectura, obra que resulta de uma parceria entre a Câmara Municipal de Chaves e a Fundação Nadir Afonso, é apresentado a 16 de Janeiro, em Chaves, numa cerimónia que conta com a presença dos mestres Nadir Afonso e Siza Vieira.
Pintor, arquitecto e filósofo, Nadir Afonso Rodrigues nasceu em Chaves, a 04 de Dezembro de 1920, diplomou-se em Arquitectura na Escola Superior de Belas-Artes do Porto e, em 1965, abandonou definitivamente a arquitectura para se dedicar exclusivamente à criação da sua obra plástica.
O presidente da Câmara de Chaves, João Baptista, disse hoje à Agência Lusa que o concurso público para a obra será lançado após a apresentação do projecto de arquitectura, prevendo-se que a construção tenha início ainda durante o ano de 2009.
O autarca prevê que a obra da fundação esteja concluída em meados de 2011.
João Baptista referiu ainda que a autarquia e a Fundação Nadir Afonso apresentaram uma candidatura ao eixo nove do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN) no valor de nove milhões de euros, que inclui a aquisição dos terrenos, execução da obra e equipamentos.
A sede da fundação ficará inserida junto ao centro histórico de Chaves e irá garantir a requalificação da frente ribeirinha do Tâmega.
O edifício acolherá o espólio do artista e contribuirá para dinamizar a vida cultural da cidade transmontana apostando na captação de franjas distintas de públicos, organizando exposições temporárias e permanentes, atribuindo o prémio Nadir Afonso para trabalhos de investigação e de bolsas na área da produção artística e científica.
A fundação vai também organizar ciclos de cinema documental, workshops infanto-juvenis e cursos de Verão.
Entre os espaços que compõem o edifício da fundação destacam-se um auditório com capacidade para 100 pessoas, salas de exposições temporárias e permanentes, arquivo, biblioteca, cafetaria, atelier do Mestre Nadir Afonso, um outro de artes plásticas e loja.
João Baptista classificou o pintor como o "maior expoente vivo da cultura" de Chaves, cuja obra classifica como "reconhecida a nível nacional e internacional".
"Nadir Afonso é um símbolo, um exemplo que queremos preservar. A construção da sede é a forma de Chaves prestar tributo ao pintor", salientou.
O autarca considera ainda que a escolha de Siza Vieira para projectar a obra é "uma associação feliz", pois considera que o próprio edifício se transformará num ponto de atracção arquitectónico da cidade de Chaves.
João Baptista revelou ainda que a Fundação Nadir Afonso vai formar um "triângulo cultural" com o recém inaugurado Museu do Douro, no Peso da Régua, e com o Museu do Côa, que será construído em Vila Nova de Foz Côa.
A total propensão de Nadir Afonso para a pintura revelou-se aos quatro anos, em casa, quando traçou com tinta vermelha um círculo perfeito na parede da sala. Em 1934, realizou os primeiros trabalhos a óleo e, em 1938, ganhou o segundo prémio do concurso "Qual o mais belo trecho da paisagem portuguesa?".
Apesar de tirar o curso de arquitectura, não deixou de pintar e, na década de 40, começou a expor e a ter impacto junto da crítica.
Nadir tinha 24 anos quando uma das suas obras, "A Ribeira", deu entrada no Museu de Arte Contemporânea de Lisboa.
Em 1965, abandonou definitivamente a "penosa" arquitectura e desenvolveu estudos sobre a geometria, que considera ser a essência da arte. Então a sua vida passa a ser dedicada exclusivamente à criação de uma extensa obra plástica e teórica.
O responsável pelo projecto da sede da fundação Nadir Afonso, Álvaro Siza Vieira, é o arquitecto português mais prestigiado internacionalmente, tendo concebido projectos em numerosos países e obtido importantes prémios, com destaque para o Prémio Pritzker (1992), considerado o Nobel da Arquitectura

domingo, dezembro 21, 2008

Peso da Régua:Primeiro Ministro inaugurou Museu do Douro

O primeiro-ministro, José Sócrates, garantiu o apoio do governo ao Museu do Douro (MD), cuja sede inaugurou hoje, para que este se torne num equipamento que tenha uma oferta cultural de "primeiríssimo" plano em Portugal.



José Sócrates
diz que acompanhou os "11 longos anos" que foram necessários para chegar à inauguração da sede do MD, que representou um investimento total de 5,2 milhões de euros, co-financiados pelo Programa Operacional da Cultura.
A antiga Casa da Companhia, implantada em frente ao rio Douro, em pleno centro da cidade da Régua, foi invadida de convidados e curiosos ansiosos de verem por dentro um dos maiores e mais importantes investimentos feitos nos últimos anos no Douro.
Depois de ser recebido por um grupo de clarinetes e ao som do piano, o primeiro-ministro inspirou-se na beleza da paisagem duriense e salientou que a "ambição deste museu não é regional, mas nacional".
"É do Douro sim, mas é nacional. Este equipamento pretende afirmar o Douro no país mas quer também competir com a melhor oferta cultural internacional", sublinhou.
E é precisamente com base nesta ambição, de dotar o MD de uma "oferta cultural de primeiríssimo plano em Portugal", que Sócrates reafirmou todo o apoio do Governo a este equipamento cultural.
O MD foi criado em 1997 na sequência de uma lei aprovada por unanimidade na Assembleia da República, proposta pelo agora Governador Civil de Vila Real, António Martinho.
Este é o primeiro museu de território construído em Portugal, que vai funcionar de forma polinucleada, com sede na Régua e vários núcleos espalhados pela Região Demarcada do Douro.
Para uma primeira fase estão previstos 11 núcleos.
A sede do MD foi instalada no antigo edifício da Real Companhia Velha, adquirido pelo Ministério da Cultura em Junho de 2004, através da Direcção Geral do Património, por 1,7 milhão de euros.
A festa do MD começou com a inauguração das exposições "Barão de Forrester, Razão e Sentimento: Uma história do Douro" e do pintor Tito Roboredo.
O escocês Joseph James Forrester foi um percursor no desenvolvimento de estudos científicos sobre viticultura, fotografia cartografia, tendo sido o autor do primeiro mapa sobre a Região Demarcada do Douro.
A exposição revela obras, algumas das quais expostas pela primeira vez, que integram acervos nacionais e estrangeiros, particulares e públicos, e aborda momentos significativos da vida do empresário na comunidade britânica no Porto, bem como a sua participação na vida social e política portuguesa do século XIX.
Antes de chegar à Régua, José Sócrates passou por Sabrosa, para o lançamento da primeira pedra do Espaço Torga, um projecto do arquitecto Souto Moura que vai ser construído na terra natal do escritor, São Martinho de Anta, e que vai servir de homenagem a Miguel Torga

sexta-feira, novembro 28, 2008

Lamego:Jornadas discutiram novos tipos de violência doméstica

A emergência de novos tipos de violência doméstica, o seu enquadramento legal e as respostas sociais existentes no concelho de Lamego e no distrito de Viseu para combater os malefícios deste fenómeno estiveram no centro do debate das jornadas de prevenção dedicadas a esta problemática no Teatro Ribeiro Conceição/ Teatro Municipal de Lamego, na passada 4ªfeira.



Ao longo do dia, um vasto painel de oradores, oriundos de diversas áreas profissionais, debruçaram-se sobre o fenómeno da violência doméstica que constitui uma violação dos direitos humanos e das liberdades fundamentais e uma ofensa à dignidade humana, limitando o reconhecimento e exercício de tais direitos e liberdades.
Os principais destinatários deste encontro foram técnicos de intervenção social e de saúde, profissionais de educação, agentes das forças de segurança pública, entidades públicas e privadas, para além da comunidade em geral.
De acordo com as estatísticas disponíveis, a violência doméstica ocorre em todos os sectores da sociedade, sem distinção de classe social, grupo racial, nível económico, educacional ou religião.
Organizada pela Comissão de Protecção de Crianças e Jovens de Lamego, em parceria com a Câmara Municipal e a Lamego Convida, o 2º Ciclo de Jornadas de Prevenção “Violência Doméstica – Fenómeno Social” pretendeu encontrar respostas rápidas e adequadas às solicitações inerentes às problemáticas da violência doméstica.

terça-feira, novembro 25, 2008

Lamego:Teatro Ribeiro Conceição recebe prémio de Arquitectura "Alexandre Herculano"

O projecto de requalificação do Teatro Ribeiro Conceição/ Teatro Municipal de Lamego, inaugurado em Fevereiro último, foi distinguido com a atribuição de uma Menção Honrosa do Prémio Nacional de Arquitectura “Alexandre Herculano”, atribuída pela Associação Portuguesa dos Municípios com Centro Histórico. A cerimónia de atribuição do galardão decorreu na cidade de Viana do Castelo, a 22 de Novembro, tendo Manuel Coutinho, Vereador da Câmara Municipal de Lamego, recebido publicamente a Menção Honrosa das mãos de Elísio Summavielle, Presidente do IGESPAR – Instituto de Gestão do Património Arquitectónico e Arqueológico, o qual enalteceu a qualidade e o rigor da intervenção efectuada na mais bela sala de espectáculos da região duriense.
foto cedida por Ricardo Pereira

Os membros do júri do Prémio Nacional “Alexandre Herculano” decidiram premiar o projecto de renovação do Teatro Ribeiro Conceição, da autoria do Gabinete de Arquitectura de João Carreira, após a apreciação de várias candidaturas apresentadas por municípios portugueses, ponderando as suas vertentes arquitectónica, urbanística, construtiva e de inovação. A intervenção levada a efeito no Centro de Acompanhamento Temporário da Associação de Apoio à Criança de Guimarães também mereceu o reconhecimento público com a atribuição uma Menção Honrosa.
Recorde-se que a recuperação do Teatro Ribeiro Conceição foi promovida pela Câmara Municipal de Lamego, com o apoio do Programa Operacional da Cultura, no âmbito da qual foi garantida a preservação da fachada e decoração interior, inspiradas na arquitectura das grandes salas de teatro italianas, dotando, em simultâneo, o edifício com moderno equipamento audiovisual e sonoro. Neste momento, oferece uma programação cultural equilibrada e diversificada, pautada por critérios de qualidade e exigência, de modo a garantir que o equipamento adquira e reforce um prestígio cultural compatível com o estatuto de Imóvel de Interesse Público.
O Prémio de Arquitectura “Alexandre Herculano” é um dos mais importantes do género existentes em Portugal, tendo como objectivo seleccionar os melhores projectos de requalificação e revitalização dos centros históricos, quer no que se refere ao tecido urbano, quer quanto a intervenções em edifícios singulares

Lamego:D. Jacinto Botelho dá nome a Avenida de Lamego

No âmbito das Comemorações das Bodas de Ouro Sacerdotais de D. Jacinto Botelho, Bispo da Diocese de Lamego, a Câmara Municipal de Lamego atribuiu o seu nome à avenida situada entre o Largo Doutor Fernando Amaral e a Avenida Doutor Alfredo de Sousa. O descerramento da placa comemorativa que perpetua este acto simbólico decorreu em ambiente de festa, com a presença de individualidades religiosas e políticas e de muitos populares.

Foto cedida por Ricardo Pereira


A atribuição do nome “Avenida D. Jacinto Botelho” a um dos principais arruamentos da cidade de Lamego visa, segundo a autarquia, “elogiar o legado de um homem que serviu Lamego nas mais variadas missões e circunstâncias”, uma dedicação anteriormente já exaltada com a outorga da Medalha de Ouro da Cidade. E sublinha: “Como Homem e prelado sucessor dos Apóstolos foi sempre imbuído de um elevado espírito altruísta e de uma crença nas virtudes teologais, sendo um defensor dos ideais da fé e de outras verdades reveladas por Deus. A juntar a isto, constitui uma referência de Magistério e de Serviços de Fé numa cidade que não sendo capital de Distrito é a única sede de Diocese”.
D. Jacinto Tomás de Carvalho Botelho comemorou, durante o mês de Novembro, as suas Bodas de Ouro Sacerdotais, cujo programa de eventos culminou com a realização da homenagem simbólica promovida pela autarquia de Lamego em reconhecimento pela sua dedicação à cidade de Lamego, ao longo da sua caminhada sacerdotal.

Vila Flôr:Primeiro ministro oficializa hoje contratos do IP2 e do IC5

Os contratos para a construção das duas estradas mais aguardadas no Nordeste Transmontano, o IP2 e o IC5, vão ser oficializados, hoje, terça-feira, em Vila Flor, pelo primeiro-ministro, anunciou ontem o Governo Civil de Bragança.
A cerimónia vai contar também com a presença do ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, Mário Lino, e do secretário de Estado adjunto, Paulo Campos.

imagem em: www.radioansiaes.pt

O 1P2, que ligará o interior de Norte a Sul, e o IC5 que vai rasgar o distrito de Bragança, a sul, em direcção à fronteira, representam 261 quilómetros de novas estradas aguardadas há décadas nesta região.
A obra terá um custo próximo dos 700 milhões de euros, a cargo da empresa Estradas de Portugal (EP), um valor que contempla um subsídio de investimento de 46 milhões, de acordo com dados disponibilizados, na Internet, pelo Ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações (MOPTC).
O IP2 é o itinerário principal que há mais de duas décadas promete ligar o país de Norte a Sul pelo interior, mas no distrito de Bragança tem apenas construídos dois pequenos troços.
O primeiro foi implementado no final da década de 1980, a sul do distrito, no concelho de Torre de Moncorvo, e o segundo, mais recente, a Norte da região, entre Macedo de Cavaleiros e Valbenfeito.
A obra, que agora vai ser adjudicada, contempla 116 quilómetros que se estendem para além do distrito de Bragança até à Guarda, beneficiando os concelhos de Mirandela, Vila Flor, Torre de Moncorvo, Vila Nova de Foz Côa, Meda e Trancoso.
A esta estrada, considerada pelo ministério de Mário Lino "fundamental para o desenvolvimento do interior de Portugal", junta-se a outra, na mesma concessão, o Itinerário Complementar nº5, (IC5), aguardado desde a mesma altura.
A adjudicação desta estrada contempla 145 quilómetros entre os concelhos de Murça e Alijó, no distrito de Vila Real, e Mirandela, Carrazeda de Ansiães, Vila Flor, Alfândega da Fé e Mogadouro.
Segundo dados do MOPTC, estas duas estradas, que "vão melhorar a qualidade de vida de 330 mil pessoas", estarão concluídas em três anos, em 2011.
Para o distrito de Bragança, o IP2 e o IC5 garantem ligação a toda a rede viária nacional e a melhoria de acesso dentro da própria região, já que permitirão viajar em todas as direcções, entrecruzando-se com a principal estrada que atravessa o Nordeste Transmontano, o IP4
De acordo com as previsões do Governo, estas estradas vão estar concluídas em simultâneo com a auto-estrada transmontana, que equivalerá, na maior parte da sua extensão, à duplicação do actual IP4.

Lamego:o Fórum Temático – “ Hotelaria e Turismo do Douro – Que estratégia Empresarial?






Decorreu na passada sexta feira, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Lamego, o Fórum Temático – “ Hotelaria e Turismo do Douro – Que estratégia Empresarial?”, promovido pela Associação de Empresários de Hotelaria e Turismo do Douro (AEHTD). De salientar a presença quer de empresários de todo o concelho e zona duriense, em representação dos diversos sectores ligados ao turismo, restauração e hotelaria, quer de vários organismos formativos como a Escola de Tecnologia e Gestão de Lamego e a Escola Profissional de Hotelaria de Lamego.
Na Sessão de Abertura presidida pelo Presidente da Câmara Municipal de Lamego, Francisco Lopes, foi referido que o evento é um marco, num quadro de competitividade, para oferecer o destino Douro como um destino de excelência. Foi ainda mencionada da necessidade de equipamentos de apoio e acompanhamento para o desenvolvimento de competências, evitando erros clamorosos de internalização.
Os trabalhos foram moderados por Melchior Moreira, Presidente da Comissão Instaladora da Entidade Regional do Turismo Porto e Norte de Portugal e por Álvaro Bonito, Director da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Lamego.










Foram vários os intervenientes ligados ao turismo, restauração e hotelaria que, durante o dia, deixaram alguns pontos de referência a ser tidos em conta, pelos presentes, em acções futuras. Salientamos alguns desses pontos como síntese deste Fórum:
O Turismo de Portugal, representado por Nuno Madeira, sob o tema “ Novos desafios do Mercado Turístico”, referiu a importância de se fazer uma reflexão estratégica, atendendo a modelos de promoção interna e externa, ao posicionamento Inovador (estruturas de enquadramento/produtos e potencialidades),
O gastrónomo Virgílio Gomes, com o tema “Abordagem às questões da Qualidade na Restauração”, catalogou uma série de razões para se fazer o "upgrade" na prestação de serviços. Defendeu a arte gastronómica e a educação do gosto. Elencou os 10 pontos essenciais para uma gastronomia sustentada e referiu a importância dos processos e procedimentos da denominada “ Brigada de mesa”.
Em representação da ARESP, Suzana Leitão abordou o tema ”Higiene e Segurança Alimentar”. A importância do sistema HACCP, o Manual de Segurança Alimentar e códigos de boas práticas, a formação e supervisão, procedimentos seguros – registos, informar e certificar, foram temas referenciados como essenciais a toda estas áreas de Turismo. Referiu, ainda, que todo este trabalho tem sido desenvolvido pela ARESP e ASAE em parceria e trabalho em rede.
Outra das intervenções marcantes, foi a representante da CEO CLP Eventos, Linda Pereira, transmitiu a necessidade de pensar o “Destino Douro”.
D.Ovído Fernandez, Presidente da Federación Provincial de Empresários de Hostelaria y Turismo da Galicia, referenciou a “Importância das Estratégias empresariais e inter-regionais”. Apelou para o problema global das infra-estruturas e desenvolvimento em tempo de crise, das vantagens das pequenas empresas face à turbulência global, do potencial dentro da crise hoteleira – e a consequente baixa do consumo, das novas tendências do turismo – mais exigente.
Ana Jacinto, resumiu a nova legislação para empreendimentos turísticos, visando dar uma imagem de Legislação-simplificação. E abordou os regimes aplicáveis e a temática do alojamento local.
Manuel Melin, da MT Consultores Associados, deu uma panorâmica da análise de investimentos e financiamentos no turismo

Foram deixados alguns alertas: É urgente pensar em sinergias reais e não mero protocolo institucional As tecnologias de informação são uma realidade numa sociedade de conhecimento onde o "e-commerce" e o "e-marketing" são uma realidade; Há um mercado global real e mercados emergentes; falta de formação qualificada e motivada, visando vantagens competitivas e ética no turismo; falta de continuidade, articulação, planeamento; A organização centralizada e desconcentrada está sem estrutura e sem metodologia definida.
Em jeito de conclusões ficaram algumas ideias a ter em conta: a necessidade de pensar macro partindo do micro, informar o cidadão e o profissional, acreditar no associativismo, no trabalho, na capacidade de conhecimento, na criação de inter-relações com vista a ganhar dimensão, acreditar no nosso potencial diversificado e ser participativo – proactivo; assumir os paradigmas da gestão – eficiência, eficácia e qualidade, trabalhar mais em circuitos integrados e, sobretudo, que o líder do projecto é e deve ser sempre o empresário.

Ana Branca Soeiro de Carvalho

sábado, novembro 22, 2008

Lamego:EN2 renovada melhora circulação entre Lamego e freguesias de Penude e Magueija

fotos cedidas por Ricardo Pereira


No âmbito do plano de reabilitação e melhoramento das estradas e arruamentos do Município de Lamego que a Câmara Municipal tem em curso, encontra-se em fase de conclusão a requalificação do troço da Estrada Nacional (EN) 2 que liga o Escadório de Nossa Senhora dos Remédios e a Escola de Penude de Baixo. Antes da intervenção, o piso encontrava-se em mau estado, pelo que as obras vão tornar esta acessibilidade uma via mais atractiva, moderna e funcional.

























Para além da repavimentação do piso, a requalificação do troço da EN 2 contempla a renovação integral das infra-estruturas hidráulicas, eléctricas e de telecomunicações, a construção de passeios e a colocação de sinalização. A intervenção visa a melhoria da qualidade de vida dos moradores das áreas residenciais envolventes e proporcionar acessos de qualidade às unidades turísticas da zona e a algumas empresas do concelho, nomeadamente as “Caves da Raposeira”.
Esta empreitada representa um investimento total de 989.741,62 euros, mais IVA, tendo sido adjudicada à firma “Higino Pinheiro e Irmão, Lda”, desenvolvendo-se numa extensão aproximada de 2570 metros. Para a sua conclusão, falta apenas a requalificação, para breve, das ligações entre o antigo Matadouro de Lamego e o Escadório dos Remédios e do arruamento que une a Praça Dr. Fernando Amaral e a EN2, que serve as Piscinas Municipais.
A beneficiação da EN2 integra o plano municipal de recuperação de acessibilidades que se encontram degradadas e asseguram as ligações no interior do concelho. Neste caso específico, permitirá reforçar os índices de conforto e segurança nas deslocações entre a cidade de Lamego e as freguesias de Penude e Magueija. Recorde-se que o troço entre o Escadório de Nossa Senhora dos Remédios e a Escola de Penude de Baixo faz parte, desde 2005, da rede viária municipal do concelho de Lamego, tendo pertencido anteriormente ao Instituto de Estradas de Portugal.

quinta-feira, novembro 20, 2008

Lamego: Morreu ontem Rui Valadares, ex presidente da Câmara de Lamego

Com 59 anos faleceu ontem Rui Paulo Valadres Pintado. Internado numa unidade hospitalar da cidade do Porto, para tratamento de uma situação de doença delicada, acabou por falecer inesperadamente.
Rui Paulo Valadres foi presidente da Câmara de Lamego , cumprindo dois mandatos de 1989 a 1996. Antes, tinha exercido funções de Deputado na Assembleia da República. Actualmente era administrador da Resur-Gestão de Residuos e Higiene Lda.. Era membro da Assembleia Municipal de Lamego, pelo grupo parlamentar do Partido Socialista e era presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Lamego.
O seu corpo encontra-se em câmara ardente no Salão Nobre daquela Associação de onde saírá hoje, quinta feira, para o cemitério de Santa Cruz pelas 15h00.

terça-feira, novembro 18, 2008

Lamego: Câmara aceita património do exército para construir um novo Quartel do CTOE

Com a recente publicação em Diário da República da lista de edifícios militares a alienar pelo Estado, para a reorganização das infra estruturas do Exército Português, estão inscritos a Messe de Sargentos, instalada no Convento de S.Francisco, o quartel da Cruz Alta, ex quartel dos Comandos, a actual Messe de Oficiais, os terrenos do paiol, junto a Santa Cruz, bem como os terrenos da pista da carreira de tiro em Penude e o respectivo Quartel. Nesta listagem ficou apenas de fora o Convento de Santa Cruz, classificado como monumento nacional e destinado à instalação de um museu militar.


Francisco Lopes, presidente da Câmara de Lamego .Foto Rádio Douro Sul


Com a listagem publicada ficou a saber-se que o processo da reestruturação das infra estruturas das Forças Armadas Portuguesas é irreversível, o que trouxe para a discussão pública a possibilidade, ou não, do Exército sair de Lamego.
Ao que parece a Câmara de Lamego tem estado atenta ao desenrolar deste processo e como revelou o presidente da autarquia, Francisco Lopes, a Câmara não dormiu sobre o assunto e tem vindo a manter negociações com as chefias militares ao longo destes três anos e meio. Ao que tudo indica a Câmara de Lamego irá construir o novo quartel, recebendo em troca os edificios que o Exército colocou à venda em Lamego.
A localização do novo quartel será em Juvandes e caso as negociações com o ministério da Defesa decorram como o previsto e as parcerias público-privadas desenhadas se concretizem, o novo Quartel poderá conhecer a luz do dia dentro de quatro a seis anos.
Segundo ainda Francisco Lopes, a engenharia financeira que está pensada para financiar o novo quartel do CTOE de Lamego assentará numa parceria publico privada idêntica à que o Estado aprovou para a construção da Escola Prática da GNR
Recordamos que em 2004 o executivo liderado pelo socialista José António Santos, confrontado com a intenção do Exército sair de Lamego, encetou negociações com o Ministério da Defesa para uma solução que passava igualmente pela aquisição dos mesmos imóveis militares e a construção de um novo Quartel. Nessa altura, para a realização da operação, a autarquia pediu ao Ministério das Finanças uma autorização para o endividamento extraordinário do Município, que viria a ser recusada.
Com a entrada em funções do novo executivo liderado por Francisco Lopes, em finais de 2005,o processo foi retomado com novas soluções, que não passam pelo endividamento extraordinário da Câmara de Lamego, mas pelo estabelecimento de parcerias com privados, de reconhecida capacidade financeira.
O processo encontra-se agora na fase de negociações para encontrar parceiros privados dispostos a dar corpo à engenharia financeira desenhada para a construção do novo quartel do Centro de Tropas de Operações Especiais.
Durante a conferência de imprensa Francisco Lopes revelou ainda que em Janeiro do próximo ano abrirá em Lamego uma delegação do Centro de Recrutamento Militar do Exercito

segunda-feira, novembro 17, 2008

Vila Real: XI Congresso Nacional discutiu o futuro da Rádio em Portugal e o seu contexto na Internet

Terminou ontem, em Vila Real, o XI Congresso Nacional de Radiodifusão onde foi discutido o futuro da Rádio em Portugal e o seu contexto na Internet e uma das conclusões é que o futuro das rádios passa "inevitavelmente" pela Internet, um meio de evolução tecnológica que já foi adoptado por 80 por cento das rádios portuguesas, disse o presidente da Associação Portuguesa de Radiodifusão em declarações à inprensa.
José Faustino referiu que "o mundo está em completa transformação e as rádios, independentemente da crise e da situação adversa que vivem, têm que ter capacidade para se adaptar à Internet e à digitalização das emissões".
Estas são, segundo o responsável, as principais conclusões que se podem retirar do Congresso Nacional de Radiodifusão, que decorreu entre sexta-feira e hoje, em Vila Real.
Apesar de considerar que "ainda há muita coisa por definir relativamente ao futuro das rádios", José Faustino salientou que "a Internet é o futuro, mas é também já o presente".
"Mais de 80 por cento das rádios portuguesas têm uma presença muito forte na Internet", sustentou.
Em Portugal existem 243 estações de rádio.
Paula Cordeiro, professora auxiliar do Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas e investigadora do Centro de Administração de Políticas Públicas, considerou que este é um "momento de transição".
Defendeu uma aposta da rádio na Internet, devendo, na sua opinião, as rádios com emissões FM envolverem-se na reconversão dos recursos humanos.
Para além da formação contínua, a investigadora diz que as rádios devem apostar na rentabilização da produção que é elaborada em FM para on-line.
Carlos Marques, director comercial da Media Capital Rádios, defendeu que os recursos humanos deverão estar readaptados às novas tecnologias, avisando que a rádio on-line é um bom veículo para captar meios financeiros.
O jornalista da TSF João Paulo Meneses salientou que, dentro de 10 anos, a rádio "vai deixar de ser o que é".
Já Álvaro Sousa, director da Estação Orbital, considerou que a evolução no acesso dos conteúdos de rádio vai levar "certamente ao fim dos emissores actuais de FM".
Um dos exemplos de uma rádio que já transmite para todo o mundo através da Internet é a Universidade FM, localizada em Vila Real.
O director da Universidade FM, Luís Mendonça, referiu que a sua rádio marca presença na Internet desde 1999 e que o feed-back dos ouvintes chega dos mais diversos países, principalmente onde há mais emigrantes, como Suiça ou Luxemburgo, e "surpreendentemente" de brasileiros que acompanham as transmissões em directo dos jogos de futsal.
José Faustino afirmou ainda que, no congresso, "ficou definitivamente morto o sistema DAB".
"Ele não se impunha e ficou claro que ele não se desenvolve em Portugal. Iremos talvez para uma digitalização do FM. É mais um desafio que as rádios têm pela frente, o de digitalizar todo o sistema áudio que têm dentro da rádio e os próprios emissores", sublinhou.
Luís Del Amo Ruiz, subdirector técnico da Cadena SER, referiu que, em Espanha, o sistema DAB, "apesar das expectativas criadas", não teve grande aceitação por causa da qualidade do som.
Disse ainda que o DRM+ está a ser desenvolvido e poderá ser normalizado em 2009, considerando que se trata de um "sistema livre, que facilita a digitalização da rádio a nível local, regional e nacional".
Carlos Portugal explicou que a fraca adesão ao DAB se deve à "dificuldade dos fabricantes em colocar no mercado receptores a custos aceitáveis".

Vila Real: Dourogás e UTAD constroem primeira central de biometano em Portugal

A empresa Dourogas e a Universidade de Vila Real vão dar início à construção da primeira central de biometano no país, um substituto do gás natural em todas as suas aplicações, anunciou fonte da academia transmontana.

imagem em:www.dourogas.pt


O coordenador da Licenciatura em Engenharia de Energias da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), Nuno Afonso Moreira, disse hoje que foi aprovada uma candidatura no âmbito do Quadro de Referência Estratégica Nacional (QREN), no valor de 750 mil euros, que tem como "prioridade a criação das condições para a construção de centrais de produção de biometano em Portugal".

O biometano é o resultado da limpeza e purificação do biogás, produzido em estações de tratamento de águas residuais, aterros sanitários ou resíduos pecuários, podendo substituir o gás natural tradicional em todas as suas aplicações.

Nuno Moreira referiu que o projecto vai decorrer durante os próximos três anos, período durante o qual se pretende construir a primeira central de biometano do país.

Mas as previsões, segundo o investigador, apontam para a construção de 10 centrais, espalhadas por todo o país, cada uma dela com capacidade de produção de 60 Gigawatts (GW) por hora.

"O que representará um total de 600 GW/hora que corresponde a um por cento do gás natural que é consumido no país", salientou.

Na Alemanha já existem actualmente cerca de 200 centrais de biometano.




Doze investigadores principais da UTAD de áreas como as engenharias das Energias, Agrícola, Florestal, Zootécnica ou Biologia, vão trabalhar no projecto apoiados por técnicos e alunos.

Segundo Nuno Moreira, neste momento, estão 15 alunos de mestrado a trabalhar nesta área.

"O projecto, do ponto de vista científico, permite-nos explorar novas formas e técnicas de utilizar recursos para produzir energia limpa", sublinhou.

A Estação de Tratamento de Águas e Resíduos (ETAR) de Vila Real já está a produzir metade da energia eléctrica que consome através do aproveitamento de biogás proveniente da própria estação.

No entanto, segundo o coordenador, a solução daquela ETAR é tradicional, podendo ser alterada para uma melhor, uma vez que a eficiência do processo ronda os 50 por cento enquanto que, com o processo de biometano, poderá chegar aos 90 por cento.

S.Pedro do Sul: dia 24 abre Serviço de Urgência Básico

O Serviço de Urgência Básico de S. Pedro do Sul, um dos quatro que vão ser criados no distrito de Viseu, está pronto para entrar em funcionamento. "A abertura deverá acontecer no próximo dia 24", revelou o presidente da autarquia, António Carlos Figueiredo.
O SUB vai funcionar provisoriamente no edifício do actual centro de saúde, que sofreu obras de ampliação e beneficiação. "De pois passará para as futuras instalações, que deverão começar a ser construídas no início de 2009, na avenida nova, à entrada da vila", explicou o autarca.
O edifício onde o SUB vai agora abrir ao público, foi ampliado para poder comportar uma sala de observações e outros espaços, designadamente para os meios de diagnóstico que ali vão ser instalados.
O serviço de urgência vai ter em permanência dois médicos e dois enfermeiros, e cobrirá, além de S. Pedro do Sul, os concelhos de Vouzela, Oliveira de Frades e parte de Castro Daire.

domingo, novembro 16, 2008

Peso da Régua:Candidato Pedro Garcias propõe Loja do Viticultor na sede da Casa do Douro

Pedro Garcias, candidato à direcção da Casa do Douro (CD), quer transformar a sede da instituição numa Loja do Viticultor para o tratamento de todos os assuntos relacionados com a vinha e o vinho sem sair do mesmo edifício.





Pedro Garcias, viticultor e jornalista natural de Alijó, apresentou hoje oficialmente a sua candidatura à direcção da CD, cujas eleições decorrem a 01 de Fevereiro.

O candidato encabeça o movimento "Por uma Nova Vida para a Casa do Douro", que, segundo salientou "é económica e politicamente independente".

Uma das propostas reveladas por Garcias passa pela transformação da sede do organismo, localizada no centro da cidade do Peso da Régua, numa Loja do Viticultor, com modelo semelhante à Loja do Cidadão, dirigida aos produtores duriense.

A ideia passa por juntar no mesmo edifício os serviços do Instituto dos Vinhos do Douro e Porto (IVDP), do Instituto da Vinha e do Vinho (IVV) e do Centro de Estudos Vitivinícolas.

"É uma forma de facilitar a vida ao agricultor e ao mesmo tempo obter receitas porque os espaços seriam alugados", salientou.

A prioridade desta equipa será, segundo o candidato, precisamente o "saneamento financeiro" do organismo duriense, que actualmente possui uma dívida "superior aos 100 milhões de euros" ao Estado e à banca.

"É uma dívida colossal", frisou.

Para ultrapassar a asfixia financeira da instituição, Pedro Garcias defende "acordos de regime" com o Estado, IVDP e adegas.

Uma das ideias é, por exemplo, refrescar os vinhos da CD e ir colocando-os faseadamente no mercado aproveitando os vinhos novas das adegas.

"Seriam acordos de 20 ou 30 anos porque uma dívida desta dimensão e cerca de 10 milhões de litros de vinho não se paga ou vendem em poucos dias", referiu.

Se for eleito, o candidato quer ainda alienar da participação da CD na Real Companhia Velha (RCV), designadamente os 40 por cento adquiridos no início da década de 90.

Pedro Garcias salientou a importância "histórica" do cadastro da CD, e refere que o organismo tem que "conseguir negociar" uma prestação de serviços pagos pelo IVDP.

Para gerar mais receitas para a instituição representativa dos viticultores durienses, Garcias avança com novos serviços que a CD pode realizar como a elaboração de projectos para a reestruturação das vinhas ou para a candidatura aos apoios agro-ambientais.

"Temos que reforçar a confiança na CD. A partir desse momento as pessoas e os credores estão dispostos a negociar", sublinhou.

António Gouveia, antigo presidente da Câmara de Vila Nova de Foz Côa, encabeça a lista de Garcias para o Conselho Regional de Viticultores e o antigo governador civil de Vila Real, o socialista Artur Vaz, foi convidado para a Comissão de Fiscalização.

O jornalista conta ainda com o apoio de autarcas como o presidente da Câmara de Alijó, Artur Cascarejo (PS), ou António Lima Costa (PSD), presidente da Câmara de São João da Pesqueira.

O ainda presidente da CD, Manuel António Santos, eleito pela primeira vez em 1999, já disse que vai tomar uma decisão sobre a sua recandidatura "em breve".
Noticia: www.noticias.sapo.pt

quinta-feira, novembro 13, 2008

Vila Real:Futuro da rádio em debate este fim de semana em Vila Real

O futuro das rádios está em cima da mesa a partir desta sexta-feira no Congresso Nacional de Radiodifusão que decorre em Vila Real, onde serão debatidos temas como a digitalização e a regulação.

"Escolhemos para debater neste congresso assuntos que têm que ver com o futuro das rádios e em que as rádios têm que pensar bem para ver como dar continuidade a algumas e enfrentar de novo outras", disse à Lusa José Faustino, director da Associação Portuguesa de Radiodifusão (APR).

"A Regulação da Rádio na Era Digital" - "muito importante no presente e no futuro" - é um dos temas em debate.

O assunto ganha maior importância tendo em conta que »o mundo é uma aldeia global onde a informação circula com grande rapidez e onde já se fala do cidadão jornalista«.

«Há total liberdade de informação na Internet, sem qualquer regulação, e uma regulação excessiva imposta aos meios tradicionais. Queremos tentar perceber se a regulação não colocará os meios tradicionais em desvantagem face aos novos meios», referiu José Faustino.

A "Rádio na Internet - Ilusão e Realidade" é outro dos temas que irá reunir vários especialistas em Vila Real
"As emissões de rádios tradicionais na Internet e as 'webradios' são uma realidade. Agora interessa analisarmos se o conceito é o mesmo nas duas e se a aposta na Internet é um bom negócio", mencionou o presidente da APR.

Com a chegada da televisão digital, a digitalização da rádio voltou a estar na agenda, e como tal será debatida durante o congresso.

"Em Portugal há uma rede de DAB (Digital Audio Broadcasting), concessionada à Rádio Difusão Portuguesa (RDP) que não tem aceitação do mercado. Tendo em conta que vem aí a TV digital, temos de pensar que papel caberá aos operadores na implementação desta nova tecnologia e se será isto uma ameaça ou uma oportunidade para as rádios", explicou José Faustino.

A tendência para a convergência dos meios de comunicação é outro tema em análise
"É inegável a tendência tecnológica para a convergência. Há quem diga que as plataformas tecnológicas irão acompanhar esta tendência, mas há quem defenda o contrário. Pretendemos analisar se os novos meios e novos conteúdos devem convergir na mesma marca, com plataformas diferentes, ou se cada meio divergirá por si", explicou.

José Faustino deu um exemplo: "uma rádio que tem um bom site, com boa informação escrita deve continuar a ter a marca da rádio ou deve ser um meio novo, completamente à parte?".

Fora do congresso ficam temas como a nova lei da rádio e as quotas de música, »mas isso não significa que tenham perdido importância ou actualidade«.

Em simultâneo com o congresso, que termina domingo, decorre uma feira com mostras de equipamentos, tecnologias e serviços para radiodifusão.

Noticia in: Diário Digital

Lamego: Câmara de Lamego preocupada com a possível venda da Raposeira

Considerando o teor das notícias que têm vindo a ser veiculadas nos órgãos de Comunicação Social, envolvendo a Sociedade Lusa de Negócios (SLN) e de que resultou a nacionalização do Banco Português de Negócios (BPN), a Câmara Municipal de Lamego, manifestou publicamente, através de um comunicado emviado à nossa redacção, a sua preocupação pelos interesses representados pela referida sociedade na nossa região.
imagem em:www.vinhasdodouro.com.br

Como é do conhecimento geral, a Sociedade Lusa de Negócios é accionista maioritária das Caves da Raposeira, empresa nascida em Lamego por mãos de Lamecenses e pioneira na produção de espumante, tendo sido aqui, em Lamego, nas Caves da Raposeira, no ano de 1898, que pela primeira vez se produziu espumante em Portugal.
Segundo refere o comunicado da Câmara de Lamego “a Raposeira, é hoje, uma marca identitária de Lamego, de elevado prestígio nacional e de reconhecimento mundial, que nos últimos anos tem vivido algumas angústias existenciais, tendo passado por uma fase atribulada e decadente enquanto esteve entregue a um grupo económico que mantinha a produção sem que fossem adquiridas uvas na região, colocando em causa a sobrevivência dos pequenos viticultores locais e diminuindo o seu quadro de pessoal, pressentindo-se, agora, de novo, o aguçado apetite predador de grandes grupos económicos nacionais e estrangeiros, como foi o caso da tentativa de compra por um grupo italiano, em 2001, cujo objectivo de negócio consistiria apenas no registo do nome Raposeira, encerrando as suas portas em Lamego, com todo o processo de produção efectuado a partir de Itália”.
O mesmo comunicado refere ainda que “o espectro da transferência de propriedade paira novamente sobre as Caves da Raposeira, que, para a sua produção de espumante, acolhe as uvas de cerca de 400 viticultores da região, tornando-se este facto um importante e sustentável contributo no desenvolvimento económico e social do concelho de Lamego, quer no escoamento das uvas produzidas pelos viticultores locais, quer na manutenção dos postos de trabalho na empresa".
A concluir a Câmara Municipal de Lamego, diz “estar a acompanhar a par e passo todo o desenvolvimento desta situação, não se coibindo de intervir, se for esse o caso, na defesa e salvaguarda dos legítimos interesses da região e de um nome – Raposeira -que é uma referência nacional e internacional da cidade".

Francisco Lopes, presidente da Câmara de Lamego referiu à Rádio Douro Sul que "o comunicado visa sossegar a população em relação a esta importante empresa radicada em Lamego há 110 anos".
O presidente da Câmara de Lamego, Francisco Lopes, disse ainda à Rádio Douro Sul que o seu exectuvo já está no terreno para sensibilizar as várias partes intervenientes no processo
Apesar do ministro das Finanças, Teixeira dos Santos, ter anunciado que a nacionalização do BPN não implicava que as empresas da SLN seriam abrangidas, sabe-se, no entanto, que alguns activos da holding SLN irão ser objecto de alienação e entre esses activos poderá estar a Raposeira. É nesse contexto que a Câmara de Lamego quer intervir no sentido de sensibilizar e poder vir a ajudar numa solução que permita que a Raposeira fique em mãos que assegurem a sua permanência em Lamego, como nos referiu o presidente da Câmara.
A Cãmara de Lamego, através do seu presidente, assegura que está neste processo com os 400 viticultores do concelho, que fornecem a matéria prima à Raposeira, bem como com os seu accionistas minoritários, administração da empresa e a SLN, por, segundo Francisco Lopes, ser essa uma obrigação da Câmara para com a região e uma marca como é a Raposeira identificativa da cidade.
Francisco Lopes revelou ainda à Rádio Douro Sul que a Câmara Municipal de Lamego está neste processo muito para além da simples solidariedade, admitindo "a possibilidade de intervir no negócio".

terça-feira, novembro 11, 2008

Douro Alliance: concurso "Laboratório de Ideias e Projectos"

A Douro Alliance lançou hoje o concurso "Laboratório de Ideias e Projectos" que visa seleccionar ideias inovadoras e projectos-piloto para potenciar e desenvolver o eixo urbano Vila Real, Régua e Lamego.
imagem em: www.diariodetrasosmontes.com


A Douro Alliance, que foi criada há meio ano, pretende transformar as três cidades num pólo urbano com mais massa crítica e capacidade de desenvolvimento.
Conceição Silva, a coordenadora do Gabinete Técnico do projecto, referiu que as candidaturas têm que ser entregues até 05 de Dezembro e que o concurso irá premiar, com seis mil euros, os três melhores projectos que contribuam para o desenvolvimento deste eixo urbano.
Adiantou que serão seleccionadas as ideias e projectos que "proponham a utilização das tecnologias de informação e comunicação como veículo de divulgação e trabalho, procurando estimular a inovação das actividades e dos agentes".
O professor da Universidades de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), Fontaínhas Fernandes salientou que o concurso assenta em quatro "prioridades estratégias", nomeadamente a identidade do eixo, promoção do desenvolvimento sustentável, reforço da atractividade e competitividade e promoção da criatividade e inovação.
O "Laboratório de Ideias e Projectos", que está aberto a todos os cidadãos maiores de idade, é financiado pela Polis XXI e dinamizado pela empresa Vinideias.
A Douro Alliance está também a contactar todas as escolas secundárias das três cidades do eixo com vista ao lançamento de um outro concurso que pretende envolver a comunidade estudantil no projecto.
As candidaturas ao concurso "Cidade do Douro/Cidade do Mundo. Que desafios?" têm que ser entregues até 10 de Dezembro e o objectivo é que jovens, principalmente das áreas de geografia e economia, criem cenários futuristas de cooperação para o eixo.
Os alunos, que têm que ter menos de 19 anos e se poderão juntar em grupos de quatro, poderão ganhar até 1.200 euros e a escola.
A Douro Alliance é constituída pelas autarquias de Vila Real, Peso da Régua e Lamego, todas com liderança social-democrata, pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), as associações comerciais e industriais de Vila Real e do Peso da Régua e as associações empresariais de Lamego e a Nervir (Vila Real).
As três cidades, que distam entre si não mais de 30 quilómetros, ligadas pela Auto-estrada 24, têm cerca de 100 mil habitantes, dos quais 51 mil residem nas sedes de concelho.
A Douro Alliance apresentou, em Outubro, uma candidatura ao Quadro de Referência Estratégico (QREN) que tem em vista a concretização de um plano estratégico.
Alguns dos projectos incidem sobre a mobilidade entre as três cidades, nomeadamente a criação de uma rede de transportes que una as três cidades, ou uma agenda cultural comum.
O "Douro Alliance" foi um dos cinco projectos apoiados pela Direcção-Geral do Ordenamento do Território e Desenvolvimento Urbano (DGOTDU) a nível nacional, com 100 mil euros, entre 26 candidaturas.

Vila Real: UTAD referendo interno aprovou praxe


Cerca de noventa por cento dos 1.667 alunos da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), que votaram no referendo interno que decorreu ontem, estão a favor da praxe nos moldes como ela se faz actualmente.
O Conselho de Veteranos da UTAD chamou os alunos a responder à questão "Concordas com a existência, regulamentação e fiscalização da praxe académica na forma em que se encontra no código de praxe?".
Paulo Rosa Santos, o "venerável ancião" do Conselho de Veteranos, disse à Lusa que votaram no referendo interno 1.667 dos cerca de 6.000 alunos que estudam na academia transmontana.
Noventa por cento votaram sim, 9,84 por cento responderam não e menos de um por cento de votos foram brancos ou considerados nulos.
Paulo Rosa Santos explicou que, com esta iniciativa, se pretendeu mostrar a posição dos estudantes universitários relativamente a uma delimitação ao tempo e locais onde decorre a praxe. O responsável critica a diminuição do "período de praxe", salientando que "não haverá tempo para a realização de todas as tradicionais actividades que servem para a integração dos novos estudantes".
Referiu ainda que, para além do 'campus', os actos de praxe também decorrem na cidade o que, na sua opinião, também serve para integrar e dar a conhecer a mesma aos caloiros.
Os resultados do referendo serão entregues à Reitoria e ao Conselho Geral da UTAD

quinta-feira, novembro 06, 2008

Douro:Conselho de Viticultores da Casa do Douro reúne sábado para agendar as eleições



O Conselho de Viticultores da Casa do Douro (CD) reúne sábado para agendar as eleições para o organismo representativo da lavoura duriense, disse hoje à Agência Lusa o presidente do conselho.
Miguel Videira referiu que, como se trata de uma segunda convocatória, a reunião do Conselho de Viticultores poderá decorrer mesmo que só estejam presente um terço dos 125 conselheiros.
A 25 de Outubro, o órgão não se chegou a reunir por falta de quórum, já que não compareceram metade dos 125 conselheiros como estipula o regulamento.
Para além de serem analisadas as propostas de datas para a realização das eleições, a direcção da CD vai ainda apresentar no sábado aos conselheiros uma proposta apresentada pela Real Companhia Velha (RCV) com vista ao acerto de contas com esta empresa.
Segundo Miguel Videira o conselho poderá também ajudar a esclarecer a questão da representação da produção no Conselho Interprofissional do IVDP.
Os elementos da produção, representada pela CD, saíram do Conselho Interprofissional por faltas, tendo depois colocado o lugar à disposição.
O mandato da direcção da CD, liderada por Manuel António Santos, terminou em Março, mas segundo Miguel Videira, o conselho resolveu adiar a marcação das eleições porque decorriam negociações de muita importância para o organismo duriense.
O conselho encarregou a direcção de tentar levar até ao fim os dossiers da venda da participação da CD da venda da RCV e o acerto de contas e desacertos com esta empresa que já vêm de há 18 anos.

foto em: www.maraoonline.com


Por causa do adiamento do Conselho de Viticultores em Outubro, o candidato à Casa do Douro, o jornalista e viticultor Pedro Garcias, apelou a uma intervenção do Governo e do Ministério Público.
"Apelo ao Governo e ao Ministério Público, que, em nome do interesse público, tomem em mãos este processo, destituam os órgãos sociais da CD e nomeiem uma comissão administrativa idónea para tomar conta da instituição e marcar o mais rapidamente possível eleições", afirmou na altura à Agência Lusa.

foto em: www.semanariotransmontano.com

Por sua vez, o presidente da CD, Manuel António Santos, garantiu que "ninguém está a recusar marcar eleições".
Acrescentou que a direcção da CD propôs a realização do acto eleitoral a 30 de Novembro, a 07 ou a 14 de Dezembro.
No entanto, sublinhou que todo o processo depende de uma comissão eleitoral, eleita pelo próprio conselho, que recebeu muitos apelos para que não se misturasse a época natalícia com o período eleitoral.
O presidente referiu ainda que, só após ser anunciada a data para a eleição da CD, é que se irá pronunciar sobre a possibilidade de se recandidatar ou não ao cargo que ocupo desde 1999.

Vinho: Associação de Municípios Portugueses do Vinho escolhem em Dezembro primeiro concelho "Cidade do Vinho"

O secretário-geral da Associação de Municípios Portugueses do Vinho (AMPV), José Arruda, disse hoje à agência Lusa que será anunciado em meados de Dezembro o concelho que irá ostentar pela primeira vez o título "Cidade do Vinho".
"Vamos criar o título 'Cidade do Vinho Ano 2009'. Estamos a aceitar propostas e já temos candidaturas de municípios do Douro, do Ribatejo e Oeste e do Alentejo", disse José Arruda, à margem da apresentação da conferência e projecto "Vinopolis".
Segundo o secretário-geral, a cidade escolhida vai acolher ao longo do próximo ano várias iniciativas de promoção do vinho, nomeadamente feiras e concursos.
A AMPV foi criada em Abril de 2007, na sequência de um desafio lançado pelo presidente da Câmara do Cartaxo, Paulo Caldas, a cerca de 20 outros municípios.
A associação tem actualmente cerca de 70 municípios associados, todos eles com "forte dependência económica da viticultura" e interessados em promover e valorizar este sector, em complemento com outros sectores próximos, como o turismo, cultura, comércio e promoção de recursos naturais.
A AMPV apresentou hoje, no Porto, o programa da conferência de abertura do projecto "Vinopolis - Cooperando através da cultura para uma cidadania activa", que vai decorrer dias 10 e 11 em Lamego.
Este projecto, apoiado pela União Europeia através do programa "Europa para os Cidadãos", visa "promover um espaço de reflexão, de diálogo e de união entre as diversas regiões vitivinícolas europeias e os seus cidadãos".
O "Vinopolis" conta com a participação de 18 municípios economicamente dependentes da actividade vitivinícola e ligados entre si por acordos de geminação, tendo como objectivo final a "criação de uma rede de informações e comunicação entre os municípios geminados que vise a consolidação das parcerias já existentes e a simplificação de novas parcerias e projectos comuns entre os vários municípios".
A participação portuguesa abrange os municípios de Arruda dos Vinhos, Batalha, Cadaval, Cartaxo, Lamego, Marco de Canaveses, Moura, Sabrosa, Santarém e Ponte da Barca.
José Arruda referiu que a conferência de Lamego vai reunir cerca de 70 participantes, estando previstas intervenções de Jean Paul Angers, secretário-geral da Assembleia das Regiões Europeias Vitícolas (AREV), Floriano Zambon, presidente da Rede Europeia de Cidades do Vinho (Recevin), e Paolo Benvenuti, presidente da Associação Internacional Rota do Vinho.
A conferência "Vinopolis" terá ainda a presença de Eduardo Cabrita, secretário de Estado Adjunto e da Administração Local, António José Seguro, presidente da Comissão de Educação e Ciência da Assembleia da República, Margarida Marques, chefe da Representação da Comissão Europeia em Portugal, e de Vasco d'Avillez, presidente da Viniportugal

sexta-feira, outubro 31, 2008

Douro: ADVID quer "cluster" para promover projectos e tirar partido do QREN

imagem em:www.1.bp.blogspot.com

A Associação para o Desenvolvimento da Viticultura Duriense (ADVID) quer transformar-se num grande 'cluster' para a investigação e desenvolvimento da fileira da vinha e do vinho, congregando todos os agentes da Região Demarcada do Douro.
“Trata-se de uma iniciativa consensual de investigação e desenvolvimento, sem precedentes no sector português do vinho”, afirmou em comunicado o presidente da ADVID, José Sousa Soares.
O responsável referiu que a Associação apresentou uma candidatura ao Ministério da Economia e Inovação para obter o reconhecimento do 'cluster' como Estratégia de Eficiência Colectiva.

O objectivo é tirar partido dos incentivos do Quadro de Referência Estratégia Nacional (QREN) que são mais favoráveis quando é reconhecida uma lógica de 'cluster' que, neste caso, representa uma concentração dos mais diversos agentes ligados à fileira vitivinícola duriense.

José Sousa Soares referiu que, com esta iniciativa, a Associação quer promover projectos de investigação e desenvolvimento, focados na criação de valor para o negócio do vinho numa região classificada pela UNESCO como património da humanidade.

O 'cluster' possui um “ambicioso” plano de acção a médio prazo que desenvolverá temáticas como a adaptação da cultura às alterações climáticas, a preservação da variabilidade genética das castas de videira nacionais e a zonagem, uma cartografia tridimensional dos potenciais vitícolas e enológicos de toda a região.

A associação pretende rentabilizar os meios já existentes e cooperar na utilização dos que venham a ser criados (pólos de competitividade, parques tecnológicos) no sentido de gerar maior valor acrescentado, numa perspectiva de sustentabilidade para o negócio do sector.

A Associação congrega empresas exportadoras, sociedades vitivinícolas, produtores-engarrafadores, adegas cooperativas, associações sectoriais, organismos reguladores, universidades nacionais e estrangeiras, empresas metalúrgicas, biotecnológicas, consultoras agrícolas ou viveiristas.

A Associação foi fundada em 1982 e o seu orçamento é financiado totalmente pelo sector privado.

Associou-se à Rede Nacional de Selecção da Videira, que junta 16 entidades de todo o país, contribuindo para a selecção clonal da casta Touriga Nacional, salvando-a da quase extinção em que se encontrava no início dos anos 80.

VILA REAL: XI Congresso Nacional de Radiodifusão decorrerá de 14 a 16 de Novembro

imagem em: www.apradiodifusao.pt
Vai decorrer em Vila Real nos dias 14, 15 e 16 de Novembro, o XI Congresso Nacional de Radiodifusão, este encontro tem por objectivo reunir o maior número de empresas de radiodifusão do país, procurando criar um amplo e participado espaço de debate. O início dos trabalhos está agendado para dia 15 de Novembro – Sábado – pelas 10h00, no Teatro de Vila Real, sendo a sessão de abertura do Congresso presidida pelo Ministro dos Assuntos Parlamentares, Augusto Santos Silva, que tutela a pasta da Comunicação Social.
Quanto aos trabalhos do Congresso, destinado à discussão de algumas das temáticas de maior destaque e importância para o futuro do sector, debaterá os seguintes temas:
“Rádio na Internet – Ilusão e Realidade”
“A Regulação da Rádio na Era Digital”
“Digitalização da Rádio – Ameaça ou Oportunidade”
“Novos Meios, Novos Conteúdos – Convergência ou Divergência?”

Paralelamente ao Congresso, decorrerá uma feira de exposições de equipamentos e serviços para radiodifusão, no Pavilhão da Associação Empresarial da NERVIR, a inauguração da feira está marcada para dia 14 – sexta-feira – às 21h00, numa cerimónia que conta com a presença do Governador Civil de Vila Real, António Martinho.
Várias empresas garantiram já a sua presença nesta iniciativa.
A edição deste ano do Congresso volta a estar aberta à participação de todos os interessados – estudantes, especialistas e estudiosos do sector e de matérias relacionadas com o meio rádio.
Para mais pormenores sobre o Congresso, nomeadamente para aceder à ficha de inscrição e outros elementos sobre esta iniciativa, pode ser consultado o portal da Associação Portuguesa de Radiodifusão, em HYPERLINK "http://www.apradiodifusao.pt" www.apradiodifusao.pt
A organização, pretende ainda com este Congresso dar a conhecer aos participantes a região duriense e nesse sentido, conta para além do apoio da autarquia de Vila Real, com os apoios das autarquias de Sabrosa e Lamego onde vão ser realizada duas refeições.

Lamego:Presidente da Câmara desmente que alunos estejam a ter aulas em contentores

O presidente da Câmara Municipal de Lamego nega a notícia avançada pelo Sindicato dos Professores da Região Centro. Francisco Lopes garante que não há alunos do primeiro ciclo a terem aulas em contentores.
O Sindicato dos Professores da Região Centro denunciou na quarta-feira que alguns estudantes do primeiro ciclo de vários concelhos da região de Lamego estão a ter aulas em contentores de dimensão muito reduzida.

Mas o presidente da Câmara Municipal de Lamego, Francisco Lopes, garante que é mentira e assegura que os alunos do primeiro ciclo estão em escolas com «perfeitas condições, aprovadas pela DREN (Direcção Regional de Educação do Norte)».

«É mentira aquilo que foi vinculado. Temos o ensino superior e o ensino profissional em contentores, mas não temos o primeiro ciclo em contentores de maneira nenhuma», esclareceu Francisco Lopes.

Para além do caso de Lamego, o Sindicato dos Professores da Região Centro denuncia também irregularidade nos concelhos de Cinfães e de Aveiro.
Notícia TSF

Vila Real: Quercus e movimento cívico contra traçado da Auto Estrada Transmontana

iamgem em: www.diariodetrasosmontes.com

A Quercus e o movimento cívico "Cidadãos por Vila Real vão apresentar uma queixa à Comissão Europeia contra o traçado da Auto-estrada Transmontana que atravessa Rede Natura 2000 junto àquela cidade e vai custar 100 milhões de euros.

"Face à teimosia do Governo, que ignora as questões ambientais e económicas, vamos avançar com uma queixa para a Comissão Europeia, que é quem financia parte da obra", afirmou hoje à Lusa o dirigente da associação ambientalista, João Branco.

Menos de uma semana depois de o Governo ter anunciado a concessão da Auto-estrada Transmontana ao consórcio liderado pela Soares da Costa, representantes da Quercus e do movimento cívico reuniram, quarta-feira à noite, para "redefinir estratégias" contra o traçado a sul da cidade de Vila Real.

Em paralelo, a Quercus mantém a intenção de uma acção judicial contra o Estado português por alegadas "ilegalidades" no processo da futura auto-estrada 4, no que diz respeito aos sete quilómetros que vão passar junto a Parada de Cunhos, Folhadela e Constantim.

As queixas da associação incidem, designadamente, na passagem da via pela Rede Natura 2000 e na construção de um viaduto de quase três quilómetros de comprimento e uma altura equivalente a um prédio de 50 andares.

Segundo o dirigente, os sete quilómetros em causa vão custar "cerca de 100 milhões de euros", ou seja, "representam um terço do custo total dos 130 quilómetros da Auto-Estrada Transmontana.

Tal como o movimento "Cidadãos por Vila Real", a Quercus defende a utilização do actual traçado do Itinerário Principal (IP4) que passa a Norte da cidade transmontana alegando ser a solução "mais barata" e "com menor impacto ambiental".

"Seriam poupados 100 milhões de euros que dariam para reabilitar todas as escolas primárias e secundárias de Trás-os-Montes e Alto Douro", sublinhou.

Acrescentou que "não faz sentido estar a gastar esta verba desnecessariamente", principalmente "tendo em conta a actual situação de crise económica e financeira".

Com a queixa à Comissão Europeia, ambientalistas e moradores esperam que ainda possa ser alterado o traçado em causa, visto que, segundo João Branco, a obra tem financiamento comunitário e estão precisamente "em causa questões económicas e ambientais".

Por causa dos protestos, o Governo, através da Estradas de Portugal, já tinha garantido um desvio do traçado desta auto-estrada a Sul na zona de Parada de Cunhos

O IP4 será aproveitado na maioria da sua extensão para a construção da A4 entre Vila Real e Bragança.

A adjudicação à Soares da Costa é ainda provisória, uma vez que as regras do concurso ditam que haja agora, durante 10 dias úteis, um período de audiência prévia em que podem ser apresentadas reclamações.

Este consórcio foi escolhido por ter apresentado um preço mais baixo ao longo do prazo da concessão, nomeadamente 30 anos. Na construção (incluindo expropriações e equipamentos) a sua proposta é de 508 milhões de euros.

quinta-feira, outubro 02, 2008

Lamego:ESTGL debate amanhã Direito do Turismo no I Simpósio Internacional

A Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Lamego (ESTGL) organiza o I Simpósio Internacional de Direito do Turismo- “Lex Turística Duriensis”, que terá lugar amanhã, 3 de Outubro, na Escola de Hotelaria de Lamego.
Promover a reflexão e debate sobre temas como “O ordenamento turístico no Direito do Planeamento e Ordenamento do Território”, “Rede Fundamental de Conservação da Natureza – espaços protegidos, novo regime jurídico”, “Os planos de Interesse Nacional”, “Douro Património Mundial – evolução jurídica”, entre outros.

Segundo Ana Branca Carvalho, jurista e docente na ESTGL, "o Simpósio pretende uma visão mais ampla da região, no sentido de deixar a parte nacional e passar à questão Ibérica e internacional".

Depois do Alentejo e a convite do Dr. Manuel David Masseno, do Instituto Politécnico de Beja, chegou a vez da região duriense partilhar as experiências, conhecimentos e investigações e lançar a partir daqui as bases para uma cooperação ao nível internacional no âmbito do Direito do Tusirmo.

"Estabelecer e desenvolver um diálogo internacional são os propósitos deste Simpósio". Para o efeito convidou várias individualidades de reconhecido mérito nas temáticas que vão ser debatidas, como referiu Ana Branca Carvalho.

O público alvo do I Simpósio Internacional de Direito do Turismo deve ser toda a gente e tem como principais destinatários; Advogados, Profissionais da área do Turismo, Profissionais de Gestão Hoteleira, Alunos das áreas de Turismo, Gestão, Hotelaria, entre outros, responsáveis pelas áreas de Ordenamento do Território e licenciamento turistico e Assessorias Autárquicas.

Ana Branca Carvalho considerou que "a falta de informação é terrível, porque estamos perante uma nova realidade na área do Direito do Turismo".

A organização do Simpósio Internacional de Direito do Turismo contou com a colaboração de várias entidades para a sua divulgação. Para além dos órgãos de comunicação locais,como a Rádio Douro Sul ou os Semanários Regionais, foi amplamente divulgado no site da Ordem dos Advogados e a própria organização enviou mais de vinte mil circulares através de correio electrónico.

Álvaro Bonito, director da Estgl, a propósito da realização deste Simpósio, referiu à RDS que "a Escola está atenta ao que se passa à sua volta e deve criar mecanismos de intervenção que possam servir os interesses locais"

Para o director da ESTGL o Simpósio não se destina apenas aos alunos e tem como principal destino sensibilizar a comunidade onde actua, norte do distrito de Viseu.

A criação da Associação Nacional do Direito do Turismo e Viagens, com sede na ESTGL, segundo Álvaro Bonito "é um incentivo e reconhecimento pelo trabalho da Escola e dos jurista que ali trabalham nesta área"

Passado o período de balanço e consolidação da Escola, Álvaro Bonito pretende agora que a ESTGL crie dinâmicas diferentes.

quinta-feira, setembro 25, 2008

Douro Interior: Novas Auto Estradas com portagens

Dos mais de 1.250 quilómetros de novas estradas que estão a concurso, integradas no pacote de 12 concessões que o Governo está a lançar, 427 quilómetros dos 628 que terão perfil de auto-estrada vão ter desde logo portagens. No entanto, nos cadernos de encargos das novas vias, a que o Negócios teve acesso, é deixada a porta aberta para a introdução de portagens em mais troços das novas vias.

É pelo menos este o caso das concessões Douro Interior, Auto-Estrada Transmontana e Auto-Estradas do Centro, que juntas poderão ver portajados mais 163 quilómetros

Tua:prazo do inquérito ao último acidente na linha prolongado por mais um mês

O prazo do inquérito ao último acidente na linha do Tua foi prolongado por mais um mês a pedido da Faculdade de Engenharia do Porto, anunciou o Ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações (MOPTC).
O prazo de 30 dias estipulado pelo ministro Mário Lino para a Comissão Técnica de Investigação (CTI) apresentar conclusões terminou segunda-feira, mas vai ser prorrogado por mais um mês.

A CTI continua sem ter uma explicação para o acidente de 22 de Agosto em que morreu uma pessoa no descarrilamento de uma automotora, com 47 passageiros a bordo.

Segundo disse à Lusa fonte do MOPTC, «por não haver ainda uma conclusão sobre as causas é adiado o prazo da conclusão do inquérito».

O adiamento foi pedido pela Faculdade de Engenharia do Porto, que alegou «necessitar de mais tempo para investigar as circunstâncias do acidente».

Num ano e meio este foi o quarto acidente na linha do Tua, com quatro mortos e várias dezenas de feridos.

quarta-feira, setembro 24, 2008

Cinfães: Municipio ofereceu Cruzeiro a pessoas portadoras de deficiência

A Câmara Municipal de Cinfães levou ontem ao II Cruzeiro no Rio Douro pessoas portadoras de deficiência.

O passeio, entre Porto Antigo (Cinfães) e Régua, envolveu cerca de 120 participantes, entre pessoas portadoras de deficiência e respectivos acompanhantes e convidados, nomeadamente presidentes das Juntas de Freguesia e das Instituições Particulares de Solidariedade Social do concelho de Cinfães.

O Cruzeiro partiu de Porto Antigo pelas 10h00.

Sabrosa:Operadores turísticos filipinos unem Fátima ao concelho de Sabrosa

Os operadores turísticos filipinos estão a organizar viagens que aliam o fervor religioso daquele povo ao navegador Fernão de Magalhães, unindo Fátima ao concelho transmontano de Sabrosa, disse à Lusa o presidente da autarquia, onde vai ser construído um Centro que custará um milhão de euros.
José Marques referiu que o turismo filipino é de índole muito religiosa, por isso muitas das viagens organizadas pelos operadores trazem os turistas a Lisboa e a Fátima.
Mas o povo filipino é também um admirador incondicional de Fernão de Magalhães, que foi morto na ilha de Cebu (parte do arquipélago das Filipinas) por aquele que é hoje considerado um herói nacional, Lapu-Lapu.
Agora, segundo o autarca, esses mesmos operadores estão a acrescentar aos destinos turísticos o Porto e Sabrosa, concelho que reivindica ser a terra natal de Fernão de Magalhães, o navegador responsável por um dos maiores acontecimentos históricos, a primeira viagem de circum-navegação

Douro: Vinhas, Quintas, Caves e Adegas do Douro estarão de portas abertas dias 27 e 28 de Setembro

Vinhas, Quintas, Caves e Adegas do Douro estarão de portas abertas aos visitantes nos dias 27 e 28 de Setembro. Cerca de 40 locais responderam ao desafio lançado pela Rota do Vinho do Porto para comemorar o Dia Mundial do Turismo e promover a época marcante da região: as vindimas.

À paisagem única da Região, juntam-se outros ingredientes que prometem uma escapadela memorável: além das actividades próprias de cada Quinta, também outros espaços se vão preparar propositadamente para estes dois dias, seja o caso de restaurantes destacados no panorama gastronómico do Douro e do País, seja o próprio Museu do Douro que vai abrir as portas, numa pré-abertura antes da inauguração oficial.

Abrem-se as portas no Douro, num convite para usufruir do equilíbrio perfeito entre a tradição dos socalcos, do artesanato, das festas e romarias, e a modernidade de novas tecnologias e espaços de luxo e requinte, sempre com o fundo da obra excepcional do homem e da natureza: a dramática escultura dinâmica das vinhas, oliveiras e amendoeiras, as falésias abruptas que mergulham vertiginosamente nas águas do Douro.

Santa Marta de Penaguião:Contrariar "flagelo" da exploração de imigrantes romenos

A Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT) promove a 10 de Outubro uma acção de sensibilização em Santa Marta de Penaguião para tentar contrariar o “flagelo” da exploração de imigrantes romenos, anunciou o presidente da câmara.
O socialista Francisco Ribeiro, disse à Agência Lusa que são cerca de “quatro centenas” os imigrantes que estão instalados e trabalham no concelho, principalmente na agricultura, a maior parte deles proveniente da Roménia.

O autarca referiu que estas centenas de romenos se espalham essencialmente pelas localidades de Santa Marta de Penaguião, São João de Lobrigos e São Miguel de Lobrigos e lamentou que “muitos sejam explorados e maltratados” pelos empregadores locais.

“É um verdadeiro flagelo e não sei como vamos resolver isto”, frisou.

O concelho de Santa Marta de Penaguião possui cerca de 9.000 habitantes.

segunda-feira, setembro 22, 2008

Viseu. Celebrou Dia do Município

No Dia do Município e feriado em Viseu, celebrado este domingo, Fernando Ruas, presidente da autarquia, atirou farpas contra o governo socialista e desferiu indirectas sobre eleitos do PS local.
Num discurso de 13 minutos, proferido no salão nobre dos Paços do Concelho, abarrotado de convidados e de funcionários que foram distinguidos com diplomas e medalhas, pelo serviço prestado com zelo à autarquia, Ruas não falou de forma implícita da criação da universidade pública ou do combóio, duas exigências antigas ainda não concretizadas, mas acusou o governo socialista de andar a "falhar com Viseu", contrapondo que as câmaras são exemplos de trabalho e dão cartas no desempenho municipal, andando à frente da obra da administração central.
"A Polícia de Segurança Pública de Viseu (PSP) tem menos 60 efectivos do que devia, e a GNR está também desfalcada de homens. A estrada Viseu-Sátão só vai estar requalificada em 2010. É tudo

Fotografia de Nuno Tavares


muito lento. O governo arrasta os pés, mas nós mostramos obra, mostramos como se trabalha", enfatizou.
"Se não fossem os municípios, mais de metade dos investimentos não eram feitos", disse Ruas, numa crítica directa ao PIDDAC (Plano de Investimentos e Despesas de Desenvolvimento da Administração Central), um documento que é quase sempre posto em causa pelo autarca, por causa da escassez de obras inscritas.
E sobre a descentralização de competências, do Governo para as autarquia locais, Ruas voltou a reafirmar que só aceitará receber novas competências "quando tudo estiver esclarecido entre as duas partes, governo e câmara".

sábado, setembro 20, 2008

Douro: Candidturas para a reconversão das vinhas a partir de Outubro

O ministro da Agricultura, Jaime Silva, anunciou ontem no Douro que as candidaturas para a reconversão das vinhas abrem em Outubro com vista à produção de vinhos de excelência.
Jaime Silva visitou hoje o Douro, numa altura em que se inicia a azáfama das vindimas na mais antiga região demarcada do mundo.
"Queremos sobretudo concentrar o dinheiro na reestruturação, ou seja apostar em vinhas de qualidade para termos vinhos de excelência, e na promoção para valorizar esses nossos vinhos nos mercados internacionais", afirmou o ministro no decorrer de uma visita à Quinta das Carvalhas, na zona do Pinhão, pertencente à Real Companhia Velha (RCV).
De acordo com o ministro, as candidaturas para a reconversão das vinhas decorrerão nos próximos cinco anos.
Jaime Silva adiantou ainda que uma das novidades é a possibilidade de os pequenos viticultores se unirem para poderem apresentar candidaturas conjuntas e aumentar as ajudas.
"Reconverter meio hectare é muito caro para a rentabilidade que se vai tirar. Por isso, se houver reconversões colectivas de pequenos viticultores as ajudas serão melhores", frisou.
O objectivo será reunir, entre os pequenos agricultores, áreas de seis a sete hectares de vinha de forma a poderem ser majoradas as ajudas à reconversão.
Recordou que, na negociação sobre o vinho na União Europeia foi conseguido um envelope financeiro de 71 milhões de euros por ano para a vinha, 79 por cento dos quais se destinam a investir na modernização da produção e plantação de vinhas com castas de qualidade.
Jaime Silva referiu ainda que o Douro não apresentou "qualquer candidatura" para o programa de arranque de vinhas, sendo que em todo o país o total de candidaturas apresentadas corresponde a 5.100 hectares.
"É um bom sinal. É um sinal de que as pessoas sentem que as suas uvas estão a ser valorizadas", afirmou.
O ministro aproveitou para, mais uma vez, apelar à fusão e modernização das adegas cooperativas, relembrando os 10 por cento de majoração para os investimentos dessas estruturas, que foram negociados com Bruxelas.

"Estamos a dar uma discriminação positiva às adegas para os próximos dois a três anos", salientou.
Nesta visita pelo Douro, o ministro passou ainda pelas Caves Santa Marta, em Santa Marta de Penaguião, que este ano celebram 38 anos da primeira fusão entre cooperativas vinícolas, em Portugal.
Aquela que já foi uma das maiores empresas agro-industriais do país está a atravessar por algumas dificuldades financeiros que correspondem, segundo o governante, ao Douro que "ainda coloca algumas preocupações".
"Muitas das adegas têm uma situação financeira difícil, começaram a prorrogar os prazos para pagamento das uvas aos viticultores e nós não podemos deixar que esta situação se arraste. Temos que provocar aqui um sobressalto", sublinhou.
Mas hoje Jaime Silva fez também questão de visitar o "outro Douro".
"Vejo investimentos, novas quintas, novas áreas de plantação, vejo a replantação dos socalcos e a modernização das adegas", afirmou.
Um dos exemplos de investimento e modernização é dado pela RCV que recentemente adquiriu a Quinta de Ventozelo, uma das maiores e mais antigas quintas do Douro, que faz fronteira com a Quinta das Carvalhas, já propriedade da empresa portuguesa.
A junção das duas quintas deu origem à maior propriedade no Douro.
O presidente da RCV, Pedro Silva Reis, disse que esta aquisição representou um crescimento de quase 50 por cento da área de vinho.
A empresa passou a ter 735 hectares de vinha em produção no Douro e estima, neste vindima, ter uma produção na ordem das seis a sete mil pipas.
Apesar dos 252 anos da RCV, Pedro Silva Reis diz que a empresa se quer "manter jovem, usando tecnologia de ponta na vinha e uma enologia moderna".
"Já começámos a vindima. Os mostos apresentam-se muito bem, com bons índices de maturação. Agora só estamos a rezar para que não chova para a semana como diz a meteorologia", salientou o responsável.
Jaime Silva sublinhou também a qualidade dos vinhos prevista para este ano e referiu que a quebra de produção no Douro não vai ser tão grande quanto de estimava.

Segundo dos dados da Associação do Desenvolvimento da Viticultura Duriense (ADVID), para este ano, a expectativa de produção era de cerca de 211 mil pipas de vinho, num intervalo de 186 a 235 mil pipas.
As previsões apontavam para uma quebra, em relação à estimativa apresentada em 2007, na ordem dos 13 por cento.
As previsões da ADVID foram divulgadas em Julho e efectuados com base no modelo de pólen, recolhido entre Maio e Junho nas três sub regiões do Douro, nomeadamente o Baixo Corgo, Cima Corgo e Douro Superior.
"Há alguma quebra mas não tanto como se anunciava e há sobretudo uma excelentíssima qualidade este ano", concluiu o ministro da Agricultura

Sernancelhe:Escola desmantelou sala de informática e biblioteca

Escola de Sernancelhe desmantelou sala de informática e biblioteca
A escola de ensino básico de Sernancelhe está sem sala de computadores nem biblioteca. Devido a uma alegada falta de espaço, a sala foi desmantelada, os computadores desmontados e os livros foram para os corredores.
A decisão do agrupamento de escolas de Sernancelhe terá sido baseada num alegado excesso de alunos. Foi preciso mais uma sala e vai daí, desmantela-se aquela que supostamente é menos útil: a sala de informática e biblioteca.

Terá sido esta a avaliação da responsável do agrupamento de escolas, com a qual, certamente, o primeiro-ministro não concordará. Quem não se conforma com a decisão são os pais e o presidente da câmara. José Mário Cardoso, autarca de Sernancelhe e pergunta:”o que é preciso para que a senhora ministra destitua a responsável pelo agrupamento de escolas de Sernancelhe das funções que ocupa?”.

O presidente da associação de pais mostra-se indignado e diz: "estamos no interior, já temos pouco, não nos podem tirar o pouco que temos".

A SIC que esteve no local tentou entrar na escola para filmar o corredor onde está agora a funcionar a biblioteca. A autarquia proprietária do edifício autorizou, mas o agrupamento não

Meijinhos-Lamego: Pais em braço de ferro com Agrupamento Vertical de Escolas de Lamego -Sé

Os alunos de Meijinhos, no concelho de Lamego, estão há uma semana sem ir à escola do 1.º Ciclo Ensino Básico da Galvã porque os pais pretendem a transferência para a escola de Lazarim.
O processo arrasta-se desde Julho, quando os pais e encarregados de educação dos alunos solicitaram a sua transferência para a escola de Lazarim, invocando, para o efeito, as afinidades culturais entre as duas localidades, as melhores condições oferecidas aos alunos pela escola de Lazarim, a menor distância a percorrer e os laços familiares dos alunos naquela localidade.
Os pais dos alunos queixam-se de no ano anterior as crianças terem sido preteridas e prejudicadas na Escola da Galvã.
Pelos obstáculos colocados pela sede do Agrupamento Vertical de Escolas da Sé –Lamego para viabilizar a transferência em tempo útil, numa reunião dos pais e encarregados de educação dos alunos, lavrada em acta, resolveram não autorizar o transporte das crianças para a escola da Galvã e levaram o caso ao conhecimento da Delegação Regional de Educação do Norte.
Segundo depoimentos dos pais e encarregados de educação mostram-se decididos a levar o caso até às últimas consequências até que as crianças sejam transferidas para a Escola de Lazarim.

Armamar:Barragem de Temilobos está pronta há dois anos, mas ainda não func

A Barragem de Temilobos, Armamar, está pronta há dois anos, mas ainda não funciona. Os fruticultores do concelho vão confrontar este domingo o ministro da Agricultura com o problema e vão exigir-lhe apoio para o aumento da rede de rega, que só chega a 1/3 das maçãs.

A barragem de Temilobos, em Lumiares, Armamar, custou oito milhões de euros, está pronta há dois anos, mas ainda não funcionou nem beneficiou um único fruticultor do concelho. Mais, a rede de rega construída, só chegará a um terço da área de pomares de maçã cultivada (400 hectares), o principal motor económico do município de Armamar.

Hoje, porém, aproveitando a presença do ministro da Agricultura, que ali vai inaugurar a primeira edição da "Feira das Actividades Económicas", os fruticultores vão confrontá-lo com o problema e exigir-lhe apoio para a ampliação da rede de rega, pelo menos até à cobertura de mil dos 1200 hectares de área de macieiras.

Se Jaime Silva der luz verde à pretensão, a produção de maçã "crescerá no mínimo 20%", garante ao JN Hernâni Almeida, presidente da Câmara de Armamar, que vai também informar hoje o governante, que a certificação da 'maçã de montanha', produzida no seu concelho e nos municípios vizinhos de Moimenta da Beira, Lamego e Tarouca "deve avançar".

"A Denominação de Origem Protegida (DOP) será uma mais-valia para produtores e consumidores ", diz o autarca.

A barragem, ainda quase sem caudal, só há uns meses começou a encher. Mas depois de ultrapassados problemas técnicos detectados ao nível da compactação do aterro. Um estudo do Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC) abriu condições para o início do seu enchimento.

quinta-feira, setembro 18, 2008

Lamego:Foi apresentado pelo ACP o Rally de Portugal Historico 2008



O Salão Nobre do Teatro Ribeiro Conceição, em Lamego, foi o cenário escolhido para o Automóvel Clube de Portugal apresentar o III Rali de Portugal Histórico - 2008
De 8 a 12 de Outubro vai estar na estrada uma prova que conjuga um elevado nível competitivo, a descoberta de zonas menos conhecidas do país e o convívio entre todos os concorrentes.

No capítulo desportivo, a 3ª edição do Rali de Portugal Histórico propõe um percurso com cerca de 1750 quilómetros, desenhado em carismáticas estradas de asfalto que privilegiam a condução de automóveis clássicos. Serão disputadas 38 provas de classificação (quase 550 quilómetros), nas quais serão montados 280 controlos de regularidade. Participarão no Rally de Portugal Histórico 2008 62 equipas estrangeiras e 52 nacionais, num total de 115 formações.



A partida será dada no Autódromo do Estoril, no dia 8, quarta feira, com destino a Tomar. Na quinta feira, dia 9, os concorrentes saem de Tomar e chegam a Viseu, Na sexta feira, dia 10, terá lugar a já habitual prova de slalom na Av. Europa, à chegada da terceira etapa, Viseu/Viseu, com passagem por Lamego. Finalmente, no sábado, dia 11, será o regresso a sul, com passagem por Arganil e Montejunto e a disputa dos inesquecíveis troços da Lagoa Azul e da Peninha na famosa noite de Sintra. A prova conclui-se com o slalom na Marina de Cascais na manhã de Domingo.
De notar que participarão no Rally de Portugal Histórico - 2008, 62 equipas estrangeiras e 52 nacionais, num total de 115 formações.
Em Lamego haverá um controlo de passagem frente à Câmara Municipal às 13h15. Entre as 13h30 e as 15h15 decorrerá uma neutralização na Serra das Meadas (Restaurante Paraíso D'Ouro). Para as 15h20 está marcado o controlo de passagem na Rotunda do Soldado Desconhecido.
Entre os nomes sonantes nesta prova,como cabeça de cartaz, Jean-Pierre Nicolas,vencedor de cinco vitórias absolutas em provas do Mundial. Giovani Salvi e o belga Jose Lareppe, actual campeão europeu de regularidade, disputarão também este Rally de Portugal.
A segurança, que constitui um dos pontos fortes do Rali de Portugal Histórico, será ainda incrementada na edição deste ano, ao mesmo tempo que serão concedidas maiores facilidades para assistência aos veículos participantes.
O director de prova, Barbosa da Gama,Boomp3.com referiu que "o Rally de Portugal Histórico é uma excelente oportunidade de promoção turística das zonas que atravessa, permitindo a sua descoberta às inúmeras formações estrangeiras que nos visitam" existindo, por isso, "um maior reconhecimento internacional da valia da prova" , reflectido já este ano, com a participação de mais equipas estrangeiras que nacionais.