quarta-feira, abril 30, 2008

Jovens atletas garantem sucesso dos III Jogos Desportivos de Lamego

Foto cedida por Ricardo Pereira

Decorrem com sucesso as provas e concentrações das modalidades que integram os III Jogos Desportivos de Lamego, uma organização conjunta da empresa municipal Lamego ConVida e da Câmara Municipal.
O maior evento desportivo do concelho reúne centenas de jovens atletas, em representação de associações, clubes e juntas de freguesia do município, constituindo a grande festa do desporto.

Foto cedida por Ricardo Pereira


No dia 23 de Abril, decorreu a primeira jornada do torneio de Boccia para a Idade Avançada. Uma competição muito participada, disputada no Pavilhão do Complexo Desportivo de Lamego por várias equipas, proporcionando uma tarde muito divertida e de agradável convívio.
No sábado, 26 de Abril, a Escola E.B. 2/3 de Lamego e o Largo da Feira acolheram a prova de atletismo participada por dezenas de jovens, uma oportunidade para competir nas modalidades de velocidade, salto em comprimento, lançamento de peso e corrida.
A realização das próximas competições, realizadas no âmbito dos III Jogos Desportivos de Lamego, está agendada para 1 de Maio (Andebol), no Pavilhão Desportivo Álvaro Magalhães, e para 10 e 11 de Maio (Minigolfe), no Complexo Desportivo de Lamego.

terça-feira, abril 29, 2008

Viseu: Ciclo de cinema comemorativo 40 anos após o "Maio de 68"

imagem em:www.lepanto.com.br

O Cine Clube de Viseu (CCV) inicia hoje um ciclo de cinema comemorativo da passagem de 40 anos após o Maio de 1968, questionando se "existem olhares, esperanças, dúvidas, sentimentos próprios das gerações que atravessaram períodos revolucionários".
"Revolução ou não - 40 anos do Maio de 68" é o nome do ciclo de cinema, que, segundo Rodrigo Francisco, da direcção do CCV, propõe "revisitar a ditadura romena de Ceausescu, o epicentro francês de 1968, o Médio-Oriente" e também Portugal.
"Com origens diferentes, os filmes são eles mesmos reveladores de formas contrastadas de viver e sentir a opressão, no caso de '4 meses, 3 semanas e 2 dias', o compromisso político, no caso de 'Por culpa de Fidel' e 'Persépolis', e o amor em 'Daqui p'rá frente'", explica Rodrigo Francisco.
O ciclo arranca com o filme "Por culpa de Fidel", de Julie Gravas (2006), e prolonga-se até 20 de Maio, com exibições todas as terças-feiras.
Para Rodrigo Francisco, ao mostrar "algumas perspectivas sobre a dicotomia ditadura/revolução, este ciclo sublinha a importância do cinema na construção de formas de ver e reflectir acontecimentos históricos".
O CCV refere ter partido para a organização deste ciclo de cinema inspirado por uma reflexão feita por Eduardo Lourenço há 20 anos.
"Apesar de tudo, os que a este assistiram e viveram não esquecerão nunca esse insólito minuto fora do Tempo - ou perto do seu coração - em que, de súbito, uma sociedade muda saiu do seu casulo para o meio da rua, convertida em ágora moderna, para conversar. Simplesmente para conversar", disse Eduardo Lourenço em Maio de 1988.
Nesse âmbito, o CCV promove também, no dia 17 de Maio, o debate "40 anos do Maio de 68 - para conversar", no qual será contada "a experiência dos portugueses nos movimentos contestatários de 60".
O Cine Clube de Viseu complementa o programa com projecções em espaços alternativos - o bar Lusco Fusco e o café O Lugar do Capitão - de dez filmes escolhidos por associados e amigos a partir do tema revolução e que terão também a tarefa de os apresentar.

Lamego: Feira do 3 de Maio - tradição e arte equestre

imagem em:
www.celg.pt

De 1 a 4 de Maio, Lamego: Arte equestre brilha na Feira de Santa Cruz
A edição deste ano da Feira de Santa Cruz/ 3 de Maio, em Lamego, quer voltar a afirmar-se como o maior certame de arte equestre realizado na região e conquistar a adesão de milhares de pessoas, oferecendo para tal um programa de grande qualidade e abrangência, no qual o cavalo continuará a ser o centro das atenções”, revela a Autarquia de Lamego. Do cartaz do certame, que decorre entre os dias 1 e 4 de Maio, destaca-se a realização do III Encontro Nacional de Charretes que percorrerá as principais ruas da cidade e através do qual a organização pretende captar o interesse de um grande número de participantes, “tornando Lamego numa das principais localidades portuguesas a acolher este tipo de eventos”.

Popularmente conhecida por “3 de Maio”, a Feira de Santa Cruz visa reabilitar a arte equestre, “sendo um evento de forte adesão popular que o Município de Lamego continuará a promover em força durante os próximos anos”. A realização de corridas de cavalos (garranos e importados) e de uma garraiada, para além de uma noite de fados no Teatro Ribeiro Conceição e da tradicional Feira Anual do Gado que decorrerá no Largo da Feira, constituem outros pontos de interesse da programação. “A animação e o convívio serão uma constante, a par da realização de negócios de ocasião

Mirandela: Ministro da Administração Interna, Rui Pereira, reafirma manutenção de todas as forças de segurança no Distrito de Bragança

imagem em www.sic.sapo.pt


O ministro da Administração Interna, Rui Pereira, assinou ontem o protocolo para a substituição de uma das mais degradadas esquadras da PSP, a de Mirandela, com a promessa da manutenção de todas as forças de segurança no Distrito de Bragança.
A Câmara Municipal de Mirandela doou o terreno junto à Reginorde e o Governo disponibilizou 1,5 milhões de euros para a nova esquadra da polícia nesta cidade transmontana.
Há vários anos que esta esquadra é apontada como exemplo da degradação em que trabalham alguns agentes das forças de segurança no país.
Instalada num edifício antigo, degradada e sem condições operacionais, a velha esquadra deverá ser encerrada dentro de um ano e meio, altura em que deverão estar concluídas as novas instalações.
As previsões são do autarca local, o social-democrata José Silvano, que fez questão de lembrar que a PSP local "era das instituições que tinha piores instalações, as mais degradadas".
Silvano expressou a sua satisfação com a nova obra e com a "dissipação" da ameaça de retirada da PSP de Mirandela, ventilada desde o anúncio da reforma das forças de segurança.
A Polícia de Segurança Pública é responsável no Distrito de Bragança, com doze concelhos, apenas pelas duas maiores cidades, a de Bragança e a de Mirandela.
O restante território é patrulhado pela GNR, com postos espalhados inclusive por pequenas localidades.
O ministro da Administração Interna (MAI), Rui Pereira, garantiu que "não serão encerrados nem postos, nem esquadras" e que a política do Governo é "construir e melhorar as condições".
"O direito à segurança é um direito fundamental, a primeira das liberdades, porque sem segurança não é possível exercer os outros direitos", afirmou.
Segundo disse, é por esta razão que o MAI tem em curso um inquérito nacional para saber o que preocupa os portugueses em relação à segurança e à criminalidade.
Com o mesmo objectivo será criado um observatório da delinquência juvenil e as forças de segurança estão a ser reforçadas com mais meios humanos e materiais.
O ministro lembrou que até ao final da legislatura serão admitidos 4500 elementos na GNR e na PSP, que terão, ainda durante este ano, mais sete novas carreiras de tiro.
As novas condições para formação serão também acompanhadas do reforço do treino em incidentes táctico-policiais.
Lembrou ainda que, num prazo de cinco anos, as forças de segurança receberão 42 mil novas armas.

Vila Real:Conta com 5 meios aéreos no combate aos incêndios florestais

O distrito de Vila Real conta na fase mais crítica de risco de incêndios florestais com o reforço de um meio aéreo, dispondo de cinco no total, e com mais 55 sapadores florestais do que no ano passado.
O anúncio foi feito pelo comandante operacional distrital, Carlos Silva, no decorrer da apresentação do dispositivo de combate a incêndios para Vila Real, uma cerimónia que contou com a presença do ministro da Administração Interna, Rui Pereira.
O distrito de Vila Real, com 70 por cento dos 430 mil hectares de área total ocupados por floresta, conta na fase Charlie (entre Julho e Outubro) com 18 equipas de combate a incêndios, 287 bombeiros e 63 viaturas.
O dispositivo neste distrito, um dos que tem maior risco de incêndio devido à extensão da sua área florestal, vai ser reforçado com um helicóptero pesado, que vai ficar estacionado em Vila Real, juntando-se aos dois helicópteros (Ribeira de Pena e Vigado) e dois aviões ligeiros (Vila Real).
No combate aos fogos vão estar ainda mais 55 sapadores florestais do que no ano passado, num total de 165, 63 elementos do Grupo de Intervenção de Protecção e Socorro e 90 militares do Serviço de Protecção da Natureza da GNR.
O total de homens e mulheres que vão estar no combate aos fogos é de 839, com 152 viaturas, entre bombeiros, militares da GNR e do exército, sapadores florestais, PSP, elementos do Instituto da Conservação da Natureza e Biodiversidade, Direcção Geral dos Recursos Florestais.
Carlos Silva referiu que vão estar ainda em funcionamento 104 postos de vigia.
Na fase Bravo, que tem início em meados de Maio, são 425 os elementos das diversas forças que vão disponíveis para o combate aos fogos, com 93 viaturas e dois meios aéreos.
O ministro Rui Pereira, que está a percorrer todos os distritos do país para a apresentação do dispositivo de combate a incêndios em 2008, salientou, mais uma vez, que "é de todos nós a tarefa de defender a nossa floresta".
O governante lembrou que o país dispõe este ano do maior dispositivo de sempre de combate aos incêndios com 56 meios aéreos, 2.300 viaturas e 9.600 homens.
Só no distrito de Vila Real, a área ardida entre os meses de Outubro e Novembro de 2007 duplicou comparativamente com os restantes meses do ano, devido a incêndios que, na sua maioria, tiveram origem em queimadas.
Em Novembro, ocorreram no distrito de Vila Real 464 incêndios que queimaram 2.265 hectares.
Em todo o ano de 2007, os bombeiros combateram 1.352 fogos, com uma área ardida de 3.443 hectares

sábado, abril 26, 2008

Douro: Viticultores vão manifestar-se em Vila Real dia 1 de Maio

Os viticultores de Vila Real concentram-se no dia 01 de Maio num convívio seguido de manifestação, pelas ruas daquela cidade, em defesa da Casa do Douro (CD) e contra o poder "discricionário" do Instituto dos Vinhos do Douro e Porto.
O presidente da CD, Manuel António Santos, disse à Agência Lusa que os viticultores do concelho de Vila Real decidiram reunir-se num convívio que servirá também para protestar contra as "injustiças" de que têm sido alvo.
A concentração está marcada para as 12:00 da próxima quinta-feira, feriado de 01 de Maio, no parque de merendas de Codessais, em Vila Real, depois os viticultores desfilarão pelas principais ruas da cidade.
O concelho tem cerca de dois mil viticultores, pelo que o presidente do organismo representativo da lavoura duriense está a contar com uma "adesão significativa" à iniciativa.
As queixas dos produtores contra o "autoritarismo" do IVDP sucedem-se e a Casa do Douro aguarda o desfecho de três acções judiciais, interpostas no Tribunal Administrativo de Mirandela contra o instituto público.
Uma das questões que mais polémica tem causado está relacionada com o cadastro, que contém o registo exaustivo das vinhas da região bem como das suas características, desde altitude, exposição solar, castas e outras.
Até à última vindima, a CD cedia as informações ao IVDP, recebendo uma comparticipação financeira mas, em Dezembro, o instituto renunciou ao protocolo e pretende preparar a próxima vindima com recurso aos dados facultados até ao final do ano passado.
Em resposta a um requerimento dos deputados no PSD na Assembleia da Republica, o ministro da Agricultura, Jaime Silva, afirmou que o IVDP é um "legitimo utilizador" dos referidos dados.
Manuel António Santos contesta e acusa o instituto público de "delapidar" a Casa do Douro.
Nos últimos tempos, dos 15 trabalhadores afectos há vários anos ao Serviço de Cadastro da Casa do Douro, 11 já foram requisitados pelo Ministério da Agricultura.
"Querem impedir-nos a toda a força de exercer as nossas obrigações legais de actualização do cadastro", salientou Manuel António Santos.

Vila Pouca de Aguiar, Vila Real e Laza(Galiza) unidas por ecopista de 33 Kms

Vila Pouca de Aguiar, Vila Real e Laza, na Galiza, vão ficar unidas através de uma ecopista com 33 quilómetros, um projecto que vai aproveitar parte da desactivada Linha do Corgo e representa um investimento de 2,5 milhões de euros.
O presidente da Câmara de Vila Pouca de Aguiar, Domingos Dias, disse à Lusa que o seu município lidera o projecto “Via Verde do Vale do Tâmega”, que envolve ainda Chaves e as localidades espanholas de Verin e Laza.
Se a candidatura - já apresentada ao programa Interreg através da Comunidade Territorial de Cooperação do Vale do Tâmega, que integra concelhos transmontanos e do Norte da Galiza - for aprovada, a ecopista poderá estar concluída até Dezembro de 2009.
O custo total previsto do projecto é de 2,5 milhões de euros, com 75 por cento de comparticipação, destinados à construção da pista, recuperação de património, aquisição de equipamento e promoção.
A ecopista aproveita o ramal ferroviário do Corgo entre Vila Pouca de Aguiar e Chaves (19 quilómetros), estendendo-se depois pela margem do rio Tâmega até Laza (14 quilómetros).
Ao longo da via serão instalados equipamentos de apoio

Lamego: Declaração de "voto contra" de Agostinho Ribeiro desencadeia queixa crime do presidente da Câmara

O teor da declaração do voto “contra” proferida pelo líder do grupo municipal do Partido Socialista, Agostinho Ribeiro, na Assembleia Municipal de Lamego, após a aprovação por maioria, na quinta feira, da Conta de Gerência e o Relatório de Gestão e a Proposta para aplicação de resultados da Câmara de Lamego, referentes ao ano de 2007 provocou indignação no seio do executivo camarário e levou o presidente da Câmara, Francisco Lopes, a reagir violentamente à declaração de Agostinho Ribeiro
Recordamos que Agostinho Ribeiro, durante a sessão da Assembleia Municipal, questionou e solicitou esclarecimentos ao Revisor Oficial de Contas(ROC), José Alberto Lima, sobre as reservas anotadas no relatório às contas de Gerência e no Relatório de Gestão de 2007 da Câmara de Lamego. As quais, segundo o ROC da Câmara de Lamego, se prendem com o rigor contabilístico da especialização do ano económico o que teria beneficiado os resultados e melhorado a situação económica e financeira da câmara em 2007.
Depois dos esclarecimentos do ROC da Câmara de Lamego, Agostinho Ribeiro juntamente com seis deputados municipais do Partido Socialista de Lamego votaram contra a aprovação da Conta de Gerência e do Relatório de Gestão de 2007 da Câmara de Lamego. Na sua declaração de voto Agostinho Ribeiro decidiu remeter aqueles documentos de Gestão para a Procuradoria Geral da Republica, o Tribunal de Contas e a Inspecção Geral da Administração Local.
O presidente da Câmara de Lamego disse ontem à Rádio Douro Sul que “é um disparate” a afirmação e a vontade de Agostinho Ribeiro enviar as Contas da Câmara para o Tribunal de Contas porque isso "é já um imperativo legal a que a autarquia está obrigada".
O presidente da Câmara de Lamego, Francisco Lopes considera “inadmissível a atitude” do deputado municipal do PS, Agostinho Ribeiro, na quinta-feira, após a votação da Conta de Gerência e o Relatório de Gestão na Assembleia Municipal, depois dos esclarecimentos do ROC e com os quais disse estar satisfeito.

Declarações do Pres. Câmara

Francisco Lopes não reconhece que exista qualquer “braço de ferro” com grupo de deputados municipais do Partido Socialista de Lamego, mas sim “um problema de má fé e incompetência” do líder daquele grupo municipal, Agostinho Ribeiro:
Francisco Lopes disse à Rádio Douro Sul que vai apresentar uma queixa crime contra Agostinho Ribeiro porque “ forjou, inventou..." contas de Gerência da Câmara de Lamego”.
O edil lamecense referiu ainda que os procedimentos e os critérios contabilísticos do seu executivo são feitos com rigor e de acordo com os procedimentos legais. Francisco Lopes recordou e deu como exemplo os anos de 2002,2003 e 2004, do anterior executivo e os pedidos de esclarecimentos a que tem de responder, referentes às contas levadas à Assembleia Municipal naqueles anos e agora solicitadas pelo Tribunal de Contas à Câmara de Lamego.

As contas de Gerência e o Relatório de 2007 da Câmara de Lamego foram aprovados por maioria, tendo recebido sete votos contra do Partido Socialista e uma abstenção, também do mesmo partido.O líder da bancada socialista criticou as contas de gerència e o Relatório de Gestão e comparou a acção do executivo da Câmara de Lamego, em relação à gestão e às obras na cidade, como um médico de família que tenta tratar da saúde a uma senhora de idade, levando-a a endividar-se para se rejuvenescer. Na sua declaração de voto Agostinho Ribeiro justificou-se contra os documentos de Gestão de 2007 da Câmara de Lamego e revelou a sua decisão de enviar tais documentos para o Tribunal de Contas, à Procuradoria Geral da Republica e à Inspecção Geral da Administração Local.

quinta-feira, abril 24, 2008

Tondela:Centro de Recursos Culturais e Desenvolvimento Regional entra hoje em funcionamento

No concelho de Tondela a partir de hoje vai passar a funcionar em pleno um Centro de Recursos Culturais e Desenvolvimento Regional, com a inauguração da nova ala do edifício Novo Ciclo.
A primeira fase das obras de remodelação do edifício onde funcionou o antigo ciclo preparatório de Tondela (orçada em um milhão e meio de euros), tinha ficado concluída em 1999 e essa zona passou a ser da responsabilidade da Associação Cultural e Recreativa de Tondela (ACERT) e da sua companhia de teatro Trigo Limpo.
No final de Março passado ficou concluída a segunda fase das obras (que custou 750 mil euros, incluindo os equipamentos), permitindo também a utilização da chamada Ala A, a inauguração conta com a presença da secretária de Estado da Cultura, Paula Fernandes dos Santos.
O vice-presidente e vereador da Cultura da Câmara de Tondela, José António de Jesus, referiu que novas valências se foram gradualmente instalando na Ala A e que, a partir de agora, o Novo Ciclo funcionará como "um verdadeiro Centro de Recursos Culturais e Desenvolvimento Regional".

Vila Pouca de Aguiar:Investimento transfronteiriço de 3.2 milhões de euros


imagem em: www.flickr.com/photos/vitor.com


A Câmara de Vila Pouca de Aguiar anunciou um investimento transfronteiriço de 3,2 milhões de euros para a concretização de projectos ecológicos no concelho, nomeadamente a valorização das termas do vale do Tâmega e a conclusão da ecopista.
Fonte da autarquia disse ainda à Lusa que o município está envolvido em oito candidaturas do Programa Operacional de Cooperação Transfronteiriça Espanha/Portugal (POCTEP), que já foram candidatadas ao QREN - Quadro de Referência Estratégica Nacional.
Segundo a fonte, para a concretização dos projectos ecológicos está previsto um investimento, naquele concelho do Alto Tâmega, de cerca de os 3, 2 milhões de euros.
O projecto "Fontes" pretende valorizar as termas do Vale do Tâmega apoiando a criação de áreas recreativas termais e protecção das fontes existentes.
A autarquia quer ainda terminar a ecopista, que no concelho está em funcionamento entre Vila Pouca de Aguiar e Pedras Salgadas, ligando aos municípios vizinhos de Vila Real e Chaves até Espanha.
Outro dos investimentos em que o concelho está envolvido denomina-se "Museus Mineiros", através do qual pretende apoio comunitário para a valorização de área envolvente ao Complexo Mineiro de Tresminas, designadamente através de escavações e tratamento de materiais, conservação de galerias e edição de roteiros.
O projecto "Taredo" promove um corredor ecológico pela consolidação da qualidade ambiental com saneamentos e outros equipamentos previstos para a despoluição das zonas envolvidas, à semelhança do projecto "Depurans" que reforça o Vale do Tâmega como uma eco-região e visa a protecção de recursos hídricos.
O projecto "Arcos" pode vir a possibilitar tarefas conjuntas na requalificação de espaços naturais através de acções comuns, caso de seminários transfronteiriços, eventos promocionais ou intercâmbio de técnicos especializados.
Ainda mais vocacionado para a divulgação surge o projecto "Gatrans" que prevê a criação de sistemas de informação transfronteiriça com materiais promocionais, enquanto que o "Proeco" prevê a colocação de sinalética, a promoção de produtos locais e a criação de um ninho de empresas e o ecotransporte na região.
Estas candidaturas foram apresentadas ao Interreg através da Comunidade Territorial de Cooperação do Vale do Tâmega que integra concelhos transmontanos e do Norte da Galiza, prevendo-se a sua aprovação até ao final do ano.

quarta-feira, abril 23, 2008

Lamego:Feira de Santa Cruz/3 de Maio

Arte equestre brilha na Feira de Santa Cruz

A edição deste ano da Feira de Santa Cruz/ 3 de Maio quer voltar a afirmar-se como o maior certame de arte equestre realizado na região e conquistar a adesão de milhares de pessoas, oferecendo para tal um programa de grande qualidade e abrangência, no qual o cavalo continuará a ser o centro das atenções.
Do cartaz de actividades, que decorrerá entre os dias 1 e 4 de Maio, destaca-se a realização do III Encontro Nacional de Charretes que percorrerá as principais ruas da cidade e através do qual a organização pretende captar o interesse de um grande número de participantes, tornando Lamego numa das principais localidades portuguesas a acolher este tipo de eventos.
Popularmente conhecida por “3 de Maio”, a Feira de Santa Cruz visa reabilitar a arte equestre, sendo um evento de forte adesão popular que o Município de Lamego continuará a promover em força durante os próximos anos. A realização de corridas de cavalos (garranos e importados) e de uma grandiosa garraiada, para além de uma noite de fados no Teatro Ribeiro Conceição e da tradicional Feira Anual do Gado que decorrerá no Largo da Feira constituem outros pontos de interesse da programação.
A animação e o convívio serão uma constante, a par da realização de negócios de ocasião. Consulte a programação completa em www.cm-lamego.pt.

Lamego: celebrações do Dia da Liberdade


imagem de:www.bloaremportugues7feb23vilaverde.blogs.sapo.pt


25 de Abril de 2008
O Presidente da Assembleia Municipal de Lamego e o Presidente da Câmara Municipal
de Lamego exortam os Lamecenses a comemorar o 25 de Abril, Dia da Liberdade, convidando-os à participação, em especial, nos seguintes actos:

10:00 H – Hastear da Bandeira Nacional nos Paços do Município.
10:10 H – Arruada da Banda Marcial de Cambres pelas ruas da cidade.
10:15 H – Exposição “o 25 de Abril em Lamego” Átrio dos Paços do Município.
10:30 H – Representação sobre o 25 de Abril pelos alunos do Clube de Teatro da
E. B. 2,3 de Lamego Salão Nobre dos Paços do Municipio
.

11:00 H – Sessão Solene da Assembleia Municipal comemorativa do Dia da Liberdade
no salão nobre dos Paços do Município. Intervenções dos Grupos
Políticos Municipais, representante da Associação 25 de Abril, coronel
António Delgado Fonseca, e o Presidente da Assembleia Municipal
.
12:00 H – Exibição de cartazes e palavras de ordem do 25 de Abril de 1974 - Alunos
do 9.o ano de história da E.B. 2,3 de Lamego Átrio dos Paços do
Município.

15:00 H – Concerto pela Banda Marcial de Cambres Parque Isidoro Guedes.
16:45 H – Caminhada da Liberdade em frente à Câmara Municipal.
17:00 H – 25.o Grande Prémio de Atletismo Lamego – Avões Inicio em frente à Câmara
Municipal. (organização ADA)

18:00 H – Entrega de Prémios aos participantes da Caminhada e Provas de Atletismo
no salão de Festas da ADA Parque 25 de Abril – Avões.




Dia 26 de Abril no Teatro Ribeiro Conceição.
21:30 H - Música “Traz Outro Amigo Também” Homenagem a José Afonso
por Carlos Guilherme.

segunda-feira, abril 21, 2008

Guarda:Instituto Politécnico da Guarda promove as I Jornadas sobre Tecnologia e Saúde

No Instituto Politécnico da Guarda (IPG) vão decorrer no próximo dia 30 de Abril as I Jornadas sobre Tecnologia e Saúde.
Esta iniciativa do IPG, que envolve a Escola Superior de Saúde e a Escola Superior de Tecnologia e Gestão, pretende divulgar o que existe de mais expressivo ao nível das tecnologias aplicadas à saúde e aprofundar o diálogo entre investigadores e profissionais/estruturas de saúde (médicos, enfermeiros, administradores, técnicos,
estudantes).
Por outro lado, com estas Jornadas o Instituto Politécnico da Guarda pretende
viabilizar a divulgação de novos projectos e contribuir para uma maior interacção entre ensino superior e as empresas vocacionadas para as áreas da tecnologia e da saúde.
O programa, que se inicia pelas 9h30, no Auditório dos Serviços Centrais do IPG, inclui temas como "O papel dos dispositivos médicos" (que será desenvolvido pela Dra. Isabel Dionísio, Presidente da Associação Portuguesa de Dispositivos Médicos – APORMED), "Tecnologia e Direito" (Dr. Álvaro Guerreiro), "As soluções de colaboração online como drivers de produtividade na Saúde" (Drª Joana Vilhena, NeeaConsulting Portugal); "Telemedicina no presente e no futuro" (Dr. Fernando Gomes da Costa, Administração Regional de Saúde do Centro); "A experiência do Hospital Sousa Martins na informatização de Serviços" (Dr. Luis Ferreira, Hospital Sousa Martins,(Guarda);
"A CIPE e a prática de cuidados de Enfermagem" (Mestre António Silva Faria,
Hospital de São Marcos, Braga), "A Microsoft na Saúde: Presente e Futuro" (tema a apresentar pelo Eng. Pedro Martins, da Microsoft Portugal) e "Nacional Project of University Professional Formation in Electromedicine" pela Prof. Doutora Carolina Carmen Roberty (Universidad Nacional Experimental "Francisco de Miranda", Venezuela)
No período da tarde, a partir das 14horas, terão lugar as comunicações, subordinadas aos temas "O uso da Telemedicina na consulta de Dermatologia" (Drª Fátima Cabral, Hospital Sousa Martins e Dr. Rui Teixeira, Centro de Saúde de Pinhel), "Projecto Magic Key: a Tecnologia ao serviço das Pessoas" (Prof. Luis Figueiredo, Escola
Superior de Tecnologia e Gestão/IPG), "Inovação em Ortopedia" (Dr.João Figueiredo, Hospital São Teotónio, Viseu), "Os desafios das Tecnologias de Informação na área da Saúde - Uma ajuda preciosa" (EngºJoão Mota Lopes, ORACLE Portugal), "A medida HNR: sua relevância na análise acústica da voz e sua estimação precisa" (Prof. Doutor Aníbal Ferreira, Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto e SEEGNAL
Research Lda e Eng.º José Lopes, Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto), "Novas Tecnologias ao Serviço das Doenças Cardiovasculares: Realidade ou Utopia? " (Drª Carla Reanha, Tcare – Conhecimento e Saúde SA), "O Alert(R)" (Dr. Miguel Rocha, Alert Life Sciences Computing, S.A), "Computação Ubíqua na Melhoria da Qualidade de Vida" (Eng. Tiago Camilo, Envispot), "Uma experiência de informatização num Hospital" (Prof. José Carlos Fonseca, Escola Superior de Tecnologia e Gestão/IPG) e "Higiene Oral na Saúde – Aplicação Informática para Web" (Avelino Nunes, Escola Superior de Tecnologia e Gestão/IPG).

O programa destas Jornadas inclui ainda a apresentação de posters, enquadrados na temática destas Jornadas, que contam também com a participação de vários expositores.

Recorde-se que estas jornadas inserem-se no ciclo acções iniciado no passado ano com a realização das I Jornadas Interdisciplinares sobre Tuberculose.

domingo, abril 20, 2008

Lamego:Dia Internacional dos Monumenros e Sítios

No dia 18 celebrou-se o Dia Internacional dos Monumentos e Sitios que abriu templos ao público e centenas de iniciativas em todo o país.
A abertura de templos habitualmente encerrados, visitas guiadas, palestras, "workshops" e conferências foram algumas das cerca de 400 actividades agendadas para aquele dia.
A escolha do tema coube ao ICOMOS (Conselho Internacional dos Monumentos e Sítios) "e em Portugal propôs-se às diferentes crenças abrirem os seus templos e proporcionarem 'workshops' e outras actividades, nomeadamente visitas guiadas", como referiu o director do IGESPAR, Elísio Summavielle.
Em 150 localidades em todo o continente e Açores, foram desencadeadas acções destinadas a sensibilizar a população para "um património rico que deve ser antes de mais protegido de forma preventiva".
Em Lamego o "Dia Internacional dos Monumentos e Sítios" foi celebrado pela Câmara de Lamego com uma visita de trabalho à Capela de S. Pedro de Balsemão e que envolveu a Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Lamego e a Delegação Regional da Cultura do Norte
Esta visita, iniciada pelas 11 horas, visou a assinatura de um Procolo de colaboração entre a Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Lamego e a Delegação Regional da Cultura do Norte onde estão previstos o fornecimento de textos sobre o património histórico com a participação dos alunos daquela Escola Superior de modo a proporcionar informação detalhada sobre os monumentos da região do Douro aos milhares de turista. Para isso foi constituido um corpo de 52 alunos, em regime de voluntariado, orientados pelos professores das respectivas áreas, com disponibilidade para executarem tarefas de acompanhamento e informação e que terá também a envolvência de especialista que em muito irão contribuir para a formação dos alunos na área do património histórico da região. Aliás, como aconteceu na passada sexta feira, em pleno interior da Capela de S.Pedro de Balsemão, onde os alunos receberam uma lição de história sobre arte visigoda, por um especialista do IGESPAR.
A cerimónia da assinatura do Protocolo, entre as duas entidades envolvidas, contou com a presença da Dra. Helena Maria Gil Coutinho, Delegada Regional da Cultura do Norte, do Dr. Álvaro Bonito, director da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Lamego(ESTGL), do Engº Francisco Lopes, presidente da Câmara de Lamego, acompanhado da vereadora da Cultura, Dra. Teresa Santos. Estiveram também presentes o engºRicardo Magalhães, Chefe da Estrutura de Missão do Douro, o Arqº.Fernando Maia Pinto, director do Museu do Douro e Manuel Almeida, presidente da Junta de Freguesia da Sé, representantes do IGESPAR e alunos do curso de Gestão e Turismo e professores da ESTGL.




Durante o dia e organizada pela autarquia de Lamego e pela Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Lamego, a comemoração do “Dia Internacional dos Monumentos e Sítios” foi possível ter dez monumentos religiosos abertos ao publico e a toda a comunidade escolar do concelho onde os alunos do curso de Gestão e Turismo prestaram informações detalhadas do património visitado. Esta acção permitiu aos alunos daquele curso da ESTGL contribuir para o reconhecimento, protecção e valorização dos edifícios e obras de arte religiosas.

Lamego: Teatro Escolar Com Bichos de Rabiar

Os alunos do 4ºano do Colégio da Imaculada Conceição de Lamego dramatizaram na 5º feira, à noite, no Teatro Ribeiro Conceição a peça “A Carochinha e o João Ratão”uma exemplar e modular adaptação ao teatro infantil dos contos populares portugueses inserido no livro Teatro Escolar Com Bichos de Rabiar da autoria de Fernando Marado e Crianças.
O TRC foi pequeno para tanto publico que pretendeu assistir à representação. Muita gente não conseguiu lugar para ver a actuação dos pequenos actores que encantaram e divertiram os quatrocentos e cinquenta espectadores que tiveram a sorte de conseguir o bilhetinho mágico.
A Rádio Douro Sul transmitirá amanhã, a partir das 15h a peça interpretada pelos alunos do 4ºano do Colégio da Imaculada Conceição de Lamego.




No final da representação Fernando Marado expressou à Rádio Douro Sul a sua felicidade pelo êxito da representação levada a efeito pelos alunos do 4º ano do Colégio da Imaculada Conceição tendo vivido momentos de muita alegria durante os ensaios.
Lembramos que este livro será apresentado no dia 21 de Abril às 14h no Colégio Santa Maria no Porto, no mesmo dia às 16h30 na Fnac do Norteshopping de Matosinhos e no dia 23 de Abril às 14h15, na Biblioteca de Municipal de Lamego

quinta-feira, abril 17, 2008

25º Grande Prémio de Atletismo de Lamego/ Avões assinala Dia da Liberdade

Vai regressar a prova de atletismo mais tradicional da região. O 25.º Grande Prémio de Atletismo Lamego/ Avões será percorrido no dia 25 de Abril, a partir das 16h45, com partida prevista junto do edifício da Câmara Municipal de Lamego. A edição 2008 da prova vai integrar, pela primeira vez, a realização de uma caminhada, cujas inscrições estão abertas a todos os interessados.
As inscrições são gratuitas e devem ser entregues até ao dia 23 de Abril na Associação Desportiva de Avões (ADA) (Parque 25 de Abril, 5100-308 Avões, telm. 965851410) ou no Pavilhão Desportivo Álvaro Magalhães.
O 25.º Grande Prémio de Atletismo Lamego/ Avões é uma organização da ADA, com o apoio da Câmara Municipal de Lamego, e integra o programa de comemorações do Dia da Liberdade do Município de Lamego.
Faça o download da ficha de inscrição em www.cm-lamego.pt

Lamego: Dia Internacional dos Monumentos e Sítios


Santuário de Nossa Senhora dos Remédios

Os principais monumentos históricos da cidade de Lamego vão estar de portas abertas no próximo dia 18 de Abril, “Dia Internacional dos Monumentos e Sítios”, prontos a receber quem quiser partir à descoberta do património religioso e dos espaços sagrados do concelho e deslumbrar-se com a sua monumentalidade.
Pela primeira vez, vão estar, à sua espera, jovens alunos voluntários da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Lamego (ESTGL) para efectuarem uma visita guiada a estes locais, visando contribuir para o reconhecimento, protecção e valorização dos edifícios e obras de arte religiosas do concelho.
Organizada pela Câmara Municipal de Lamego e pela ESTGL, a comemoração do “Dia Internacional dos Monumentos e Sítios” pretende aumentar a consciência pública relativamente à diversidade do património e aos esforços necessários para o proteger e conservar, permitindo, ainda, alertar para a sua vulnerabilidade. Neste sentido, já estão programadas diversas visitas de estabelecimentos de ensino do concelho. Para assinalar condignamente esta efeméride, a autarquia preparou uma programação especial de sensibilização do público para a importância da salvaguarda e valorização do património religioso e dos espaços sagrados. Deste modo, será possível visitar, ao longo de todo o dia, a Sé Catedral de Lamego, a Igreja de Santa Maria de Almacave, a Igreja do Convento das Chagas, a Igreja do Convento de Santa Cruz, a Igreja de S. Francisco, a Igreja do Desterro, a Capela do Espírito Santo, a Capela de São Pedro de Balsemão e o Santuário de Nossa Senhora dos Remédios. As pessoas que pretendem deslocar-se a estes dois últimos monumentos, vão ter transporte gratuito, disponível a partir da rotunda do Soldado Desconhecido.


Tectos da nave central da Sé Catedral de Lamego

Viseu: arranca em breve primeira fase do parque tecnológico em Lordosa

A primeira fase do parque tecnológico projectado para a freguesia de Lordosa, no concelho de Viseu, deverá arrancar em breve, anunciou o presidente da autarquia, Fernando Ruas.
Durante a reunião mensal com os presidentes de Juntas de Freguesia do concelho, Fernando Ruas explicou que esta semana ficou definida a primeira fase do parque tecnológico, que irá avançando de forma modular.
"Finalmente está pronta para avançar uma fase", frisou, acrescentando que o projecto aguardou "muito tempo" pela concretização de uma ligação rodoviária entre a Estrada Nacional (EN) 2 e o nó de Moselos da auto-estrada A24, que era essencial para o parque.
Nesta primeira fase, será aproveitada "uma frente muito grande, de cerca de três quilómetros", sem que fique prejudicado o plano global do parque.
O parque de Lordosa está projectado para uma área de 300 hectares e tem como objectivo o desenvolvimento tecnológico, científico e industrial, mas também o regional e urbano da área onde se insere.
Fernando Ruas considerou que o nome de "parque tecnológico" se justifica por estarem previstos "serviços de apoio de alta qualidade, já nesta fase".

Tua: Autarcas avançam com projecto de planemento e desenvolvimento do Vale do Tua

Os autarcas do Tua decidiram ontem avançar com um projecto de planeamento e desenvolvimento do Vale do Tua para criação de riqueza e competitividade, numa reunião onde acabaram por não decidir se aceitam ou não uma barragem neste rio.
Os autarcas, apoiados pela Estrutura de Missão de Douro, vão adjudicar um estudo que contemple todos os cenários de evolução possíveis, incluindo a construção ou não da barragem de Foz Tua, bem como a manutenção ou não da Linha do Tua.
Esta decisão foi tomada numa reunião dos autarcas de Carrazeda de Ansiães, Mirandela, Vila Flor, Alijó e Murça com o chefe da Estrutura de Missão do Douro, Ricardo Magalhães.
O propósito da reunião era a discussão de compensações pela construção da Barragem de Foz Tua.
No entanto, no final do encontro, o seu porta-voz, Eugénio de Castro, presidente da Câmara de Carrazeda de Ansiães, limitou-se a ler um comunicado de duas páginas em que esclarece que na reunião "não esteve em discussão um ou outro investimento, esta ou aquela obra, mas sim um projecto de promoção integrado, indispensável a um território esquecido e isolado que carece de iniciativa, de apoios e de discriminação positiva"
Segundo esclareceu, esse projecto deverá envolver vários parceiros públicos e privados, incluindo a EDP, eventual concessionária da barragem, num processo que eles consideram "singular".
Com esta iniciativa, os autarcas "pretendem estar na posse não só do diagnóstico actual da região, que conhecem, mas sobretudo dos cenários prospectivos da estratégia conjunta de promoção e qualificação que se impõe há muito".
"Este processo, releve-se, não pode reduzir-se a uma caricatura que confunda e extreme posições cegas de quem está a favor ou contra uma obra", refere-se ainda no comunicado.
Confrontado com as críticas de terça-feira de "Os Verdes" - partido que considerou que os autarcas, eleitos para mandatos de quatro anos, não têm legitimidade para negociar valores que são de todos como a linha e o vale do Tua - Eugénio de Castro considerou que "ninguém tem mais legitimidade do que os autarcas, eleitos pelo voto do povo".
Dos cinco presidentes abrangidos, quatro admitem a construção da barragem, enquanto José Silvano, presidente da Câmara e do Metro de Mirandela, defende a manutenção da linha a todo o custo.
O metropolitano é responsável pela circulação na Linha do Tua, ao serviço da CP, ligando Mirandela a várias aldeias da região mas principalmente à Linha do Douro, em Foz Tua.

quarta-feira, abril 16, 2008

Alijó: Artur Cascarejo vogal da CRCCDR- Norte

imagem em:www.diariodetrasosmontes.com

O presidente da Câmara Municipal de Alijó, Artur Cascarejo, desempenha desde 26 de Março, as funções de vogal na comissão permanente do Conselho Regional da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte.

Juntamente com o Presidente da Câmara Municipal de Chaves, são os representantes do Distrito de Vila Real na comissão permanente do Conselho Regional da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte.

O Conselho Regional é o órgão consultivo da CCDRN, representando os vários interesses públicos relevantes na Região do Norte.

Entre outras atribuições, compete ao Conselho Regional acompanhar a execução dos programas operacionais e pronunciar-se sobre os projectos de relevância nacional a aplicar na região, nomeadamente os Planos de Desenvolvimento da Administração Central.
Também dá parecer sobre o plano de actividades, o orçamento e o relatório de actividades da CCDR, sobre a coordenação dos meios de acção existentes para as actividades de carácter regional, bem como sobre as prioridades dos investimentos de carácter regional e sobre os Planos e Programas de Desenvolvimento Regional.

Pode também pronunciar-se sobre as medidas de descentralização e desconcentração administrativa que sejam susceptíveis de possuir impacte no modelo e na organização territorial das políticas públicas de níveis regional e local.

Neste novo mandato do Conselho Regional da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte, vai haver uma atenção muito especial à aplicação do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN).

Foz do Tua: "Os Verdes" contestam autarcas transmontanos

O partido ecologista "Os Verdes" acusou hoje os autarcas transmontanos de não terem legitimidade para negociar valores que não lhes pertencem como o vale e a linha do Tua.
Esta posição do partido que tem contestado a construção da barragem de Foz Tua consta de uma carta aberta enviada hoje aos cinco autarcas afectados pela futura hidroeléctrica.
Os presidentes de câmara têm agendada para quarta-feira uma reunião com o propósito de assumirem uma posição conjunta para negociarem compensações com a EDP.
A maioria está disposta a sacrificar a linha do Tua em troca de compensações pela construção da barragem, com a excepção do presidente da Câmara de Mirandela, José Silvano.
Na carta aberta enviada aos autarcas, "Os verdes" contestam a alegação de que as negociações serão feitas em nome dos "interesses das populações".

Peso da Régua: Gás natural menos 20% nas facturas

imagem em: www.dn.sapo.pt

A redução de quase 20 por cento na factura do gás natural no Peso da Régua, anunciada hoje pela entidade reguladora do mercado, é encarada como um factor de "competitividade" pela autarquia e comerciantes daquele concelho duriense.
"É extremamente benéfico para as pequenas empresas, nomeadamente da área da restauração, e é menos um obstáculo que os empresários locais têm de enfrentar", afirmou à Lusa Pedro Brás, presidente da Associação Comercial e Industrial do Peso da Régua.
O gás natural chegou à Régua há cerca de um ano por intermédio da empresa Dourogás, com sede em Vila Real, que abastece ainda os concelhos de Mirandela, Macedo de cavaleiros, Arcos de Valdevez, Ponta da Barca e Póvoa de Lanhoso.
Segundo o presidente da autarquia, Nuno Gonçalves, a rede de distribuição ficou concluída no final do mês passado e foram "já muitas as famílias e as empresas da zona urbana que aderiram ao gás natural".
É também por isso que o autarca considera que a redução da factura do gás representa uma "mais valia" para os privados e um "factor de competitividade" para as empresas.
Nuno Gonçalves estima também que, a partir de agora, muitas mais pessoas possam aderir ao abastecimento por intermédio do gás natural.
Manuel Coutinho, presidente da Associação Empresarial - Nervir, salientou os benefícios que a redução do preço deste bem pode representar para as empresas, as quais "ganham mais um factor de competitividade comparativamente com as empresas do litoral".
Nos concelhos transmontanos abastecidos pela Duriensegás, como Chaves, Vila Real e Bragança, a redução do preço do gás é de 12,3 por cento.
De acordo com dados divulgados pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), Trás-os-Montes e Alto Douro pagava, em 2007, o valor mais elevado do país, mais de 40 por cento acima da média nacional.
Desde 2000, a empresa distribuidora em Trás-os-Montes - a Duriensegás - aumentou os preços em 145,9 por cento, contrariamente ao sucedido no resto do território nacional, onde se verificaram subidas pouco significativas e até mesmo algumas descidas.
O gás natural chega a Trás-os-Montes através de camiões cisterna em estado líquido, passando depois por um processo de gaseificação.

Viseu: Palácio do Gelo Shopping


imagem no site:centrodeportugal.blogspot.com


O Palácio do Gelo Shopping, um investimento superior a 120 milhões de euros, promete oferecer a partir de ontem zonas de estar de elevado conforto, introduzir lojas de novas marcas em Portugal, novos conceitos de entretenimento para toda a família e em especial para as crianças e acesso gratuito à internet.
O edifício alberga um hipermercado, um espaço de desporto e bem-estar (que inclui quatro piscinas, uma das quais olímpica), SPA, seis salas de cinema com equipamento digital e 3D comercial, uma praça de restauração com mais de 5 mil metros quadrados e terraços exteriores com vista para as Serras da Estrela e do Caramulo.
Terá também como grandes atracções uma pista de gelo com 600 metros quadrados e um bar de gelo, onde se pode conviver a uma temperatura de cinco graus negativos, e cujos bancos, balcão e até copos são de gelo.

Vila Real: Agência do Banco de Portugal encerra


Imagem do site:www.bportugal.pt

A agência do Banco de Portugal de Vila Real encerra a 31 de Maio, depois de mais de cem anos, segundo despacho publicado segunda-feira em Diário da República, fazendo com que a instituição deixe de estar presente em Trás-os-Montes. o edifício deverá ser comprado pela autarquia que ali pretende instalar uma Loja do Cidadão.
A delegação encerra por decisão do Conselho de Administração do banco central, liderada por Vítor Constâncio, na sequência do "reduzido número de operações realizadas em Vila Real" no atendimento quer ao público quer a instituições de crédito.
Em resposta a um requerimento entregue pelo deputado do PSD Ricardo Martins na Assembleia da República sobre aquela delegação, o Ministério das Finanças e da Administração Pública referiu que Vila Real "apresenta o mais baixo nível de actividade no conjunta da rede nacional" do Banco de Portugal.
O ministério salientou ainda o "claro desajustamento" entre o número de efectivos disponíveis e a carga de trabalho existente, o que, "para além de traduzir uma incipiente e decrescente procura dos serviços que o Banco de Portugal disponibiliza naquela agência, tem um efeito negativo na própria realização e evolução profissional dos colaboradores que nela estão inseridos".
A instituição garante a continuidade nos seus quadros dos seis empregados, caso seja essa a sua vontade, sem prejuízo de considerar a possibilidade de passagem à situação de reforma antecipada dos empregados que reúnam as condições necessárias para o efeito.
Relativamente ao imóvel, o ministério diz, na resposta ao PSD, que o Banco de Portugal promoverá, a "seu tempo e em cumprimento das regras e procedimentos a que está obrigado", à alienação do edifício de Vila Real, dando preferência a entidades de interesse público da região.
"Com este encerramento agora anunciado, a região de Trás-os-Montes e Alto Douro fica sem qualquer agência do Banco de Portugal, depois do encerramento da agência de Bragança, que ocorreu há mais de 15 anos", referiu Ricardo Martins.
Há cerca de seis anos, o Banco de Portugal investiu mais de 1,5 milhões de euros na remodelação do imóvel".

terça-feira, abril 15, 2008

Lamego:Diocese e Museu estabelecem protocolo de cooperação

Teve lugar ontem à tarde no Museu de Lamego, a cerimónia da assinatura do protocolo de colaboração entre o Museu e a Diocese de Lamego de modo a formalizar um percurso - iniciado em 1918, ano em que o Museu foi inaugurado, até à actualidade – de iniciativas comuns e projectos de parceria, baseados na ligação essencial que perdura entre as duas Instituições.
O protocolo assinado ontem insere-se numa estratégia de afirmação do futuro Museu Diocesano de Lamego/Casa do Poço, como uma estrutura cultural viva e actuante ao serviço das pessoas, capaz de transformar o espólio à sua guarda em elementos integrantes e indispensáveis à formação do ser humano.
São, por isso, objectivos fundamentais do documento protocolar desenvolver formas de diálogo e de comunicação com o público, mediante um esforço permanente de actualização do próprio Museu e assegurar a gestão e manutenção do imóvel

No decorrer da cerimónia, o presidente do Instituto dos Museus e da Conservação, Manuel Oleiro, aproveitou para dar conta que está em fase adiantada o projecto de arquitectura de requalificação do Museu de Lamego, que, segundo disse, deverá ficar concluído ainda durante este ano e as obras poderão começar em finais de 2009 ou meados de 2010.
O protocolo, presenciado por diversas entidades e muito público, foi subscrito pelo Bispo de Lamego, D. Jacinto Tomás Botelho e o Director do Museu de Lamego, Agostinho Ribeiro, em representação do Director do Instituto dos Museus e da Conservação, Manuel Bairrão Oleiro.
Ao acto assistiu também o presidente da Câmara de Lamego, Francisco Lopes.
O director do Museu de Lamego,Agostinho Ribeiro, salientou à Radio Douro Sul a importância da celebração do protocolo com a Diocese por permitir trocar sinergias entre as duas instituições.
Para o Bispo de Lamego, D. Jacinto Tomás Botelho, o protocolo assinado com o Museu de Lamego reveste-se de uma grande importância e reconhece que a Diocese não tem capacidade técnica nem meios para suportar a gestão que o Museu Diocesano requer.
D.Jacinto Botelho referiu ainda que a riqueza patrimonial da Igreja deve servir para efectuar um itinerário catequético e entende também que a arte é um valor universal e ela deve estar ao serviço de todos
Manuel Oleiro,presidente do Instituto dos Museus e da Conservação, referiu à RDS que o protocolo celebrado vem rectificar uma colaboração que já vem de trás e agora ganha expressão pública pois as sinergias criadas permitem alargar horizontes ao Museu Diocesano.
Referindo-se ao projecto de requalificação do Museu de Lamego disse que o mesmo está a ser trabalhado de modo a que em finais de 2008 esteja concluido para poder ser candidatado ao QREN em 2009 e frisou que é desejável no final de 2009 ou meados de 2010 possam começar as obras de ampliação e requalificação, prevendo que o Museu possa encerrar por um período de dois anos
O acto da assinatura do referido protocolo contou com a presença de Francisco Lopes, presidente da Câmara de Lamego, que recebeu com satisfação a noticia do andamento do projecto de requalificação do edifício do Museu de Lamego, mas mostrou-se preocupado por o mesmo não estar pronto a tempo de ser contemplado no PIDACC para 2009, como revelou o autarca à Rádio Douro Sul.
Quanto ao projecto assinado entre o Museu e a Diocese, Francisco Lopes considera-o fundamental porque o Museu Diocesano vai juntar-se ao conjunto de imóveis históricos da baixa da cidade que motivaram a requalificação urbana envolvente dos mesmos.

segunda-feira, abril 14, 2008

Dupla de Tarouca/Lamego Henrique Rodrigues/Dany Magno 21º.s, no Rallye Vidreiro

Dupla de Tarouca/Lamego Henrique Rodrigues/Dany Magno 21º.s, no Rallye Vidreiro a contar para o OPENDisputou-se este fim-de-semana mais uma prova a contar para o Open de Ralis 2008, que contou com a participação de seis dezenas de participantes, entre as quais a equipa de Tarouca/Lamego, Henrique Rodrigues/Dany Magno – Peugeot 206.

A vitória final foi alcançada por Jorge Santos/Victor Hugo – Citroen Saxo Kit Car com uma vantagem de 6,4 segundos para o segundo classificado Octávio Nogueira/Luís Pinto, em carro idêntico, enquanto Luís Mota/Ricardo Domingos em Mitsubishi Evo IV completaram o podium final com a 3ª. Posição a 41,2 segundos dos vencedores.

Henrique Rodrigues/Dany Magno, logo no primeiro troço foram 26º.s da geral, dando indicações positivas na nova aposta, Peugeot 206.

A 2ª. e 3ª. PEC acabaram por ser anuladas devido a alguns acidentes, pelo que as três provas da tarde, segundas passagens pelos três troços do Rali se revestiram de enorme importância para os resultados finais.

Enquanto Octávio Nogueira (Citroen) manteve a liderança até à 4ª. PEC, o piloto de Tarouca Henrique Rodrigues (Peugeot) mantinha a luta pelo 20º lugar, tendo subido dois lugares na segunda passagem por esta classificativa.

Na 5º. PEC os futuros vencedores da prova Jorge Santos (Citroen) assumiram a liderança, enquanto Pedro Peres (Ford) apesar de vencerem o troço, repetindo a posição da especial anterior, estavam afastados da luta pelos primeiros lugares desde a segunda PEC em que foram penúltimos.

Nesta especial Henrique Rodrigues/Dany Magno (Peugeot) não foram além do 28º. Lugar, descendo para o 24º. Lugar da geral, para na sexta e última especial alcançarem a sua melhor classificação, 20º, e recuperarem o 22º. Lugar.

Na segunda passagem por S. Pedro de Moel, última especial da prova, Jorge Santos não só venceu a mesma, como solidificou a vitória final.

Henrique Rodrigues sentiu enormes dificuldades nas classificativas da tarde depois de ter furado o radiador, tendo necessidade de após cada especial ter que por água no radiador.

O piloto de Tarouca saiu da Marinha Grande, satisfeito, … “ e bastante motivado pela escolha do Peugeot 206 da equipa S.F.R. – Racing, neste seu regresso aos ralis, depois de o ano passado não ter conseguido participar e da participação inglória na prova de abertura desta época no Montelongo, …”.

Uma palavra final ainda, “, … de elogio pelo trabalho desenvolvido pela equipa de assistência S. F. R. – Racing, quer na preparação do Peugeot 206, quer durante a prova, …”, dando indicações de uma opção acertada para a participação de Henrique Rodrigues/Dany Magno no Open.

Com este resultado positivo da participação de Henrique Rodrigues/Dany Magno (Peugeot) no Rally Vidreiro, a equipa encontra-se agora com confiança reforçada para participar num bom conjunto de provas esta época, para o qual conta com os apoios dos seus patrocinadores:
Instituto Óptico, Joaquim da Silva Neves, J. D. R., Naturimont, MAPEC, Magnus Sport, M.B.C., R.S. Photorally.

Próxima prova do Campeonato Open de Ralis a 16 e 17 de Maio, Rali de Arganil em terra, organizado pelo CAC, Clube Automóvel do Centro de Coimbra.

António Garcia (Texto) e Rui Santos (Fotos) RS PHOTORALLY www.rsphoto.no.sapo.pt

Classificação Provisória do Rally Vidreiro
1º. Jorge Santos / Vítor Hugo – Citroen Saxo Kit Car – 31m 44,1 s,
2º. Octávio Nogueira / Luís Pinto – Citroen Saxo Kit Car – a 6,4 s,
3º. Luís Mota / Ricardo Domingos – Mitsubishi Lancer EVO IV – a 41,2 s,
4º. José Sousa / José Salgado – Renault 5 Turbo – a 1m 14,0 s, (1º. Clássicos),
5º. Manuel Coutinho /Manuel Babo – Peugeot 206 GTi – a 1m 26,0 s,
6º. Aníbal Rolo / José Arantes – Renault 5 Turbo – a 1m 57,3 s,…
21º. Henrique Rodrigues / Dany Magno – Peugeot 206 – a 4m 49,2 s.

Classificação Provisória do Campeonato OPEN 2008
1º. Jorge Santos – 65 Pontos,
2º. Luís Mota – 53 Pontos,
3º. João Ruivo – 46 Pontos,
4º. José Sousa – 44 Pontos,
5º. Manuel Coutinho – 39 Pontos,

Europa debate protecção do lobo ibérico em Lamego

O sucesso alcançado com a realização, na cidade de Lamego, da última reunião internacional de coordenação do Projecto LIFE COEX – Melhorar a coexistência dos grandes carnívoros com as actividades agrícolas nos Países do Sul da Europa, em Outubro último, motivou a escolha de Lamego para a realização de uma nova reunião de trabalho deste projecto, entre os dias 17 e 20 de Abril próximo.
Representantes dos seis países que integram esta associação europeia vão voltar a debater as condições sócio-económicas e legislativas mais adequadas para garantir a conservação dos grandes predadores carnívoros, mediante a minimização das situações de conflito que afectam a sua sobrevivência.
O programa do encontro internacional juntará, para além de investigadores portugueses, participantes de Espanha, França, Itália, Grécia e Croácia, que aproveitam a sua deslocação à cidade de Lamego para desenvolverem algumas acções pedagógicas, junto das escolas do 1º ciclo do concelho, nomeadamente a criação de palestras e ateliers de divulgação ambiental.
A actividade principal do Projecto Life Coex em Lamego será a organização da conferência “Grandes Infra-Estruturas & Conservação do Lobo”, a decorrer no Hotel Lamego, a 18 de Abril, com o seguinte programa de trabalhos, aberto ao público em geral:

9h: Sessão de Abertura
9h30: Os Novos Desafios na Conservação do Lobo em Portugal
Prof. Francisco Petrucci
-Fonseca
Presidente do Grupo Lobo

9h50: O Impacto do Efeito Barreira nas Populações de Lobos em Espanha
Dra. Yolanda Cortés
Fundación Oso Pardo (Espanha)
10h45: Road Ecology: Concepts and applications for integrating ecology into sustainable transportation systems
Dr. Anthony P. Clevenger
Western Transportation Institute, Montana State University (Montana, EUA)
11h30: The permeability of highways in Croatia for large carnivores
Dr. Djuro Huber
Faculdade de Medicina Veterinária, Universidade de Zagreb, Croácia
12h15: Os Planos de Gestão do Lobo e sua Importância na Conservação
Dr. Luís Llaneza
A.RE.NA, Asesores en Recursos Naturales, SL (Espanha)
12h55: Almoço
14h30: Monitorização da População Lupina em Trás-os-Montes: Impacto de novas infra-estruturasDr. Gonçalo Costa
Grupo Lobo
14h55: Tema a definir
Eng. Miguel Coutinho
APAI – Associação Portuguesa de Avaliação de Impactes
15h20: Tema a definir
Dr. Hugo Costa
Bio3, Portugal
15h45: Tema a definir
Eng. Timóteo Monteiro
ENERNOVA, Novas Energias, SA
16h30: Debate
18h30: Encerramento

Lamego: Exercito Português recordou em Lamego Guerra Peninsular

O Exército Português realizou na sexta feira por todo o país as celebrações da Guerra Peninsular. Em Lamego a efeméride foi recordada com a realização de uma Conferência organizada pelo Centro de Tropas de Operações Especiais, dando inicio, deste modo, à comemoração dos 48 anos da presença do CTOE em Lamego e dos 169 anos da instituição militar sedeada na cidade através do Regimento de Infantaria 9 e cujo aniversário ocorrerá no próximo dia 16.
A Conferência decorreu no Salão Nobre do Teatro Ribeiro Conceição, teve a presença do Major general Jerónimo Afonso e foram conferencistas o Prof. Dr. Vale Figueiredo e o Major Lousada, historiadores e especialistas em questões da Guerra Peninsular.
A propósito da iniciativa do CTOE invocar em Lamego a Guerra Peninsular o presidente da Câmara de Lamego, Francisco Lopes, salientou o orgulho de acolher esta conferência no Teatro Ribeiro Conceição
No final da dissertação sobre a importância da Guerra Peninsular o Dr.Vale Figueiredo ilustrou a relevância da resistência popular, mais tarde dada a conhecer através dos contos de Camilo Castelo Branco, Aquilino Ribeiro e outros autores ou através da Banda Desenhada dedicados a temas da Guerra Peninsular.
O major Lousada, historiador e especialista em assuntos da Guerra Peninsular realçou a seguir a Guerra Irregular levada a efeito pela resistência portuguesa e que impediu as invasões francesas de se instalarem no território português contrariando as intenções de Napoleão Bonaparte.
No final o Major General Jerónimo Afonso salientou, a propósito da resistência dos portugueses às invasões do território, que "a população esteve sempre nestes conflitos" e é bom que estes quadros da nossa história sejam recordados de vez em quando.
Ainda no âmbito da passagem do aniversário daquela unidade militar está patente ao publico na messe de Oficiais, no centro da cidade, uma exposição evocativa da Guerra Peninsular.

domingo, abril 13, 2008

www.radiodourosul.com e som on line

Devido a alterações nos servidores onde se encontram alojadas a nossa página:www.radiodourosul.com e o som on line da nossa emissão, ambos estão indisponíveis.
Contamos que os serviços estejam disponíveis brevemente.

sexta-feira, abril 11, 2008

Lamego: Pensamento e Obra de João Pina de Morais no Teatro Ribeiro Conceição

imagem em:www.webbomm.pt

Decorre hoje no Teatro Ribeiro Conceição uma sessão pública de apresentação da obra “João Pina de Morais: Vida, Pensamento e Obra”, da autoria do Dr. João Luís Sequeira, editado por Edições Caixotim. A sessão está marcada para as 21h30,no Salão Nobre do Teatro.
A apresentação do livro será feita pelo Professor Doutor Gaspar Martins Pereira.
O objectivo desta obra, incluída na colecção “Caixotim Ensaio – Perfis”, é traçar com o detalhe possível a biografia e as ideias de uma notável personalidade duriense à qual não tem sido prestada a atenção devida, apesar da relevância da sua acção cívica e da notoriedade alcançada através da sua produção literária. Ao longo de quase 600 páginas o autor apresenta, com numerosas citações de livros e escritos de Pina de Morais, o que foi a vida deste homem notável, quer a nível cívico, desde a participação na I Guerra Mundial até aos combates políticos contra o salazarismo e a passagem ao exílio, quer na sua dimensão literária e a ligação a correntes e movimentos cultur ais, como a “Renascença Portuguesa” ou o “Grupo da Biblioteca Nacional”. É também posta em destaque a sua colaboração na imprensa escrita e a defesa dos interesses da região do Douro.

Bragança/Vila Real: Ligações aéreas com Lisboa serão retomadas até ao final do mês

imagem no site:www.diariodetrasosmontes.com


As ligações aéreas entre Bragança/Vila Real e Lisboa foram hoje adjudicadas à empresa Aeronorte e deverão ser retomadas até ao final do mês.
A informação foi avançada à Lusa pelo secretário de Estado adjunto das Obras Públicas, Paulo Campos, que promete "melhores condições" na carreira aérea a partir de agora.
As ligações aéreas estão suspensas desde 17 de Março, altura em que a Aerocondor deixou de operar, alegando "problemas técnicos", que se vieram a revelar, afinal, financeiros.
Poucos dias depois de ter suspendido as ligações aéreas, a empresa Aerocondor perdia a licença para voar, por decisão do INAC, que detectou a falta de seguros obrigatórios.
O Governo rescindiu com a Aerocondor o contrato público e entregou, por ajuste directo à Aeronorte, depois de consultadas várias operadoras, a carreira aérea até à adjudicação definitiva.
O secretário de Estado realçou a celeridade do processo que classificou de demonstrativa do "interesse que o Governo tem em encontrar as melhores soluções para prestar um serviço público adequado nesta ligação".
Este contrato com a Aeronorte vai prolongar-se até à adjudicação definitiva do serviço em concurso público, adiantou, referindo que os procedimentos para o concurso público estão a ser ultimados.
O governante disse ainda haver "a expectativa de que as ligações possam ser retomadas até ao final do mês".
Segundo explicou, só não o são de imediato porque é necessário proceder à certificação das aeronaves da nova empresa, junto do Instituto Nacional de Aviação Civil (INAC).
Os preços e horários mantêm-se, com duas viagens diárias em cada sentido, de segunda a sexta-feira, que custam cerca de 117 euros Bragança/Lisboa, e menos 10 euros a partir de Vila Real, ida e volta, em ambos os casos.
O Estado continua a dar uma compensação à operadora num montante máximo anual de um 1,190 milhões de euros.
Quanto maior for a taxa de ocupação do avião de 19 lugares, menor é a compensação estatal.
A Aeronorte é uma empresa de Braga, com serviços de transporte e trabalho aéreo, nomeadamente combate a incêndios florestais, e manutenção de aeronaves.
A empresa está a construir em Bragança, justamente no aeródromo municipal, um hangar para a manutenção de aeronaves

´Lamego: Museu de Lamego e Diocese estabelecem protocolo de colaboração


Vai ter lugar no Museu de Lamego, no próximo dia 14, a cerimónia da assinatura do protocolo de colaboração entre o Museu e a Diocese de Lamego de modo a formalizar um percurso - com início em 1918, ano em que o Museu foi inaugurado, até à actualidade – de iniciativas comuns e projectos de parceria, baseados na ligação essencial que perdura entre as duas Instituições.
O Museu de Lamego encontra-se instalado no antigo Paço Episcopal da cidade e a sua criação encontra os seus antecedentes próximos na existência de um importante acervo reunido por D. Francisco José Ribeiro de Vieira e Brito, bispo de Lamego entre 1901 e 1922, que pretendia instalar um Museu de Arte Sacra no antigo Paço Episcopal, desejo interrompido pela Revolução da República, dando lugar à criação de um Museu Artístico a partir do espólio recolhido por aquele Prelado e entretanto incorporado no património de Estado, constituindo hoje o espólio principal das colecções do Museu.
O presente protocolo que será assinado no próximo dia 14 insere-se numa estratégia de afirmação do futuro Museu Diocesano de Lamego/Casa do Poço, como uma estrutura cultural viva e actuante ao serviço das pessoas, capaz de transformar o espólio à sua guarda em elementos integrantes e indispensáveis à formação do ser humano.
São, por isso, objectivos fundamentais do documento protocolar, desenvolver formas de diálogo e de comunicação com o público, mediante um esforço permanente de actualização do próprio Museu e assegurar a gestão e manutenção do imóvel.


O protocolo será subscrito pelo Bispo de Lamego, D. Jacinto Tomás Botelho e o Director do Museu de Lamego, Agostinho Ribeiro, em representação do Director do Instituto dos Museus e da Conservação, Manuel Bairrão Oleiro.

Tunel do Marão: adjudicado ao consórcio liderado pela Somague

imagem no site:www.tvnet.pt

O Governo adjudicou ontem a Concessão Túnel do Marão, que vai ligar Amarante a Vila Real e representa um investimento de 350 milhões de euros, ao consórcio liderado pela Somague, anunciou ontem o Ministério das Obras Públicas.
Em comunicado, o Ministério tutelado por Mário Lino refere que "esta concessão foi adjudicada em cerca de 13 meses, contados a partir da data do seu lançamento - 17 de Fevereiro de 2007 -, situação que é pela primeira vez verificada nos processos de concurso das Parcerias Público-Privadas rodoviárias em Portugal".
A Concessão Túnel do Marão é a "primeira a ser adjudicada de um pacote de oito que têm vindo a ser lançadas por este Governo" e que integra um total de 1.650 quilómetros de estradas.
Dos cinco consórcios que entregaram propostas para esta concessão - liderados pela Soares da Costa, Mota-Engil, Dragados, Brisa e Somague -, a Comissão de Apreciação de Propostas concluiu que a proposta apresentada pelo Concorrente Auto-Estradas do Marão era "a mais vantajosa para o interesse público, tendo proposto, no dia 31 de Março, a sua adjudicação".
A principal inovação desta concessão é o facto de os pagamentos à concessionária serem feitos com base numa fórmula que inclui, não apenas o número de veículos que utilizarem a estrada, mas também a disponibilidade da própria infra-estrutura.
Em contrapartida, as receitas das portagens são entregues à Estradas de Portugal.
A concessão foi criada pelo Decreto-Lei 88/2006, de 6 de Junho, e prevê uma extensão de 32 quilómetros, entre Amarante e Vila Real, 6,7 dos quais são em túnel.
As obras terão início em 2009, prevendo-se a conclusão do primeiro lanço em 2010, e dos restantes em 2012.
A fase de exploração terá o prazo máximo de 30 anos

Tua:Movimento Civico reinvindica mais investimento na segurança

Foto extraida do site:www.pormirandela.blogs.sapo.pt


O Movimento Cívico pela Linha do Tua (MCLT) reivindicou "mais investimento na segurança" para evitar acidentes como o de ontem, que feriu três trabalhadores e deixou a via parcialmente cortada.
Em comunicado, o Movimento "exige investimento e rigor para que os transmontanos e outros visitantes possam viajar em segurança e com dignidade e para que não se repitam acontecimentos do passado recente".
Além do acidente de ontem, que provocou apenas ferimentos ligeiros nos três trabalhadores, o Movimento Cívico lembra o acidente fatal de há um ano, em que morreram três ferroviários.
Um desabamento de terras e pedras empurrou, em Fevereiro de 2007, uma carruagem do Metro de Mirandela ao serviço da CP por uma ravina em direcção ao Rio Tua.
O acidente manteve, durante quase um ano, parte da linha encerrada, entre a Brunheda e o Tua, o que volta agora a repetir-se.
O desabamento de terras que atingiu a Dresina - uma máquina da REFER utilizada para transporte e vistorias - ocorreu na mesma zona do anterior acidente, junto a Santa Luzia.
Por não haver condições no local, está a ser feito o transbordo rodoviário desde a Brunheda até ao Tua.
O restante percurso, entre Mirandela e a Brunheda, é feito normalmente de Metro, segundo informou a REFER, proprietária d alinha.
A empresa ainda não sabe quando é que a circulação poderá ser retomada em toda a extensão.
O Movimento lembra que "há soluções técnicas para o controlo do risco de situações naturais, que já são usadas noutras linhas, o que torna ainda mais incompreensível o atraso na sua adopção na do Tua".
O Movimento tem a decorrer uma petição, na Internet, pela linha do Tua, que já recolheu 2.500 assinaturas, no endereço www.peticiononline.com/tuaviva

quinta-feira, abril 10, 2008

Bragança: Bombeiros ganharam quatro novos autotanques

Os bombeiros de Bragança ganharam quatro novos autotanques provenientes de processos judiciais, que vão ajudar a ultrapassar uma "grave carência", disse hoje o comandante daquela corporação.
De acordo com José Fernandes, as viaturas foram apreendidas e dadas como perdidas a favor do Estado e entregues, terça-feira, aos bombeiros de Bragança.
A corporação da zona mais populosa do distrito, e com uma significativa área florestal a seu cargo, dispunha de apenas um autotanque para combate a incêndios e abastecimento de água às populações, em caso de seca.
Os voluntários ganharam de uma assentada mais quatro viaturas, que chegaram terça-feira ao quartel, provenientes de processos judiciais concluídos na comarca minhota de Barcelos.
Segundo o comandante, os bombeiros de Bragança foram contemplados com quatro de um total de onze viaturas, tipo cisterna, apreendidas e dados como perdidas a favor do Estado.
A oferta é motivo da satisfação para o comandante que frisou as "graves carências que Bragança tem nesta matéria".
José Fernandes explicou que agora a corporação tem ainda de legalizar as viaturas, que vão receber novas matrículas.
Acredita que este Verão estarão já ao serviço na época de fogos florestais, com uma capacidade de armazenamento e transporte de 100 mil litros de água.
O autotanque com maior capacidade leva 40 mil litros e o menor oito mil.

Nelas: Câmara contra portagens no troço do IC12 Canas de Senhorim - Mangualde


A Câmara de Nelas aprovou uma moção de repúdio contra a cobrança de portagens no troço do IC 12 a construir entre Canas de Senhorim, no concelho, e Mangualde, garantindo que "tudo fará" para impedir a concretização dessa intenção.

A presidente da autarquia, Isaura Pedro, disse à Agência Lusa ter sido surpreendida com o que está escrito no anúncio do concurso público internacional para a subconcessão Auto-estradas do Centro publicado no Diário da República de segunda-feira.
O documento apresenta uma listagem de lanços de auto-estrada - onde se inclui o IC12 entre Canas de Senhorim e Mangualde (IP5), com cerca de 22 quilómetros - em relação aos quais está previsto um contrato para "a concepção, construção, aumento do número de vias, financiamento, exploração e conservação, com cobrança de portagens aos utentes".
A Autarca lamentou que tenham “estado há décadas à espera que o IC12 fosse construído para ajudar ao desenvolvimento do concelho e agora verem anunciado explicitamente que está prevista a cobrança de portagens".
Nesse âmbito, o executivo camarário aprovou terça-feira, por unanimidade, uma moção onde refere "não aceitar a intenção de introduzir portagens" e avisa que "tudo fará para impedir que essa intenção se venha a concretizar".
Na moção, são pedidos esclarecimentos ao Governo e ao presidente do conselho de administração das Estradas de Portugal, porque, como sublinha Isaura Pedro, tal intenção "contraria todas as declarações que têm sido feitas sobre medidas de protecção ao interior e de luta contra a desertificação".
Na sua opinião, se vierem a ser cobradas portagens no troço do IC12, esta estrada "acabará por não cumprir o objectivo" de desenvolver os concelhos que serve.
Isaura Pedro falou também em "discriminação negativa ao concelho de Nelas", por haver outro troço do IC12 que terá tratamento diferente.
O anúncio refere estar prevista "a operação, manutenção, aumento do numero de vias, financiamento, e
A exploração, sem cobrança de portagem aos utentes", de alguns lanços de auto-estrada em serviço, nomeadamente o IC12 entre Santa Comba Dão e Canas de Senhorim, com a extensão aproximada de 21 quilómetros.

terça-feira, abril 08, 2008

Alijó: Artur Cascarejo é o novo líder da concelhia do PS

Foram empossados no passado Sábado, 5 de Abril, os elementos da Comissão Política Concelhia de Alijó do Partido Socialista para o biénio 2008/2010. A estas eleições concorreu uma lista única, encabeçada por Artur Cascarejo. As eleições foram muito participadas, cerca de 80% dos militantes do Concelho, legitimando desta forma a única lista que se apresentou.
A tomada de posse teve lugar na sede de Alijó daquele Partido e contou com a presença do Presidente da Federação de Vila real, Rui Santos e do membro do Secretariado Nacional, Ascenso Simões, assistida por inúmeros militantes e simpatizantes.
Vítor Silva, Presidente da CPC cessante, relembrou que nos últimos dois anos foram cumpridos todos os objectivos traçados no início do seu mandato e que em traços gerais se resumem no aumento significativo da militância e na maior e constante interligação e comunicação entre militantes, fruto das inúmeras actividades políticas desenvolvidas pela Secção de Alijó, nos dois anos findos.
Artur Cascarejo, novo Presidente da CPC de Alijó, referiu na sua intervenção que o Partido Socialista de Alijó tem demonstrado ao longo dos tempos uma notável coesão, que julgou salutar, no constante confronto de opiniões dentro do Partido. Reforçou a importância do debate de ideias, tendo ainda relembrado o grande trabalho desenvolvido por todos os anteriores presidentes da CPC de Alijó do PS e assumiu como objectivos para o seu mandato a vitória nos próximos desafios eleitorais sejam locais, nacionais ou europeus.



Ascenso Simões e Rui Santos elogiaram a actividade do Partido na secção de Alijó nos últimos anos, mormente nos últimos dois e demonstraram total disponibilidade de colaboração por parte das estruturas que representam, ambos salientando que o PS de Alijó viu reforçada a sua liderança.

UTAD cria em Chaves uma Turisteca

A Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) anunciou ontem a criação, em Chaves, de uma Turisteca, um projecto "inovador" em Portugal de recolha e catalogação de documentos turísticos para consulta.
Segundo fonte da UTAD o projecto, que é coordenado pelo antropólogo e professor Xerardo Pereiro, tem o apoio dos Serviços Audiovisuais e Bibliotecários do pólo de Chaves da instituição.
A UTAD pretende, segundo a fonte, afirmar a sua importância, ao nível da docência e da investigação, na área do turismo.
No projecto participam alunos do quarto ano da licenciatura em Recreação, Lazer e Turismo. Em breve também irão colaborar os alunos do mestrado em turismo.
A Turisteca vai reunir documentários, filmes e anúncios publicitários subordinados a diversas temáticas, nomeadamente turismo, viagens, promoção turística e investigação sobre patrimónios.
Os documentários digitalizados, que serão catalogados pela biblioteca do pólo, estarão disponíveis para consulta de docentes, alunos, investigadores e comunidade em geral.
Numa primeira fase, a Turisteca terá como principal objecto o audiovisual.

Museu do Douro terá dez núcleos museológicos na Região Demarcada do Douro

foto em: www.capitaldouro.blogs.sapo.pt



O Museu do Douro, cuja inauguração está prevista para Dezembro de 2008, em Peso da Régua, vai possuir dez núcleos museológicos espalhados pela Região Demarcada do Douro, disse hoje o director da estrutura.
A abertura desta unidade museológica, criada em 1997 na sequência de uma lei aprovada por unanimidade na Assembleia da República, está prevista para 14 de Dezembro.
A obra tem "obrigatoriamente" que ficar concluída durante este ano para que não se perca o financiamento comunitário.
Segundo o director, Maia Pinto, o Museu do Douro vai apresentar quarta-feira uma candidatura global, no valor de 300 mil euros, para a elaboração de um estudo de concepção e implantação de pólos desta estrutura.
O responsável referiu que, numa primeira fase, está prevista a criação de oito núcleos museológicos que ficarão espalhados pela Região Demarcada do Douro.
Segundo Maia Pinto, serão criados os núcleos do Pão e do Vinho (em Favaios), da Amêndoa (em Vila Nova de Foz Côa), do Arrais e da Cereja (em Resende), do Vinho (em S. João da Pesqueira), da Seda (em Freixo de Espada à Cinta), do Somagre (Vila Nova de Foz Côa), de Barqueiros (Mesão Frio) e o Museu do Imaginário (em Tabuaço).e Gastronomia em LamegoEstes núcleos terão uma programação integrada com o Museu do Douro, de forma a potenciar iniciativas dispersas e estimular a itinerância de exposições e outras acções culturais.
Maia Pinto frisou que o museu tem de ser de "toda a região do Douro e não apenas da Régua" e referiu que a "ponte" entre os diferentes concelhos poderá ser feita através de núcleos museológicos.
De acordo com o responsável, a calendarização das obras de construção do Museu do Douro está a ser "cumprida", prevendo-se que as obras estejam concluídas em Junho.
A construção da sede do Museu do Douro foi adjudicada à empresa João Fernandes da Silva e vai dispor de 7,5 milhões de euros - cinco milhões de euros para a obra física e 2,5 milhões de euros para a aquisição de equipamentos.
Os custos do projecto serão repartidos entre o Programa Operacional da Cultura (POC) e o Programa Operacional do Norte.
A sede desta unidade museológica ocupa a Casa da Companhia, edifício adquirido à Real Companhia Velha por 1,7 milhões de euros.
Maia Pinto referiu que, para além da componente museológica, o futuro museu vai ainda apostar na animação e restauração, com um restaurante e café-concerto com piano.
A grande área de exposições ficará localizada no pátio que separa a ala norte da ala sul do antigo edifício, terá 10,7 metros de altura e uma estrutura de vidro para permitir a entrada de luz natural.
Terá ainda um passadiço de madeira, suspenso a cerca de 4,5 metros de altura, com três metros de largura, que permitirá a ligação com os pisos superiores do edifício.
A sede terá ainda biblioteca, arquivo, área para o serviço educativo do Museu do Douro e alas de apoio técnico, nomeadamente sanitários e arrumos.
O Museu do Douro, que se encontra provisoriamente instalado num espaço de exposições do Antigo Armazém 43 cedido pelo Instituto do Vinho do Porto, é gerido pela Fundação do Museu do Douro.
Também na Régua, vai ser recuperado o degradado edifício do Teatrinho da Régua, que servirá de complemento à sede do museu.
A candidatura ao Quadro de Referência Estratégica Nacional (QREN) vai ser apresentado em conjunto pelo Museu do Douro, Câmara do Peso da Régua, Museu do Douro e Instituto dos Vinhos do Douro e Porto (IVDP).

sábado, abril 05, 2008

Douro Alliance - Fim das rivalidades entre Lamego-Régua e Vila Real


O secretário de Estado do Ordenamento do Território disse ontem que o "Douro Alliance", projecto que une Vila Real, Régua e Lamego, representa o fim das rivalidades entre aqueles municípios e o empenho no desenvolvimento e criação de emprego.
João Serrão presidiu ontem, em Vila Real, à assinatura de um protocolo de parceria entre a Direcção-Geral do Ordenamento do Território e Desenvolvimento Urbano (DGOTDU) e os municípios da rede "Douro Alliance" - Eixo Urbano do Douro, Vila Real, Peso da Régua e Lamego.
"É um dia histórico. A criação da urbe do Douro é a concretização de um sonho há muito tempo idealizado", salientou o secretário de Estado.
O projecto "Douro Alliance" pretende transformar as três cidades num pólo urbano com mais massa crítica e capacidade de desenvolvimento.
Os municípios de Vila Real, Régua e Lamego, todos com liderança social-democrata, distam 30 quilómetros ligados pela auto-estrada 24 (A24) e possuem cerca de 100 mil habitantes, dos quais 67 mil habitam nas zonas urbanas.
"Localmente comprovou-se que se entrou num novo patamar. As rivalidades passaram a fazer parte do passado e hoje há disponibilidade, interesse, empenho em trabalhar em conjunto, porque se percebeu que só cooperando é que nós conseguimos introduzir mais competitividade na região, criar mais emprego e inovar mais", acrescentou o responsável.
A aposta do "Douro Alliance" passa por quatro áreas prioritárias, nomeadamente do turismo, vinho, património e cultura, mas podem ainda ser desenvolvidos projectos na área da sustentabilidade como a água, a eficiência energética ou a mobilidade.
Os três municípios, em colaboração com os parceiros, vão criar um Gabinete Técnico, que terá como função articular em rede as potencialidades dos três concelhos e, posteriormente, elaborar os projectos que serão alvo de candidaturas ao programa de Cidades Polis XXI, no âmbito dos Programas Operacionais Regionais (QREN 2007-2013).
Os municípios possuem 15 dias para apresentarem à DGORDU o plano de acção previsto.
Alguns dos projectos já anunciados pelos autarcas são uma carta de equipamentos culturais, uma rota do património do eixo, um observatório económico e social, a criação de um laboratório de ideias e projectos e uma plataforma intermodal na Régua.
Segundo João Ferrão, existem vários instrumentos de financiamento a que os projectos poderão ser candidatados.
No âmbito do Programa Operacional Regional estão disponíveis cerca de 330 milhões de euros, repartidos por dois instrumentos.
No âmbito do instrumento designado Parcerias para a Regeneração Urbana, que tem uma componente de apoio às cidades, abriu já um primeiro concurso em Dezembro que está agora a terminar e vai abrir um outro em Junho.
Este programa tem ainda uma outra componente para os pequenos centros e aglomerações cujo período de candidaturas vai abrir em Maio.
O instrumento Redes Urbanas para a Competitividade e Inovação abriu agora em Abril a fase de candidaturas.
"Há oportunidade para as cidades e as aglomerações de menor dimensão apresentarem bons projectos, quer no âmbito da reabilitação urbana ou na competitividade e inovação para que a região dê o salto que precisa", sublinhou.
O "Douro Alliance" foi um dos cinco apoiados pela DGOTDU a nível nacional, com 100 mil euros, entre 26 candidaturas.
O secretário de Estado salientou que o Douro ocupa "um lugar central para o Governo" e frisou que, na sua opinião, "Portugal sem o Douro era como uma zebra sem riscas".


O presidente da Câmara de Vila Real, Manuel Martins, referiu que a proposta de criar um eixo urbano entre as três cidades surgiu no início dos anos 90 por intermédio do então membro do Governo, Valente de Oliveira, tendo como objectivo servir de alternativa à Área Metropolitana do Porto.
"A ideia falhou por diversas razões. As acessibilidades eram complicadas e a estrutura era muito pesada", salientou o autarca.
Acrescentou que agora existe "uma grande vontade e sintonia entre os intervenientes".
Manuel Martins considerou ainda que todo o território envolvente às cidades "vai beneficiar com sucesso do projecto" que "permitirá corrigir desequilíbrios, potenciar a fixação de massa crítica e combater a desertificação".


Francisco Lopes, presidente da Câmara de Lamego, realçou o trabalho conjunto entre as autarquias e referiu a possibilidade de se apresentarem projectos de "maior envergadura".





Nuno Gonçalves, presidente da Câmara do Peso da Régua, salientou que o projecto poderá "servir como base de desenvolvimento para toda a região" duriense.
"Os efeitos práticos já se estão a sentir. Desde logo verifica-se uma mudança de mentalidades", sustentou.

As autarquias contam com a parceria da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), associações comerciais e industriais de Vila Real, do Peso da Régua e de Lamego e da Nervir - Associação Empresarial de Vila Real.
O secretário de Estado anunciou o prolongamento, por mais um ano, do período de funcionamento dos gabinetes técnicos locais do Douro, designadamente na Régua, Sabrosa, São João da Pesqueira, Tabuaço e Miranda do Douro.
Decisão que, segundo frisou, deve-se ao "carácter singular e às necessidades muito específicas do Douro".